Universidade São Judas e Prefeitura de Cubatão apresentam programa pioneiro de testagem de Covid-19 em Congresso Brasileiro de Infectologia

Parceria entre Universidade São Judas e Prefeitura de Cubatão mede a transmissão comunitária do coronavírus em Cubatão

O Programa de Testagem Sentinela, parceria da Universidade São Judas e da Prefeitura de Cubatão  que mede semanalmente a transmissão comunitária do coronavírus na cidade, foi selecionado para ser apresentado no XXII Congresso Brasileiro de Infectologia (Infecto 2021), que ocorre de 14 a 17 de dezembro em Goiânia, Goiás.

O evento contará, de forma on-line  e presencial, com palestrantes de todo o Brasil e convidados dos Estados Unidos, Itália, Chile, França, Cuba, Espanha e Colômbia, entre outros, para tratar dos diversos temas da área, as reflexões e pesquisas sobre a pandemia de Covid-19.

Com o título “Projeto Sentinela Covid-19: Estudo de viabilidade da detecção viral em assintomáticos utilizando o teste point of care para detecção do antígeno do SARS-COV-2 e resultados em meio à expansão da variante Delta no Brasil”, o trabalho realizado em Cubatão será apresentado no evento pelo infectologista Evaldo Stanislau Affonso de Araújo, idealizador do programa, professor do curso de Medicina da Universidade São Judas, médico do Hospital das Clínicas e integrante do Comitê Estratégico Municipal Covid-19.

“O Programa Sentinela em Cubatão é pioneiro no País, por isso está sendo levado ao Congresso como exemplo de política de prevenção e contenção do SARS-COV-2. Na semana passada, a cidade de São Paulo começou, através do Instituto Butantan, programa semelhante. E o caminho é esse, testagem, vacinação e o cumprimento das medidas sanitárias que a população já conhece: uso de máscara, higiene das mãos e distanciamento social”, destaca o professor Evaldo.

Além de Evaldo Stanislau, a autoria do projeto é dividida entre outros integrantes da São Judas. Por parte da Secretaria de Saúde, assinam a autoria a titular da pasta, Eliane Taniolo, a chefe do Serviço de Vigilância Epidemiológica, Andreia Quitéria Mota Fragoso e a chefe do Serviço de Informação e Educação em Saúde, Alexandra Azevedo de Souza. “A inclusão do programa no congresso comprova a expectativa que tínhamos quando começamos os testes, de que o Sentinela se tornaria uma referência de boas práticas no enfrentamento à pandemia”, avalia a secretária de Saúde.

O resumo da apresentação informa que o “uso da testagem sentinela mostrou-se uma ferramenta útil no processo de gestão dos leitos e decisões estratégicas da Secretaria de Saúde”.

Sentinela – Realizado desde 31 de julho, o Sentinela consiste na realização de cerca de 260 testes do tipo antígeno por semana em todos os bairros da cidade, de forma proporcional à população de cada um. O número segue o protocolo da Organização Mundial de Saúde (OMS) de dois testes a cada mil habitantes. São cinco equipes formadas por integrantes da secretaria e cerca de 40 alunos e profissionais do curso de Medicina da São Judas. No total, são 24 semanas de testes, que irão se estender até janeiro de 2022.

Os casos detectados são monitorados e encaminhados para atendimento na rede municipal de Saúde, com rastreamento dos contatos para impedir surtos e o alastramento do vírus.

Além do próprio teste, realizado em pessoas assintomáticas, as equipes  coletam dados clínicos e epidemiológicos com o objetivo de gerar um retrato da semana. Os dados são transmitidos a um banco de dados com georreferenciamento, permitindo ao Comitê Estratégico Municipal Covid-19 e à Secretaria de Saúde agir em todo o município ou tomar medidas localizadas de acordo com a incidência do vírus em cada localidade.

Até o momento, os números têm mostrado que Cubatão encontra-se com baixo índice de transmissão comunitária.

Receba os melhores conteúdos e fique por dentro de tudo