Alunos de Medicina da São Judas atuam como voluntários na testagem de Covid-19 em Santos

O grupo trabalha no Centro de Atendimento  do Clube Santa Cecília, no bairro Aparecida

Em mais uma oportunidade de viver a prática da profissão que escolheram, alunos do curso de Medicina da Universidade São Judas estão trabalhando como voluntários no Centro de Atendimento às Síndromes Gripais, do Clube Atlético Santa Cecília, que funciona no bairro da Aparecida, em Santos. A ação faz parte de parceria entre a Universidade São Judas e a Prefeitura de Santos.

 

As funções dos futuros médicos são: triagem dos pacientes, testagem com o teste rápido de antígeno, conferência do teste, que leva cerca de 15 minutos, e acompanhamento dos médicos na comunicação do resultado e orientação do paciente, no caso de positividade.

 

“Nós estamos vendo de perto essa nova onda com a variante Ômicron. Estamos pegando muitos casos positivos. Além disso, é muito importante ajudar a população neste momento.  São públicos variados que passam pelo Centro de Testagem, mas os idosos, em especial, se assuntam bastante com o resultado positivo. E a gente acompanha o protocolo do médico, tanto na comunicação do resultado quanto na orientação”, explica a aluna Luciana Schmidt Gomes Lopes, do 6º semestre.

 

Para o coordenador do curso de Medicina da São Judas, Marcos Calvo, essa prática dos alunos no enfrentamento à pandemia é uma experiência que eles vão carregar para o resto de suas vidas profissionais. “Demonstra também o potencial das parcerias entre as universidades e os serviços públicos para contribuir  com a sociedade”.

 

Testagem – O Centro de Atendimento às Síndromes Gripais do Clube Atlético Santa Cecília funciona na Rua Alfaia Rodrigues, 269, no bairro da Aparecida, das 8 às 14 horas.

 

A testagem é feita exclusivamente para idosos (a partir de 60 anos), crianças de 5 a 11 anos sem comorbidades  ou deficiências, quem não estiver vacinado por restrição médica, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com comorbidades (conforme listagem patronizada pelo Ministério da Saúde), profissionais de Saúde e pessoas em situação de rua.

 

Sentinela – Em Cubatão, cidade-sede do curso de Medicina da São Judas, os estudantes são ainda voluntários no Programa Sentinela, de testagem semanal da população assintomática, coordenado pelo infectologista Evaldo Stanislau, também professor do curso de Medicina da Universidade São Judas.

 

Pioneiro no País, o programa é realizado desde julho do ano passado e consiste numa série de testes aplicados com o objetivo de medir o nível de presença do novo coronavírus entre a população assintomática, gerando indicadores que auxiliem na tomada de decisões no enfrentamento à Covid-19 no município.

 

O programa é uma iniciativa do curso de Medicina da Universidade São Judas, em Cubatão, em parceria com Secretaria de Saúde e apoio do laboratório Abbott, que fez a doação dos kits de exames.

 

São cinco equipes formadas por integrantes da secretaria e cerca de 40 alunos e profissionais do curso de Medicina. 

Receba os melhores conteúdos e fique por dentro de tudo