Alunos da Universidade São Judas auxiliam na vacinação da COVID-19

Estudantes do curso de Enfermagem participam da campanha de vacinação em hospitais e unidades básicas de saúde da capital paulistana

O atual momento de grandes desafios na saúde pede a ajuda daqueles que querem contribuir para que o país alcance dias melhores. Com o sentimento de cooperação, estudantes de enfermagem da São Judas estão auxiliando equipes de hospitais e Unidades Básicas de Saúde na campanha de combate à Covid-19. A ação é fruto da parceria com a Prefeitura de São Paulo e envolve 83 alunos que atuam na vacinação da população, acolhimento de pacientes, orientação em relação às medidas protetivas contra o vírus e digitação de informações. Os participantes da campanha ainda fazem ações educativas nas ruas, comércios e semáforos que ficam no entorno dos locais de vacinação, distribuindo cartazes e abordando a população para explicar sobre as formas de proteção.

Para a estudante de enfermagem, Giovanna Carazzolle, “é uma grande honra fazer parte deste momento histórico. Diariamente aprendemos algo novo, exercitamos o respeito, reconhecendo, aceitando e valorizando o outro, como ser humano e como profissional. Vamos levar dessa experiência uma bagagem valiosa e o sentimento de ter dado nosso melhor. Apesar de haver dias que são tantas vacinas que ir ao banheiro é impossível, é gratificante quando lembramos de todas as boas experiências que proporcionamos às pessoas: ‘obrigada por serem tão atenciosas’, ‘obrigada por tratarem minha mãe com tanto amor, trarei um bolinho para vocês’”. Cada vacina aplicada é uma vitória que traz esperança para cada familiar”, afirma Giovanna.

Os 83 estudantes envolvidos estão no último ano do curso de Enfermagem e são acompanhados por enfermeiros preceptores que os orientam nas atividades que são desenvolvidas diariamente. Os participantes são divididos em 11 grupos que fazem rodízio entre os hospitais e as unidades básicas de saúde da capital paulistana. A ação faz parte do programa de estágio, seguindo a normativa do MEC, que orienta universidades a reservarem 20% da carga horária dos cursos para atividades práticas.

De acordo com a coordenadora do curso de enfermagem, Terezinha Dalossi, essa é uma oportunidade de aprender e colocar em práticas todos os ensinamentos agregados em sala de aula. “Esse momento de estágio é muito importante na formação do enfermeiro. Eles vão vivenciar a profissão antes de ingressarem no mercado de trabalho. Essa é uma oportunidade onde eles desenvolvem competências profissionais para o exercício seguro da profissão e aplicam seu conhecimento na prática”, ressalta a coordenadora.