Professor da São Judas compõe equipe de resgate da ursa Marsha

Fabio Futema é docente do curso de Medicina Veterinária e ajudou a mudar a vida da ursa conhecida como a mais triste do mundo na internet

Na última quinta-feira (20/09), foi realizada a operação de resgate da ursa Marsha, animal que ganhou visibilidade na internet como o mais triste do mundo por estar sofrendo com o calor excessivo em um cativeiro do Piauí.

Após grande apelo popular, o governo autorizou a transferência da ursa para o Rancho Ecológico dos Gnomos, um santuário no interior de São Paulo. Para isto, foi composta uma equipe de veterinários, biólogos e ativistas, além do apoio da Força Aérea Brasileira.

Mestre e Doutor em Clínica Cirúrgica Veterinária, especialista em Anestesiologia e bem-estar animal, o professor Fabio Futema participou do processo de resgate desde o início.

“Passamos um pouco de estresse no início da viagem. Ela [a ursa] entrou em hipertermia, mas depois conseguimos reverter, e o animal chegou a dormir no voo”, disse Futema.

Segundo informações, a ursa sofria há anos com as altas temperatura de um zoológico no Piauí, que chegavam a 40ºC. O animal teria sido traficado da Rússia ainda filhote e vivido 25 anos em um circo a base de ração para cachorros.

Em seu novo habitat de 600 m², equipado com piscina, túneis, balanço de pneu e um deck, espera-se que Marsha tenha condições para se recuperar dos traumas vividos, embora seja um animal idoso.

A ursa ainda ganhou um novo nome, Rowena, que significa luz. Isto porque, de acordo com os especialistas, o nome Marsha estava associado aos espancamentos e todo tipo de crueldade que o animal sofria.

Um resgate de três dias que garantiu a Rowena uma vida nova.

Inscreva-se