O que se aprende no curso de Psicologia? O que se aprende no curso de Psicologia?

O que se aprende no curso de Psicologia?

A ciência que estuda os comportamentos, pensamentos, sentimentos e sensações humanas na verdade deve ser entendida no seu plural — ou seja, psicologias. Isso se deve ao fato de existirem várias linhas e abordagens teóricas, muitas delas até discordantes entre si. Há três grandes correntes dentro das teorias da psicologia: a psicanálise (que tem Freud como pai), o comportamentalismo (ou Behaviorismo, tendo Skinner como um dos seus maiores pesquisadores) e o humanismo (que tem como importantes teóricos Maslow e Carls Rogers).

É um campo de estudos que engloba teoria e prática. Sua área de trabalho vai desde hospitais, escolas, empresas e indústrias até os consultórios. Com toda essa diversidade de âmbitos de atuação, a grade curricular é bastante variada. As possibilidades de carreira também são muito amplas — por isso, é uma área que sempre vai ser uma boa aposta.

Para ter ainda mais certeza de que esse é o curso que mais combina com você, confira com detalhes o que é que se aprende nessa graduação:

As especializações do curso de Psicologia

O Ministério da Educação introduziu algumas mudanças positivas na grade curricular do curso de Psicologia desde 2001; dentre elas, a possibilidade de se escolher uma especialização (ou ênfase) no curso. Isso proporciona um melhor direcionamento e aprofundamento nas suas áreas de interesse, além de permitir ao aluno fazer estágios práticos em uma só área. Dentre as especializações estão a psicologia clínica, social ou organizacional (os nomes podem variar de acordo com as faculdades).

A grade curricular

As matérias estudadas no curso de Psicologia devem seguir as diretrizes curriculares propostas pelo Conselho Nacional de Educação. Elas se baseiam em metodologias e instrumentais de pesquisas diferenciadas e têm um caráter multidisciplinar e contemporâneo.

No que diz respeito às possibilidades de atuação, a psicologia é uma área que vem crescendo muito. Por isso a velocidade da ampliação dos conhecimentos científicos gera a necessidade de uma formação sólida do psicólogo. Os chamados eixos estruturantes — ou seja, a maneira como os conhecimentos, habilidades e competências da área são organizados — procuram equilibrar a diversidade de perspectivas da psicologia como uma ciência que dialoga com várias interfaces das Ciências Humanas e Sociais.

O programa e os nomes das disciplinas podem variar de faculdade para faculdade, mas normalmente há matérias obrigatórias, gerais e introdutórias como sociologia, antropologia, anatomia, filosofia. Há ainda as optativas e aquelas que serão específicas da especialidade escolhida pelo aluno.

Veja algumas das principais áreas abordadas pelo curso de Psicologia e o que cada uma delas estuda:

Comportamentalismo

Também pode ser chamado de Behaviorismo. No comportamentalismo, estuda-se como correlacionar a genética e fatores internos (como os neurotransmissores e os hormônios) com os fatores externos (o meio social, seus estímulos e relações).

Emoções como medo, ansiedade, entusiasmo ou tristeza são averiguadas para entender como se dá a sua organização neural. Também é estudado como se desenvolvem funções mentais como linguagem, memória e aprendizado.

O movimento comportamentalista na psicologia foi fundado por Watson e entende que o desenvolvimento das habilidades humanas é determinado em função do meio em que a pessoa se encontra.

Humanismo

Surgido na década de 50, a linha de pensamento humanista foi uma resposta à abordagem comportamentalista, que coloca o ser humano como um ser condicionado pelo mundo externo, e à da psicanálise com sua perspectiva do inconsciente.

As principais contribuições da linha humanista são a de reconhecer o homem e sua capacidade de ser mais do que uma máquina ou um animal propenso ao condicionamento. A psicologia humanista tem como cerne o ser humano e suas experiências conscientes, seu livre arbítrio e sua capacidade criativa.

Psicanálise

Hoje em dia a psicanálise vai muito além do clichê do paciente deitado num divã, diante de um psicanalista que não diz uma palavra sequer. Com mais de um século e conhecida como a “ciência do inconsciente”, a psicanálise trouxe enormes contribuições para a área da psicologia.

Não há como falar de psicanálise sem mencionar Freud, médico neurologista e precursor dessa linha da psicologia, surgida em 1890. Freud procurava tratar as psiconeuroses por meio da investigação e compreensão do inconsciente. O método utilizado por ele partia da interpretação simbólica dos sonhos, livre associação de ideias e análise de atos falhos. A partir da psicanálise freudiana, vários psicanalistas desenvolveram novas linhas de pensamento, como Lacan, Winnicott e Bion.

Psicopatologia

A psicopatologia estuda os estados psíquicos relacionados ao sofrimento mental de um indivíduo. Ela é diferente da psiquiatria, pois trata-se de uma ciência que estuda e classifica as enfermidades psíquicas sem necessariamente tratá-las por meio de procedimentos do ramo da clínica médica.

As disciplinas relacionadas às psicopatologias estudam sintomas, quadros clínicos e ensinam a elaborar diagnósticos. Para isso, baseiam-se em padrões e critérios que abordam o que é considerado normal ou desvio de comportamento.

Métodos de pesquisa

As disciplinas de métodos de pesquisa têm como objetivo preparar os alunos para que sejam capazes de organizar seus conhecimentos de acordo com preceitos científicos. Os temas dessa área vão desde as técnicas e metodologias de pesquisa (como analisar dados qualitativos ou quantitativos e categorizar informações) até a elaboração de um projeto.

Disciplinas da psicologia por faixas etárias

Infância, adolescência, idade adulta e envelhecimento: os comportamentos mudam ao longo de nossas vidas e cada fase deve ser entendida de acordo com suas especificidades. Por isso, a divisão por faixa etária de disciplinas do curso de Psicologia tem como objetivo entender como aplicar assertivamente as técnicas e análises psicológicas de acordo com cada idade.

Dentre os temas abordados estão modelos de atendimento, testes psicológicos, métodos de observação, avaliação de comportamento e personalidade, participação dos pais no processo terapêutico e inserção no trabalho e na sociedade.

Práticas clínicas

É nessa disciplina que o graduando vai aprender a definir qual é o melhor tipo de intervenção psicológica a ser adotada dependendo do quadro. Para isso, ele deve conhecer as possibilidades de atuação, identificando as tendências atuais. Também deve agir dentro da ética da profissão e conhecer as modalidades de práticas psicológicas nos seus diversos contextos.

Avaliações psicológicas

É a partir da avaliação psicológica que o profissional terá condições para definir a melhor linha de tratamento. Nas disciplinas dessa área, o aluno vai aprender sobre os procedimentos da análise, princípios de avaliação e sobre instrumentos de medida (como a teoria dos testes ou o tempo de resposta de um paciente). Os conhecimentos dessa área é que vão capacitar o graduando a utilizar corretamente as técnicas e os instrumentos para efetuar uma avaliação psicológica.

Agora que você descobriu mais sobre o que se aprende no fascinante mundo da psicologia, não deixe de assinar nossa newsletter para ter sempre as melhores dicas sobre cursos e profissões!


Inscreva-se