Escolha da profissão: até que ponto devo ouvir meus pais?

As mudanças nos modelos trabalhistas alteraram a expectativa dos jovens quando se trata da escolha da profissão. Se há alguns anos ela era baseada no status e na garantia de estabilidade que poderiam trazer, hoje a geração Z (nascida no fim da década de 90) nutre um interesse muito maior em se arriscar por áreas que estimulem a criatividade e tragam desafios, com uma carga horária mais flexível e a possibilidade de crescer não estando “preso” a apenas uma empresa.

No entanto, essa inovação e a mudança que a tecnologia tem possibilitado para os novos profissionais ainda fazem parte de um campo desconhecido para a maioria dos pais, que nasceram após a 2º Guerra Mundial e enfrentaram um mercado de trabalho hostil, em um mundo onde as mudanças não estavam ao alcance de um clique.

Essa diferença de gerações e pensamentos, aliada a uma vontade de ver os filhos felizes e bem-sucedidos, pode gerar conflitos na hora da escolha da profissão ideal.

Se você está vivendo esse momento, não precisa se preocupar. Reunimos uma série de dicas que te ajudará a entender até que ponto é importante ouvir a opinião dos seus pais na escolha da profissão e como evitar brigas. Confira!

Quando os pais podem atrapalhar os filhos na escolha da profissão

Muitos são os fatores que influenciam a escolha da profissão. Predisposição individual, convivência social, valores pessoais, situação financeira e, principalmente, a opinião dos pais. Essa interferência é ainda mais notável em casos de pais bem-sucedidos profissionalmente, que já oferecem um caminho pronto para os filhos seguirem.

O problema está em quando a vontade desses pais se sobrepõe à dos filhos e o diálogo torna-se impossível. Muitos estudantes acabam pressionados a ingressar em um curso que não tem nada a ver com eles pelos motivos errados. Por exemplo, para famílias que enfrentam dificuldades financeiras ou que desejam continuar a “tocar” os seus negócios de prestígio, o dinheiro pode ser um fator essencial.

Porém, essa não deve ser a única meta na escolha de uma profissão. Afinal, mesmo que uma área seja promissora, dificilmente uma pessoa será bem-sucedida sem amor pelo que faz. Além de se tornar alguém frustrado, será um profissional que oferece um serviço ruim.

Para os pais, é importante entender que nem sempre o mercado de trabalho funciona da maneira que se imagina. De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, o número de desempregados com 11 anos ou mais de estudos aumentou de 265,9 mil pessoas em 2014 para 340,4 mil em 2015.

Com mais de 830 mil jovens que se formam anualmente nas universidades brasileiras, nem sempre um diploma é garantia de uma carreira estável e bem-sucedida. Até mesmo profissões consideradas tradicionais, como Direito e Engenharia, não são mais garantias de bons salários e estabilidade financeira, principalmente pelo grande número de formados nessas áreas, o que diminuiu a oferta de vagas profissionais e até mesmo os salários.

Até que ponto é importante ouvir os pais

É normal que a indecisão paire a cabeça de muitos jovens na escolha da profissão. E é aí que os pais podem fazer toda a diferença.

Para alguns, ter estabilidade, casa própria e um carro na garagem é a coisa mais importante. Já para outros, ver seus filhos conhecendo o mundo e tendo liberdade de criar a sua própria carga horária é o principal objetivo de vida. Não há um lado certo ou errado. São apenas posicionamentos diferentes.

Em vez de assumir o papel dos filhos durante a escolha da profissão, os pais devem apresentar as suas perspectivas e experiência pessoal no mercado de trabalho, principalmente para quem ainda nem ingressou na vida adulta.

É importante deixar também que esses jovens façam escolhas erradas, se arrependam e mudem o seu percurso de vez em quando. Isso faz parte do processo de amadurecimento de todos nós.

E para você, estudante que ainda não sabe o que fazer, mantenha o diálogo aberto com os seus pais. Muitas vezes, ao ouvir a opinião de quem nos conhece bem, acabamos descobrindo uma profissão cheia de possibilidades e que nos fará feliz. O mesmo vale para uma área que amamos, mas que ao conhecermos melhor durante o período da graduação, percebemos que não era nada daquilo que pensávamos.

Para tomar a melhor decisão, esqueça por alguns minutos as expectativas sociais e da sua família e se concentre no que é melhor para você, nas características que refletem a sua personalidade e as suas metas para o futuro. Um bom caminho é começa respondendo as seguintes perguntas:

  • “Eu conheço o mercado de trabalho e as previsões para o futuro das minhas áreas de interesse?”;

  • “A minha personalidade pode me fazer ser um destaque nessa profissão?”;

  • “Quais são as minhas metas a longo prazo?”; e, finalmente,

  • “O que me fará feliz?”.

Como evitar conflitos

Ao tentar expor o nosso ponto de vista, muitas vezes nos limitamos a gritar e impor a nossa decisão, mesmo não tendo tanta certeza se estamos certos ou errados. Isso é normal durante um período tão conturbado e decisivo como é a saída do ensino médio e a preparação para o vestibular e, consequentemente, para o mercado de trabalho.

O melhor caminho para evitar conflitos com os seus pais é o diálogo. Pode parecer um clichê, mas explicar os seus sonhos, objetivos de vida e o porquê do seu interesse sobre determinada profissão pode fazê-los entender melhor quem você está se tornando e aumentar o nível de confiança nessa relação.

Você pode estar dizendo nesse momento: “mas os meus pais não me ouvem”. Se o diálogo está difícil, tente trazer uma perspectiva realista sobre a área que deseja seguir e não apenas a baseada em seus sonhos. Por exemplo: conversem juntos com profissionais experientes da área ou façam pesquisas sobre o mercado de trabalho, melhores universidades e grades curriculares das profissões que te atraem.

Isso te ajudará a entender melhor a área que deseja seguir e se está tomando a decisão certa, e também mostrará o cenário e possibilidades daquela profissão para os seus pais. E, de quebra, aproximará a relação entre vocês.

E você, já passou por essa situação? Está encontrando dificuldades em escolher uma carreira para seguir? Se ainda não sabe qual a melhor escolha para a sua graduação, não deixe de conferir o nosso e-book com as profissões que estarão em alta até 2020!



Deixe uma resposta