Cursos de Engenharia: qual é a área ideal para você?

Muitas pessoas têm uma noção vaga do que os engenheiros fazem. Sabe-se que eles projetam coisas e que é uma profissão bem técnica, mas as possibilidades da área vão muito além disso.

Se você, alguma vez, já tentou parar e pensar sobre os diferentes tipos de engenharia que existem, são grandes as chances de que tenha ficado confuso também.

Não é à toa: hoje, existem cerca de 34 cursos diferentes dessa área no Brasil. E, com a evolução tecnológica andando rápido como está, não se assuste se aparecerem várias outros tipos de engenharia nos próximos anos.

Para que você tire a dúvida e entenda de vez o que separa cada um deles, criamos este texto com tudo que você precisa saber sobre os cursos de Engenharia: o que um engenheiro faz, os tipos de engenharia mais comuns e os requisitos para se tornar um engenheiro. 

Profissão engenheiro: o que esse profissional faz?

Se tem uma coisa que podemos considerar comum a todos os tipos de engenheiros, é a capacidade que eles têm de criar soluções práticas para problemas reais utilizando conhecimento científico, preparo técnico, criatividade e cálculo. Calma, não precisa se assustar se a matemática não é o seu forte! Vamos falar um pouco mais sobre isso adiante.

O engenheiro tem um conhecimento muito técnico da sua área de atuação, mas também um senso prático muito grande. Aplicar esse conhecimento no mundo real é o que permite chegar a melhorias na forma como uma coisa é feita, seja ela uma nova tecnologia, um prédio, um sistema aprimorado de saneamento ou alterações no DNA humano que permitem que ele se adapte e fique imune a alguma doença.

Para criar esse tipo de solução, ele tem que levar muitas coisas em conta: existe tecnologia disponível para resolver o problema? Existe dinheiro disponível para essa solução? Caso a resposta para essas perguntas seja “sim”, ele imediatamente cria um planejamento da solução, com todas as etapas bem detalhadas e tentando levar em consideração diferentes desdobramentos do problema.

O engenheiro é também a pessoa responsável por colocar esse planejamento em prática, se certificando de que tudo corra como planejado e se colocando à disposição para solucionar imprevistos. Ele é também um tipo de líder nessa etapa.

Como você já deve ter notado, para conciliar tanto pragmatismo e conhecimento teórico, são necessárias algumas habilidades, que podem ser naturais em algumas pessoas ou aprendidas, em outras. Afinal, os engenheiros costumam ter um perfil bem específico. E é exatamente sobre isso que vamos falar a seguir.

Qual é o perfil do estudante dos cursos de Engenharia?

Não existe um protótipo de engenheiro, nem de qualquer outra profissão. Claro, algumas qualidades são importantes, mas é melhor você pensar nelas como habilidades que pode treinar em si próprio. Afinal, ninguém nasce com o dom para uma profissão. Se você tem facilidade com alguns itens dessa lista, ótimo! Para dominar os outros itens, a solução é dedicação e trabalho duro!

Gosta de ciências exatas

O estudante desse curso deve, sim, ser bom em matemática e física. A temida disciplina de cálculo é algo com que ele terá que conviver durante toda a faculdade e, depois de formado, na vida profissional.

Dependendo do tipo de Engenharia que você escolha, vai passar por mais ou menos semestres com essa disciplina. Mas uma coisa é fato: não importa qual tipo de engenheiro você pretende ser, o cálculo está presente em todos. Se matemática não é exatamente o seu forte, saiba que, por outro lado, o perfil desses estudantes mudou muito nos últimos tempos.

Sabe lidar com pessoas

Como esse profissional trabalha muito coordenando equipes que vão realizar projetos planejados por ele, é fundamental que o estudante de Engenharia já se preocupe com algumas habilidades antes não tão valorizadas na área.

Os novos engenheiros devem se expressar bem, já que são responsáveis por comunicar a forma como acreditam que seus projetos devem  ser realizados. Além disso, é desejável que eles tenham espírito de liderança, sejam pragmáticos e saibam trabalhar em equipe.

É criativo e pragmático

Ele deve também ser flexível e criativo. O engenheiro lida, muitas vezes, com projetos inusitados: um terreno muito irregular, um cliente que quer um projeto que talvez nunca tenha sido feito antes em lugar nenhum, entre outras situações. Em alguns casos, seus únicos aliados para resolver um problema desses são a sua própria inventividade e uma boa dose de motivação e senso prático.

Sabe uma língua estrangeira e tem outros diferenciais

Nem é preciso mais dizer que hoje em dia é extremamente importante ter fluência em uma ou mais línguas estrangeiras, não é mesmo? Lembre-se de que, na faculdade ou na vida profissional, você pode lidar com situações em que precise fazer pesquisas e simplesmente não exista nada escrito em português sobre o tema em questão. Para essas situações e outras — como um intercâmbio, tão valorizado no mercado de trabalho atual —, saber inglês é quase uma necessidade.

Cuide também de desenvolver aquelas qualidades que fazem bem para qualquer profissão: proatividade, facilidade para trabalhar em equipe, espírito de liderança, capacidade de se manter informado e reconhecer tendências de mercado. Assim, você estará a caminho de se tornar um engenheiro de fazer inveja!

Não é, necessariamente, um homem

Por último, outra grande mudança no perfil do novo engenheiro é que cada vez mais mulheres aderem a essa profissão. Hoje, o número de mulheres engenheiras ainda é baixo, mas ele tende a aumentar bastante nos próximos anos, graças a qualidades muito encontradas em mulheres que são muito valorizadas na profissão, como a facilidade de se expressar, proatividade e capacidade de adaptação. Com a proporção feminina aumentando na profissão, tabus vão caindo e preconceitos são colocados de lado!

Confira quais são as principais áreas da engenharia

Como dissemos no início deste texto, há tantos tipos de engenharia diferentes que fica meio vago falar do curso sem entrar nas características de cada um deles. Abaixo, vamos tratar de alguns dos mais procurados.

Mas saiba que essa é uma área de atuação muito vasta e que não será muito surpreendente se surgirem novos tipos daqui pra frente, principalmente em certos setores da área tecnológica e da informática, para se somarem aos mais de 30 tipos já existentes. Vamos a eles:

Engenharia Civil

Quando falamos em engenharia, o engenheiro civil é o primeiro que vem à mente. Como você já deve imaginar, esse profissional é responsável por projetar, colocar em prática e acompanhar a construção de casas, prédios e quaisquer outras obras do tipo. Seu campo de atuação, portanto, é o da construção civil.

Hidrelétricas, barragens, estradas e parques estão entre os projetos desse engenheiro. O processo para uma construção como essa sair do papel é complexo: começa com uma análise bem detalhada do terreno, passa por um projeto que se adeque a ele e que leve em conta vários detalhes, como instalações elétricas (é preciso prever as melhores condições para que engenheiro eletricista cuide dessa parte já no projeto original), incidência de ventos e chuva, possibilidade de desastres naturais, entre outros.

Ele também tem que se preocupar com questões relacionadas ao conforto das pessoas que vão utilizar essa casa ou prédio depois de pronto, como ventilação, iluminação, saneamento básico, tubulações e uma série de outras coisas.

Esses detalhes estéticos e relacionadas ao conforto do ambiente interno costumam ser desenvolvidas pela arquitetura de interiores. Mas cabe ao engenheiro civil incluir no projeto original algumas possibilidades que o arquiteto pode desenvolver depois. Lembra quando falamos do trabalho em equipe?

Esse campo tem muita demanda, já que obras para melhorias de infraestrutura são sempre necessárias em qualquer cidade, grande ou pequena. Para você ter uma ideia, em 2012 a construção civil era o setor da economia brasileira que mais gerava empregos. Ótima notícia, certo? Mas, sendo realista, ele é, também, um setor muito sensível aos altos e baixos da economia. Durante a crise que vivemos, o setor de construção civil sofre com o desemprego.

O perfil do engenheiro civil é o de uma pessoa proativa, capaz de lidar com equipes grandes, muitas informações e criar soluções para problemas de forma rápida. Sem contar, claro, aquela capacidade técnica e de análise que todos os engenheiros têm.

Engenharia de Computação

O engenheiro de computação é um profissional que desenvolve projetos relacionados ao funcionamento de computadores e tecnologia de ponta. Se algum filme de ficção científica veio à sua cabeça quando leu isso, saiba que esses cenários não estão mais tão longe assim da realidade.

O curso de Engenharia da Computação, dito de maneira simples, prepara os alunos para desenvolverem hardwares (a parte “dura” dos computadores, isso é, processadores, mouses, circuitos internos e tudo o mais que se pode “pegar”) e softwares (programas e aplicativos). Embora nenhum engenheiro da computação ainda tenha dado vida a robôs como o C3-PO e o R2-D2 — aqueles robozinhos simpáticos do filme Star Wars —, a robótica e a inteligência artificial estão entre seus campos de trabalho.

Outras áreas de atuação desse profissional são a tecnologia automobilística, a informática e as empresas de telecomunicações. Com certeza, sua demanda ainda vai aumentar muito nos próximos anos, com a tecnologia desses setores avançando rápido como está.

No curso de Engenharia da Computação você vai estudar informática e tecnologia, além, claro, das disciplinas comuns a outros cursos da área, como matemática e física. Se o seu perfil é como o de tantos apaixonados por tecnologia, realidade virtual, inteligência artificial e outras questões do futuro da informática, esse é o curso ideal para você!

Engenharia de Controle e Automação

O engenheiro de controle e automação é o profissional que trabalha nas grandes indústrias, tornando automáticos os processos que um dia foram feitos manualmente. Se você quiser ter uma boa ideia de como isso funciona, basta se lembrar daquelas fábricas de carros com inúmeras máquinas na linha de montagem, parafusando, soldando e encaixando.

A procura por profissionais dessa área é muito grande e vem, além do setor automobilístico, também da mineração e da indústria portuária e do petróleo. Quase todo setor da grande indústria, na verdade, tem uma necessidade permanente de engenheiros de controle e automação, já que eles não só projetam as máquinas das linhas de produção como também dão assistência técnica a essas máquinas e aos softwares que as comandam.

Se você pretende optar por esse curso, prepare-se para estudar as clássicas disciplinas de Exatas — presentes em todas as modalidades de Engenharia — e também disciplinas de informática, mecânica e eletrônica. A parte divertida é que já na sua graduação você poderá projetar e dar vida às suas máquinas, ao melhor estilo Inspetor Bugiganga.

Explicado dessa forma pode parecer que os cursos de Engenharia da Computação e Engenharia de Controle e Automação se confundem. Mas isso não é verdade: o primeiro tem uma relação muito próxima com a informática, softwares, hardwares e tecnologias da informação. Já este último tem muito mais a ver com máquinas, seu funcionamento e manutenção. 

Engenharia de Produção

Agora, chegamos ao curso de Engenharia mais peculiar dessa lista. Como o nome “Engenharia de Produção” é um pouco vago, talvez você tenha pensado em indústrias, mas pode ter acontecido de não ter ido muito mais longe que isso. Para entender mais a fundo, vai ajudar se você pensar no engenheiro de produção de uma forma diferente da que pensa nos demais: encare-o como um gestor.

No início deste texto, dissemos que os engenheiros são pessoas capazes de usar conhecimento técnico para solucionar problemas reais, lembra? Pois o engenheiro de produção faz exatamente isso, mas de dentro de uma empresa, misturando conhecimentos das áreas de Engenharia e Administração.

Mais que isso: enquanto seus colegas de outras áreas planejam, põem em prática e gerenciam soluções para softwares, máquinas e edifícios, o engenheiro de produção faz o mesmo com pessoas. Ele atua, muitas vezes, na área de Recursos Humanos de empresas, aliando técnicas de gestão e economia. Sua função final é sempre a de tornar os processos da empresa mais produtivos e racionais, gerando lucro e evitando o desperdício de recursos.

E quando o assunto é não desperdiçar, têm se tornado cada vez mais importantes as questões ambientais, certo? Pois saiba que isso faz parte do trabalho do engenheiro de produção também. Afinal, hoje é muito importante que as empresas se adequem às novas leis ambientais que têm surgido. E a Engenharia de Produção, dentro de uma empresa, se encarrega de aplicar essas novas leis, tornando o dia a dia da indústria ambientalmente mais sustentável e mantendo a produtividade e competitividade da empresa no mercado.

O aluno que optar por esse curso vai dedicar uma boa parte das suas aulas de graduação a disciplinas da área de Humanas, como Administração e Economia (sim, a Economia é da área de Humanas). Claro, as disciplinas de Ciências Exatas estão no currículo também. O perfil desse profissional está muito próximo de uma espécie de líder corporativo.

Engenharia Elétrica

Tente se lembrar da última vez que passou por uma queda de energia. Depois de uns minutos pensando, você se viu sem nada pra fazer, não foi? Esse tipo de situação mostra o quanto somos dependentes da energia elétrica.

Assim como ela, o engenheiro eletricista está em todo lugar. Ele projeta instalações elétricas para as edificações do engenheiro civil, cria sistemas elétricos complexos que permitem que as máquinas do engenheiro de controle e automação funcionem. Sem ele, a profissão do engenheiro da computação, com seus softwares e hardwares, praticamente não existe.

O que torna este um dos ramos da engenharia mais atraentes e lucrativos é a expansão das áreas de telecomunicações e, principalmente, da energia renovável. Solar, térmica, eólica ou nuclear, a energia do futuro é do tipo que pode ser renovada. E os engenheiros eletricista é que vão adaptar o mundo para funcionar com essas novas formas de energia!

O mercado de trabalho exige que esse profissional saiba trabalhar em equipe, já que, como você viu, ele atua sempre junto com outros tipos de trabalhadores de outras áreas. Se esse é o curso de graduação para você, pode começar as suas pesquisas na área de energia renovável, pois, como dissemos, ela será uma tendência consolidada quando você sair da faculdade.

Engenharia Eletrônica

Calma! Não precisa se confundir com esses dois últimos tipos! Falamos da Engenharia Elétrica e agora é a vez da Engenharia Eletrônica. Embora os nomes sejam parecidos, elas são bem diferentes. O engenheiro eletrônico também entende da parte elétrica, mas ele está mais capacitado para desenvolver equipamentos e componentes eletrônicos.

Um bom exemplo: esse monitor que está na sua frente (ou o smartphone ou tablet na sua mão), com cada um dos seus componentes internos, foram projetados por um desses profissionais.

O mercado de trabalho para o engenheiro eletrônico é bem vasto, já que ele pode atuar em qualquer lugar onde seja necessário o uso de componentes eletrônicos. Você consegue imaginar uma situação em que isso não seja necessário hoje em dia?

E, com o desenvolvimento acelerado como está, não há muita chance de faltarem vagas de emprego para essa campo. Basta você ter gosto por novidades e acompanhar o desenvolvimento técnico da área que terá sempre boas oportunidades de trabalho.

São consideradas habilidades úteis para um engenheiro eletrônico ser detalhista — já que ele emite laudos e faz vistorias em peças minúsculas —, além de uma postura de liderança e capacidade de trabalhar em equipe, que são comuns para todas as engenharias. Ah, se pretende seguir esse curso como caminho profissional, recomendamos que vá desde já afiando seus conhecimentos de física, matemática e química.

Engenharia Mecânica

E por falar em física e matemática, se essas disciplinas são o seu forte, você já está um passo à frente para ser aprovado — e ter boas notas durante o curso — em Engenharia Mecânica. Outras características que compõem o perfil desse tipo de engenheiro são a paixão por máquinas de todos os tipos. Não é raro encontrar fanáticos por carros antigos e aviões de última geração entre eles.

Isso porque o engenheiro mecânico trabalha projetando e supervisionando a produção de máquinas e motores, mas também de ferramentas e sistemas de aquecimento e refrigeração para essas máquinas.

É uma área muito vasta de atuação, mas os setores que mais contratam são o automobilístico e o aeronáutico. Além deles, os setores relacionados com a extração de petróleo também contratam muitos engenheiros mecânicos todo ano.

Como acontece com todos os tipos de Engenharia, o aluno do curso de Mecânica se forma em cinco anos, na média, depois de fazer um estágio supervisionado e um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Há vários fatores que devem ser considerados quando vamos escolher uma profissão, como bons salários, facilidade de se colocar no mercado de trabalho e também uma afinidade com aquela ocupação. Afinal, ao menos de início, é isso o que você pretende fazer pela vida afora.

Os diferentes cursos da área de Engenharia requerem uma série de habilidades e, como vimos, algumas vezes essas habilidades podem ser bem diferentes entre si, como no caso das disciplinas de Ciências Exatas e Ciências Humanas para a Engenharia de Produção.

Pense nessas habilidades não como talentos naturais com os quais você nasceu, mas sim como fruto de um trabalho de aprendizado. Para qualquer curso superior há requisitos que apresentamos naturalmente, mas também outros que consideramos mais difíceis e que demandam esforço e dedicação para adquirirmos.

Temos certeza de que, se você se interessou realmente por um desses cursos de Engenharia, é capaz de se tornar esse profissional ao mesmo tempo tão técnico e tão pragmático, que realiza uma das profissões que mais transformaram e transformam o nosso mundo ao longo do tempo. Para isso, basta trabalho duro, perseverança e aplicação nos estudos!

Agora que você já descobriu como são diferentes entre si os cursos de Engenharia e já que se mostrou tão interessado por essa área, que tal baixar o nosso e-book “Guia dos Engenheiros: saiba tudo sobre as carreiras que estarão em alta nos próximos anos”? Lendo este texto aqui junto com o e-book, você será um especialista em engenharia antes mesmo de entrar para a faculdade!



Deixe uma resposta