Como a dieta e exercícios podem melhorar o desempenho nos estudos Como a dieta e exercícios podem melhorar o desempenho nos estudos

Como a dieta e exercícios podem melhorar o desempenho nos estudos

Que boa alimentação e exercícios físicos são fundamentais para a boa saúde, todo mundo já ouviu várias vezes. Mas você sabia que ter esses bons hábitos na sua rotina pode fazer milagres pela sua mente e pela sua capacidade de concentração e, assim, potencializar seu desempenho nos estudos?

A prática de exercícios físicos é uma grande aliada no aumento da resistência física. Além disso, aumenta a produção de dopamina, noradrenalina, endorfina e serotonina, substâncias que promovem o relaxamento, a sensação de bem-estar e até de analgesia.

Entenda no post de hoje como a alimentação e a prática de atividades físicas atuam diretamente no sucesso do seu desempenho nos estudos:

Alimentação, aliada poderosa do bom desempenho nos estudos

Ninguém melhor do que um nutricionista para dizer do que seu corpo realmente precisa — para que uma dieta seja realmente eficaz, ela deve ser direcionada para as demandas do seu corpo. Porém, de forma geral, uma alimentação rica em nutrientes é fundamental para um bom desempenho cognitivo, concentração e memória.

Para atuar no desenvolvimento cognitivo, é importante ter fontes de vitamina B6 (presente no frango, banana e cereais integrais), B12  (presente na carne e ovos) e ácido fólico (contido no feijão, brócolis e vagem). Outras substâncias fundamentais para o bom funcionamento do cérebro são

  • Ácidos graxos poliinsaturados: atuam diretamente na composição das células nervosas e ajudam a regular a energia do cérebro. São encontrados no azeite, óleo de canola e linhaça;

  • Ômega 3: diretamente ligado ao desenvolvimento cerebral, é encontrado nos peixes, semente de linhaça, chia ou nozes, mas também pode ser ingerido em cápsulas;

  • Zinco: além de combater o envelhecimento das células cerebrais, o zinco ainda fortalece o sistema imunológico. É encontrado no tomate, pimentão, beterraba e oleaginosas (castanhas, amêndoas e  nozes).

Energia para o cérebro

Uma série de estudos vem analisando a forma como alguns alimentos agem no cérebro, atuando como estimulantes. Alguns deles são conhecidos da maioria das pessoas, como o café, o chá e o guaraná. Mas você sabe quais são seus os efeitos no cérebro?

Eles podem ser extremamente positivos, desde que consumidos com parcimônia. O excesso desses estimulantes pode comprometer seu sono, por exemplo, e o bom descanso é importantíssimo para um bom desempenho nos estudos. Conheça o que alguns alimentos poderosos para estimular seu cérebro:

  • Café: contém alta dosagem de cafeína, que aumenta a capacidade de vigília e a velocidade da reação, melhora a memória e o aprendizado a curto prazo. A cafeína inibe a ação da adenosina, o neurotransmissor responsável pela sensação de sono e cansaço, e ainda estimula a dopamina, reduzindo a sensação de cansaço;

  • Chá: além de ter uma concentração maior de cafeína do que o café, o chá ainda contém uma substância chamada L-teanina, que induz ao relaxamento. Porém, pela presença da cafeína, o relaxamento ocorre sem perder a capacidade de ficar alerta. Por isso, o chá pode melhorar o desempenho sob estresse, a concentração e a redução da ansiedade;

  • Guaraná: contém uma substância chamada guaranine, com uma estrutura semelhante à da cafeína, porém com mais potencial energizante. Além disso, melhora a circulação e oxigenação e tem ação calmante e analgésica, sendo um poderoso aliado no combate ao estresse e dores de cabeça;

  • Ginseng: é uma planta que atua na vasodilatação, favorece a oxigenação do cérebro, inibe a produção de cortisol (o hormônio do estresse) e reduz a sensação de fadiga.

Mente sã, corpo são

O bom condicionamento físico está diretamente relacionado à boa saúde — disso ninguém mais duvida. Mas vamos nos aprofundar mais um pouco: você sabia que os exercícios físicos podem trazer enormes benefícios para o seu desenvolvimento cognitivo?

Ao incorporar atividades físicas na sua rotina, os ganhos são melhora da concentração, maior rapidez na aprendizagem, estímulo à criatividade, mais resistência mental e um grande auxílio no combate ao estresse.

Isso sem contar que elas impactam positivamente no aumento do seu bem-estar, humor e produtividade. Uma das causas disso é o aumento da produção de endorfina, um neurotransmissor com papel importantíssimo.

Conheça a endorfina, sua grande companheira

Você já deve ter ouvido falar da endorfina, mas sabe do que se trata? Ela, assim como a dopamina, é um neurotransmissor que atua diretamente na sensação de bem-estar. Isso reflete nas condições do seu corpo, que funciona melhor, e influencia positivamente o seu humor e a sua disposição.

Quem já pegou nos cadernos cansado ou depois de uma noite mal dormida sabe que os estudos não rendem. Portanto, ao incluir a prática de atividades físicas no dia a dia, saiba que você estará desenvolvendo uma grande fonte de endorfina na sua vida e consequentemente potencializando o desempenho nos estudos.

Dê adeus aos analgésicos

Quem passa horas sentado em frente aos livros ou computador sabe que está sujeito às dores nas costas e de cabeça. O mesmo acontece naquelas fases em que a pressão no trabalho ou nos estudos aumenta, seja pela época de provas ou de apresentar resultados, quando você começa a sentir os efeitos do estresse. Aqui, mais uma vez, a endorfina pode entrar em ação, por ter grande poder analgésico.

Além disso, um corpo mais forte e resistente se desgasta menos ao passar horas e horas na mesma posição, com intensa atividade cerebral. Um exemplo interessante: você sabia que o ioga é uma atividade especialmente criada para que os praticantes da meditação tivessem mais resistência ao passar muito tempo meditando na mesma posição? A sabedoria milenar do ioga já conhecia a associação entre atividade física, aumento da resistência e o bom desempenho da mente.

Falta de tempo, um dos maiores inimigos dos exercícios e boa alimentação

Pergunte para alguém sedentário qual é a razão de ele não praticar nenhuma atividade física e a resposta mais comum certamente será: “Não tenho tempo!”. Sabemos que essa é, de fato, uma grande verdade. A correria do dia a dia empurra todo mundo para o sedentarismo, estresse e alimentação errada.

Porém, por incrível que pareça, praticar atividade física é justamente algo que vai te deixar muito mais disposto, com melhor capacidade de concentração e resistência! É interessante inverter essa equação e começar a pensar na boa alimentação e nos exercícios físicos como um investimento na sua produtividade.

Como se manter motivado e incorporar boas práticas na rotina

A princípio, você vai precisar de disciplina e de acreditar nos benefícios dos hábitos mais saudáveis. Pense nisso como um ótimo investimento em você mesmo. Assim que você começar a sentir os impactos positivos dos exercícios e da alimentação saudável refletindo no desempenho nos estudos, a motivação vai ganhar cada vez mais força.

Para conseguir dar continuidade, escolha uma atividade que você gosta: nadar, dançar, praticar esportes, correr ao ar livre, o que funcionar melhor para você. É importante encarar esse momento como lazer e relaxamento. Caso contrário, pode perder o sentido, certo?

Encontrar uma prática que dê prazer também é uma boa forma de incentivar os hábitos alimentares mais saudáveis, uma vez que a boa alimentação influencia diretamente no desempenho físico. Assim, dão-se as mãos a saúde e o sucesso no desempenho nos estudos!

Agora que você conhece a importância da alimentação e dos exercícios físicos para um bom desempenho nos estudos, confira nossas dicas de como ter uma alimentação saudável mesmo com a rotina corrida!



Inscreva-se