7 habilidades acadêmicas mais valorizadas no mercado de trabalho 7 habilidades acadêmicas mais valorizadas no mercado de trabalho

7 habilidades acadêmicas mais valorizadas no mercado de trabalho

É muito comum acreditar que a experiência acadêmica contribui para a formação de um aluno apenas em relação aos conteúdos aprendidos durante a graduação, ou seja, que o aprendizado da faculdade é muito mais teórico do que prático.

No entanto, existem diversas habilidades acadêmicas que aprendemos nesse período e que são essenciais a qualquer profissional, independentemente da área de atuação. Que tal descobrir quais são essas habilidades?

Confira nossa lista:

Saber trabalhar em equipe

A graduação oferece diversas oportunidades a seus alunos para trabalharem em equipe. Seja por meio de discussões coletivas em sala de aula ou de trabalhos em grupo, esses contextos acadêmicos estimulam a cooperação em torno de um objetivo comum e ensinam alunos a fazerem concessões, além de contribuir para o senso de responsabilidade e compromisso dos membros de cada grupo.

Todas essas habilidades podem ser igualmente aproveitadas no âmbito profissional. No mercado de trabalho, a procura por profissionais que saibam trabalhar em equipe é cada vez maior. É preciso lidar com pessoas de diferentes setores no dia a dia das empresas, trabalhar simultaneamente em vários projetos, bem como saber usar a cooperação como forma de atingir os objetivos centrais da organização.

Ter senso crítico no dia a dia

Outra habilidade muito trabalhada nos alunos de graduação é o desenvolvimento de um senso crítico mais apurado sobre os mais diversos temas. Ter senso crítico não significa ter uma opinião sobre tudo, como é comum entre jovens e adolescentes. No ambiente acadêmico, ao contrário, o que se busca é que os alunos saibam questionar temas, analisar situações e fundamentar seus argumentos por meio de bases sólidas de conhecimento. Ou seja, criticar com fundamentação e informações apuradas.

E no mercado de trabalho? Profissionais que têm senso crítico apurado são mais valorizados no ambiente organizacional. Eles conseguem enxergar futuros problemas em projetos, identificar falhas de percurso e, o que é mais importante, melhorar a qualidade dos serviços prestados por meio de perspectivas inovadoras e que não sejam “mais do mesmo”. Simplesmente concordar com tudo que o chefe propõe não é garantia de bom respaldo entre colegas de trabalho. Ao contrário, faz com que você não evolua na carreira.

Conseguir apresentar suas ideias de forma clara

Por mais tímido e introvertido que você seja em termos de personalidade, é imprescindível que você consiga apresentar suas ideias de forma clara e objetiva em algum contexto acadêmico. Apresentações de trabalho, provas orais, arguições no cotidiano da sala de aula, entre outras situações são maneiras de demonstrar a colegas e professores seus conhecimentos, opiniões e habilidades.

No contexto profissional, essa também é uma característica muito valorizada. Seja qual for sua área de atuação, é importante que você tenha habilidades mínimas de relacionamento interpessoal para conseguir expor suas ideias, apresentar fatos, vender produtos, argumentar em favor de projetos, entre outras situações do dia a dia.

Prestar atenção a detalhes

Durante a graduação, é trabalhado no aluno um nível maior de exigência em relação a detalhes, como referências bibliográficas, especial atenção a dados estatísticos nas argumentações, uniformização de modelos de relatório, correção gramatical e ortográfica, etc. Para alguns alunos, essas exigências do professor nos trabalhos e atividades cotidianas de sala de aula podem até parecer maçantes, mas são na verdade extremamente importantes para sua formação.

Da mesma forma, no ambiente de trabalho, essa atenção a detalhes serve como suporte para suas argumentações e ideias profissionais. Relatórios técnicos, redação de projetos, avaliações, fichas cadastrais e outros documentos do dia a dia são cheios de detalhes e informações que, se redigidas com erro, podem até mesmo comprometer a existência da empresa, gerar processos judiciais, perdas econômicas, prejuízos a clientes, entre outras questões. Por isso a atenção a detalhes é tão importante no contexto profissional.

Ter flexibilidade e adaptação em cenários diversos

São vários os contextos em que alunos são obrigados a se adaptar e produzir academicamente. Seja em disciplinas de uma grade obrigatória, seja em estágios e em outras atividades extracurriculares com as quais eles não se identificam normalmente, esses são desafios que desenvolvem nos alunos capacidade de adaptação, criatividade e flexibilidade.

Em ambientes profissionais, essas características também são valorizadas. Há maior espaço e reconhecimento para profissionais capazes de lidar com áreas nas quais ainda têm pouca experiência, com projetos inovadores, ou até mesmo com desafios novos que o mercado apresenta às empresas. Essas pessoas conseguem ascender mais rapidamente na carreira, bem como chegar a cargos de gestão com maior facilidade.

Persistir para atingir seus objetivos

Quais são os objetivos de um aluno de graduação? Além de conseguir seu diploma, podemos citar conciliar estágios ou períodos de trabalho com as atividades acadêmicas, aproveitar da melhor maneira possível as oportunidades e conhecimentos que o curso lhe oferece, entre outras coisas. Para isso, é preciso muita persistência. Durante a graduação, há que se enfrentar situações adversas, como a falta de tempo, eventuais dificuldades financeiras, disciplinas desafiadoras, etc.

Aqui também há um aprendizado que se leva para o mercado de trabalho. Nem sempre o profissional começa sua carreira exatamente na área em que quer trabalhar, ou na posição e com a remuneração que esperava. Além disso, é preciso considerar que a persistência para atingir seus objetivos profissionais também é muito valorizada em cargos de liderança, bem como em empreendedores que almejam abrir o próprio negócio.

Solucionar problemas com criatividade e raciocínio lógico

Problemas são uma constante no contexto acadêmico: como solucionar demandas da sociedade? Qual política econômica é melhor para o país? Quais sintomas devem ser identificados para diagnosticar uma doença? Essas e outras perguntas são constantes para alunos de diversos cursos. Aprender a solucionar essas questões por meio de raciocínio lógico e criatividade é uma habilidade que se aprende no curso da graduação, por meio das disciplinas da grade curricular.

No mercado de trabalho, raciocínio lógico e criatividade são uma habilidade com as quais nem todos os profissionais podem contar — e justamente por isso ela é tão valorizada. Esses profissionais são mais propensos a se destacar no dia a dia da empresa, oferecer soluções criativas para os problemas cotidianos, pensar “fora da caixa” e garantir ideias inovadoras em relação à concorrência, etc.

O que achou dessas habilidades acadêmicas? Elas com certeza corroboram a importância de ter uma graduação no currículo, independentemente da área do mercado de trabalho em que você atue!

Quer continuar a receber publicações e informações como essa? Então assine nossa newsletter!


Inscreva-se