Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Jessica Sillas de Freitas
Título(s): O EFEITO DA QUIMIOTERAPIA NO CONSUMO ALIMENTAR, ESTADO NUTRICIONAL E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM NEOPLASIAS COLORRETAIS
Resumo: [pt] A população brasileira encontra-se em processo de envelhecimento e o avançar da idade é um dos fatores de oncogênese. O câncer de colón e reto é o segundo câncer mais incidente nos homens e mulheres, sendo que quanto maior a faixa etária, maior o risco. Dentre os tratamentos antineoplásicos a quimioterapia pode diminuir os índices de recidiva e melhorar a sobrevida geral. O acompanhamento nutricional dos pacientes oncológicos, em especial o idoso, contribui para a obtenção de melhores níveis de qualidade de vida e maior eficácia terapêutica. Uma detecção precoce das alterações nutricionais, toxicidade do tratamento e qualidade de vida permite a intervenção em momento oportuno. Objetivo: Avaliar o efeito da quimioterapia no consumo alimentar, o estado nutricional e a qualidade de vida em pacientes com neoplasias colorretais em tratamento quimioterápico. Casuística e Métodos: Estudo de pesquisa epidemiológica observacional, com delineamento descritivo transversal de campo realizado Ambulatório de Gastroenterologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com 35 pacientes de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 50 anos. Resultados: Foram coletados no período de janeiro a agosto de 2019, 35 pacientes com idade média de 67,5 anos, 51,4% homens, 82,9% com localização tumoral em colón sigmoide e reto e a maioria em estadiamento avançado. O consumo alimentar foi menor e as diferenças foram estatisticamente significantes para energia, carboidratos, lipídios, folato, selênio, magnésio e ferro após a infusão da quimioterapia. Em relação ao estado nutricional, segundo a ASG-PPP, 94,3% dos pacientes apresentaram desnutrição, sendo que 48,6% desnutrição grave. Na avaliação das atividades de vida diária, 34,3% apresentaram algum grau de dependência funcional e quanto a qualidade de vida, os pacientes apresentaram piora do desempenho de papel, função física e dor. Conclusão: O tratamento impactou na redução do consumo alimentar dos pacientes imediatamente após a realização da sessão de quimioterapia, o que demostra a importância de orientação e intervenção nutricional, principalmente energética, após o procedimento. A composição corporal entre uma sessão e outra não se alterou, uma vez que o estado nutricional se mostrou comprometido na maioria dos pacientes. O nível de dependência e a qualidade de vida pioraram ao decorrer do tratamento, e a maior frequência de toxicidade ocorreu após a infusão. Assim, o presente estudo demonstrou que a intervenção nutricional deve ocorrer no momento do diagnóstico, até o término do tratamento, principalmente entre cada sessão de quimioterapia, visando melhorar a adequação da ingestão alimentar de todos os nutrientes, manter ou recuperar o estado nutricional e colaborar com melhor qualidade de vida.
Resumo: [en] -
Titulação: Mestrado em Ciências do Envelhecimento
Orientador (a): Rita de Cássia de Aquino
Banca

-

Assuntos: -
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica