Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Márcia Gouvea
Título(s): PERFIL SÓCIODEMOGRÁFICO E DE SAÚDE DE UMA AMOSTRA DE IDOSOS LONGEVOS DE DIFERENTES CONTEXTOS DO ESTADO DE SÃO PAULO
Resumo: [pt] O envelhecimento da população é uma tendência global incontestável, sendo que os idosos com 80 anos ou mais anos, denominados longevos, representam o segmento populacional que mais cresce. Esse aumento implicou em um novo cenário epidemiológico, caracterizado por múltiplas doenças crônicas não transmissíveis, morbidades e dependência funcional, responsáveis por privar o idoso de uma vida autônoma e saudável, por esta razão classificar grupos e entender a dinâmica que os permeia é essencial para embasar intervenções com objetivo de primar sempre por uma melhor qualidade de vida. O objetivo da presente pesquisa foi descrever as características sóciodemográficas e as condições de vida e saúde de um grupo de longevos. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, de abordagem quantitativa. A população foi composta por 104 idosos com idade de 80 anos ou mais, de ambos os sexos. Os dados foram obtidos por meio de questionário estruturado com informações sociodemográficas, as doenças crônicas autorreferidas e as condições de saúde. Aplicou-se o MEEM para rastreio cognitivo, utilizou-se o índice de Katz e a escala de Lawton e Brody para avaliar a capacidade funcional e os instrumentos WHOQOL-BREF e o WHOQOL-OLD para avaliar a qualidade de vida. Os dados foram analisados utilizando-se o software GraphPad Prisma 6.0. Constatou-se que a faixa etária variou de 80 a 94 anos, com média de 83 anos, predomínio de mulheres e viúvas, a maioria são aposentados e/ou pensionistas, com baixa escolaridade e vivem em domicílios multigeracionais. As doenças mais prevalentes foram hipertensão, artrite/artrose, diabetes mellitus, câncer, osteoporose, depressão, doença pulmonar obstrutiva crônica e os medicamentos mais utilizados foram os de ação nos sistemas cardiovascular, reumático e ósseo. A maioria classificou sua qualidade de vida como boa e apresentaram percepção positiva de saúde. Nas AAVD, 84,62% dos idosos são mais ativos, 49,04% são parcialmente dependentes para as AIVD, enquanto 32,69% são dependentes parciais para as ABVD. Ressalta-se a necessidade de repensar ações mais efetivas para a melhoria da saúde desse estrato populacional, dada a potencial relevância das doenças crônicas no perfil da morbimortalidade brasileira, assim conhecer quais são as demandas pode-se contribuir com o reordenamento das políticas públicas.
Resumo: [en] Population aging is an indisputable global trend with elderly people aged 80 years and over, called long-lived, representing the fastest growing population segment. This increase implied a new epidemiological scenario, characterized by multiple chronic non-communicable diseases, morbidities and functional dependence, responsible for depriving the elderly of an autonomous and healthy life. For this reason, classifying these groups and understanding their dynamics is essential to support interventions with the aim of always striving for a better quality of life. The aim of this research was to describe the sociodemographic characteristics and the living and health conditions of a group of long-lived people. This is a descriptive, cross-sectional study with a quantitative approach. The population consisted of 104 elderly people aged 80 years or over, from both sexes. The data were obtained through a structured questionnaire with sociodemographic information, self-reported chronic diseases and health conditions. The MMSE was applied for cognitive screening, the Katz index and the Lawton and Brody scale were used to assess functional capacity and WHOQOL-BREF and WHOQOL-OLD instruments to assess quality of life. The data were analyzed using the GraphPad Prisma 6.0 software. The results were that the age-range varies from 80 to 94 years old, with an average of 83 years, predominantly women and widows, most retired and / or pensioners, with low education and live in multigenerational households. The most prevalent diseases were hypertension, arthritis / osteoarthritis, diabetes mellitus, cancer, osteoporosis, depression, chronic obstructive pulmonary disease and the most used drugs were those with action on the cardiovascular, rheumatic and bone systems. Most rated their quality of life as good and had a positive perception of health. In AAVD, 84.62% of the elderly are more active, 49.04% are partially dependent for IADL, while 32.69% are partially dependent for BADL. The need to rethink of new and effective actions to improve the health of this population stratum is emphasized, given the potential relevance of chronic diseases in the profile of Brazilian morbidity and mortality. Thus, knowing what the demands are, one can contribute to the reorganization of public policies for these people.
Titulação: Mestrado em Ciências do Envelhecimento
Orientador (a): Marta Ferreira Bastos
Banca

-

Assuntos: Envelhecimento; idoso com 80 anos ou mais; Doença Crônica; Capacidade Funcional; Atividades cotidianas; Qualidade de Vida.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica