Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Mariana de Freitas Corrêa
Título(s): Propriedades psicométricas da Escala de Robustez Mental no esporte para atletas brasileiros adultos (RME-A)
Resumo: [pt] Entender como os atletas desenvolvem e melhoram suas capacidades psíquicas é um grande desafio para a Psicologia do Esporte. Porque alguns atletas lidam melhor com situações de adversidade e fracassos enquanto outros sucumbem ou porque alguns parecem não se abalar com situações inesperadas são alguns questionamentos instigantes dessa área. A compreensão e a explicação dos componentes psicológicos geradores destas diferenças tem se revelado um componente fundamental a contribuir com o diagnóstico e o desenvolvimento de intervenções adequadas em nível de treinamento, visando a competitividade e os melhores rendimentos no esporte. O construto psicológico “Mental Toughness”, traduzido para o português como “Robustez Metal” (RM), tem sido utilizado para explicar essas diferenças e o alto desempenho de alguns atletas. No entanto, no Brasil ainda há uma escassez de estudos referente ao construto bem como uma escala validada para mensurar a Robustez Mental em atletas brasileiros. Assim sendo, para minimizar essa deficiência, a presente dissertação, teve por objetivo elaborar e verificar as propriedades psicométricas da Escala de Robustez Mental no esporte para atletas brasileiros adultos (RME-A). Para tanto, foi utilizada uma amostra não probabilística, intencional, composta por 413 atletas profissionais, sendo (feminino n=207 e masculino n=205, de 15 modalidades esportivas, com idades entre 18 e 38 anos (21,6±4,26), com pelo menos um ano de experiência na modalidade e que participavam de competições oficiais regularmente. A escala foi elaborada de acordo com o modelo teórico dos 4C’s (control, commitment, challenge and confidence), que traduzidos para o português ficaram (controle, compromisso, desafio e confiança). Por meio do recurso da Análise Fatorial Confirmatória foi possível verificar índices de ajustamento aceitáveis ao modelo teórico examinado (χ2 = 103,79, p <0,000; RMSEA = 0,07, GFI = 0,98, AGFI = 0,97, NFI = 0,91, NNFI = 0,95, CFI = 0,96, χ2 / df = 1,73). Os resultados apontam também para boa consistência interna (cargas fatorias (0,50), valor de t (>1,96) e confiabilidade composta (>0,60). A análise de convergência entre a Escala RME-A e a Escala de Resiliência aponta para correlações positivas e significativas (p<0,05). Em conformidade, os resultados encontrados suportam a evidência de validade da Escala RME-A com propriedades psicométricas aceitáveis, podendo, portanto, constituir-se como uma ferramenta útil para avaliar a Robustez Mental de atletas brasileiros adultos.
Resumo: [en] Understanding how athletes develop and improve their psychic abilities is a major challenge for Sport Psychology. Because some athletes deal better with situations of adversity and failures while others succumb or because some seem not to be shaken by unexpected situations are some instigating questions in this area. Understanding and explaining the psychological components that generate these differences has proved to be a fundamental component contributing to the diagnosis and development of appropriate training interventions aiming at competitiveness and better performance in sport. The psychological construct "Mental Toughness" has been used to explain these differences and the high performance of some athletes. However, in Brazil there is still a shortage of studies regarding the construct as well as a validated scale for measuring Mental Toughness in Brazilian athletes. Therefore, in order to minimize this deficiency, this dissertation aimed to elaborate and verify the psychometric properties of the Mental Toughness Scale in sport for Brazilian adult athletes (RME-A). A non-probabilistic, intentional sample of 413 professional athletes was used (female n = 207 and male n = 205, from 15 sports modalities, aged between 18 and 38 years (21.6 ± 4.26 ), with at least one year of experience in the modality and who participated in official competitions regularly.The scale was elaborated according to the theoretical model of the 4C's (control, commitment, challenge and confidence). Through the Factorial Confirmatory Analysis, it was possible to verify adjustment indices acceptable to the theoretical model examined (χ2 = 103,79, p <0.000; RMSEA = 0,07, GFI = 0,98, AGFI = 0,97, NFI = 0,91, NNFI = 0,95, CFI = 0,96, χ 2 / df = 1,73). The results also point to good internal consistency (factor loads ≥0,50), t-value (> 1.96) and composite reliability (> 0,60). The convergence analysis between the RME-A Scale and the Resilience Scale points to positive and significant correlations (p <0,05). Accordingly, the results found support the validity evidence of the RME-A Scale with acceptable psychometric properties, and can therefore be a useful tool to evaluate the Mental Toughness of Brazilian adult athletes.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador (a): Maria Regina Ferreira Brandão
Banca

-

Assuntos: Esportes – aspectos psicológicos , Avaliação psicológica, Instrumentos, Comportamento humano
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica