Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Márcia dos Santos Sermarini
Título(s): Evidências de validade da escala de robustez mental para o esporte juvenil (RME-J)
Resumo: [pt] A Robustez Mental no Esporte (RME) é considerada como uma importante habilidade psicológica no esporte de rendimento. Entretanto, apesar de sua importância, não há um instrumento específico para avaliá-la em atletas juvenis brasileiros. Sendo assim, o presente estudo objetivou elaborar uma Escala de Robustez Mental no Esporte para atletas Juvenis brasileiros, avaliar suas propriedades psicométricas, analisar os resultados de convergência entre RME-J, Escala de Motivação e a Escala de Resiliência e verificar a adequabilidade da Escala RME-J com a teoria dos 4 C’s. A escala inicial foi composta por 40 itens que contemplavam quatro dimensões psicológicas (designados 4C’s) da Robustez Mental: confiança, comprometimento, controle e desafio. A análise psicométrica da escala foi realizada por meio da validade exploratória, confirmatória e convergente e os testes estatísticos, efetuados através do software SPSS, versão 20.0. Para a análise de convergência, utilizou-se a Escala de Motivação no Esporte (EME-BR) e a Escala de Resiliência para atletas brasileiros (BRS). Participaram da amostra 953 atletas, de ambos os sexos, com idades entre 14 e 17 anos, de 19 modalidades esportivas. Como resultado, temos um modelo ajustado que validou 14 itens e confirmou que a Robustez Mental é um constructo multidimensional, composto pelas dimensões dos 4C’s. Os resultados apresentaram consistência interna e cargas fatoriais com valores dentro do recomendado. A nova escala passou a ser denominada de Escala de Robustez Mental para o Esporte Juvenil (RME-J). O teste de confiabilidade composta mostrou índices satisfatórios em todas as dimensões: desafio (0.58), controle (0.59), confiança (0.76) e compromisso (0.70). A análise convergente mostrou que a desmotivação apresentou correlação negativa com todas as subescalas de RME, uma correlação significativa e positiva com as subescalas de motivação intrínseca, e não houve correlação significativa com as subescalas de motivação extrínseca. A Robustez Mental também se correlacionou de forma positiva e significativa com a resiliência. Esses resultados permitem concluir que a RME-J é uma ferramenta válida para avaliar a Robustez Mental em atletas juvenis brasileiros e apresenta boa validade convergente entre o constructo robustez mental e a motivação intrínseca e a resiliência.
Resumo: [en] Sports Mental Toughness (SMT) is considered as an important psychological construct of psychological abilities for the sport of income. However, although important, there is no specific instrument to evaluate mental toughness in Brazilian athletes. In this sense, the present study aims to elaborate and evaluate the psychometric properties of the Mental Toughness Scale for Brazilian juvenile athletes, analyze the results of convergence between SMT-J, Scale of Motivation and the Resilience Scale and to verify the adequacy of the RME-J Scale with the 4 C's theory.. An initial scale was elaborated with 40 items that contemplate four psychological dimensions (4C’s) of mental toughness: confidence, commitment, control and challenge. The psychometric analysis of the scale was performed through exploratory, confirmatory and convergent validity, and statistical tests were performed using SPSS software, version 20.0. For the convergence analysis the Sports Motivation Scale (EME-BR) and the Resilience Scale for Brazilian athletes (BRS) were used. The study involved 953 athletes, both boys and girls, aged 14 to 17 years, from 19 sports modalities. The adjusted model validated 14 items and confirmed that mental toughness is a multidimensional construct composed of four dimensions of 4C’s. The results presented internal consistency and factorial loads with values within the recommended one. The new scale was renamed RME-J. The composite reliability test showed satisfactory indexes in all dimensions: challenge (0.58), control (0.59), confidence (0.76) and compromise (0.70). The convergent analysis showed that demotivation presented negative correlation with all SMT subscales and a significant and positive correlation with the intrinsic motivation subscales, there was no significant correlation with the extrinsic motivation subscales. Mental toughness also correlated positively and significantly with resilience. These results allow us to conclude that SMT-J is a valid instrument for assessing mental toughness in Brazilian juvenile athletes and has good convergent validity between the construct mental toughness and intrinsic motivation and resilience.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador (a): Maria Regina Ferreira Brandão
Banca

-

Assuntos: Robustez mental, Motivação, Resiliência, Aspectos psicológicos nos esportes, Psicologia do adolescente
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica