Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Mariana Busson Machado e Silva
Título(s): Lugares de memória difícil: iniciativas de preservação na cidade de São Paulo
Resumo: [pt] Com o crescimento da população idosa cria-se a necessidade de maior atenção a esta faixa etária, especificamente, no que diz respeito às possíveis doenças crônicas que acometem o idoso. O diabetes mellitus tipo 2 (DM 2) está entre as doenças crônicas mais frequentes e suas especificidades podem interferir diretamente na qualidade de vida e sintomas depressivos, dificultando ainda mais o tratamento. O objetivo geral do trabalho foi compreender e analisar os aspectos psicológicos de pacientes idosos em tratamento do diabetes. Tratou-se de uma pesquisa de campo do tipo descritiva, quali-quantitativa e transversal. A coleta dos dados foi realizada no Ambulatório de Endocrinologia e Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Foram utilizados os seguintes instrumentos: questionário de identificação com perguntas relativas aos dados antropométricos e exames laboratoriais; questionário sociodemográfico; entrevista semidirigida; escala de qualidade de vida abreviada (WHOQOL-Bref), escala complementar sobre a qualidade de vida em idosos (WHOQOL–Old), escala de depressão geriátrica (GDS-15), prancha 14 do teste de apercepção temática para idosos (SAT) e questionário desiderativo. Participaram da pesquisa 35 idosos diabéticos, a maioria do sexo masculino (60%), com idade média de 68 anos, 65,7% casados, 42,9% aposentados, com grau de escolaridade entre o fundamental completo e o ensino médio incompleto. Os participantes tinham renda mensal de um a dois salários mínimos; residiam com mais pessoas, sendo filhos e/ou netos e a maioria custeava as suas despesas sozinhos. Praticavam atividade física e tinham hipertensão associada ao DM 2. Os participantes apresentaram sobrepeso, controle glicêmico inadequado, baixa qualidade de vida e ausência de sintomas depressivos. Os idosos encararam o diagnóstico da doença com naturalidade, mas apresentam pouca rede de apoio para lidar com o tratamento. Apresentaram dificuldade de entrar em contato com seus sentimentos e emoções, bem como, abordaram temas ligados à solidão, ao abandono e à baixa autoestima. Todos esses fatores podem dificultar ainda mais a relação do idoso com o diabetes e a adesão ao tratamento.
Resumo: [en] There is a great concern to the elderly population, specifically with regard to the possible chronic diseases that affect this age group. Type 2 diabetes mellitus (DM 2) is among the most frequent chronic diseases and its specificities can interfere with quality of life and depressive symptoms, making treatment even more difficult. The objective of the study was to understand and analyze the elderly patients psychological aspects in diabetes treatment. This was a descriptive, qualitative and cross-sectional field research. Data was collected at Ambulatório de Endocrinologia and Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). The following instruments were used: identification questionnaire (anthropometric and laboratory exams data); sociodemographic questionnaire; semidirectional interview; quality of life scale (WHOQOL-Bref), complementary scale on quality of life for the elderly (WHOQOL-old), geriatric depression scale (GDS-15), satisfaction test (board 14) for elderly (SAT) and desiderative questionnaire. The study included 35 elderly people, mean age of 68 years, 60% male, married couples (65.7%), retirees (42.9%), with a grade of schooling between elementary school and incomplete secondary school. Participants have a minimum monthly fee; they lived with more people, being children and/or grandchildren and a large cost as their expenses alone. Participants practiced physical activity and had hypertensive events related to DM 2. Participants were overweight according to BMI, inadequate glycemic control, poor quality of life and absence of depressive symptoms. The elderly considered the diagnosis of the disease naturally, but presented little support network to deal with the treatment. They presented difficulties to get in touch with their feelings and emotions, as well as, they addressed issues related to loneliness, abandonment and low self-esteem. All of these factors may further hamper the elderly's relationship with diabetes and adherence to treatment.
Titulação: Mestrado em Ciências do Envelhecimento
Orientador (a): Adriana Machado Saldiba de Lima
Banca

-

Assuntos: Patrimônio Cultural. Preservação. Políticas Públicas. Memória.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica