Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Regina Helena Marques Pereira
Título(s): Produtos de glicação avançada e sua interação com fatores de risco precursores de doença cardiovascular no processo de envelhecimento
Resumo: [pt] As doenças cardiovasculares (DCV) se destacam por serem a maior causa de mortalidade no Brasil e sua incidência aumenta na população idosa. Os produtos de glicação avançada (AGE) estão relacionados ao aumento da inflamação e parecem ter um papel importante na disfunção endotelial e na rigidez arterial, comuns ao processo de envelhecimento. O presente estudo avaliou o consumo de AGE e sua correlação com o estado inflamatório, disfunção endotelial, aterosclerose subclínica e rigidez arterial no processo do envelhecimento. O consumo alimentar foi avaliado através de recordatórios de 24 horas. Avaliamos a proteína C reativa ultrassensível (PCRus), a presença de espessamento médio intimal (EMI) por ultrassonografia com doppler colorido, a disfunção endotelial através da Dilatação Mediada pelo Fluxo (DMF) e a rigidez arterial pela Velocidade de Onda de Pulso (VOP). Foram avaliados 30 pacientes com 40 anos ou mais. Os participantes consumiram em média 18459+6766 KU/dia de AGEs e tiveram média de autofluorescência da pele (AF) de 2,8+0,7 UA. A ingestão de AGEs se associou à piora da DMF em indivíduos eutróficos (n=10; r=-0,68; p<0,05). A AF apresentou a associação com EMI em eutróficos (r = 0,669; p< 0,05) e associação com DMF em indivíduos obesos (n=10; r = -0,662; p< 0,05). A idade foi associada ao EMI (r=0,451; p<0,05) e VOP (r=0,595; p<0,05), no total da amostra (n=30), com aumento de risco relativo para rigidez arterial (RR=1,43; p<0,05), além de EMI (RR=1,9; p<0,05). A PCR (0,73+ 0,95 mg/dL) não se associou ao consumo e à formação de AGEs, mas se correlacionou à PAS (r = 0,405; p< 0,05). Nossos achados demonstram que indivíduos eutróficos apresentaram pior função endotelial e maior espessamento carotídeo, ambos relacionados, repectivamente, ao consumo e formação de AGE, na vigência do processo de envelhecimento. A idade permanece como fator independente na gênese das DCVs. Estudos futuros são necessários para elucidar a associação entre os AGEs e o risco cardiovascular, visando sugerir novo alvo terapêutico para redução de morbimortalidade da população em processo de envelhecimento.
Abstract: [en] Cardiovascular diseases (CVD) are the largest mortality cause in Brazil and your incidence increases in the elderly population. Advanced Glycation Endproducts (AGE) are related to increase inflammation and seem to play an important role in endothelial dysfunction and arterial stiffness, common to the aging process. The present study evaluated the AGE consumption and its correlation to the inflammatory state, the endothelial dysfunction, the subclinical atherosclerosis and the arterial stiffness in the aging process. Dietary intake was evaluated using 24-hour food recalls. We evaluated the high sensitivity C-reactive protein (hs-CRP), the presence of carotid intima-media thickness (IMT) by Color Doppler ultrasonography, the endothelial dysfunction through flow-mediated dilation (FMD) and the arterial stiffness by the pulse wave velocity (PWV). Thirty patients aged 40 years or older were evaluated. Participants consumed 18459 + 6766 KU/day of AGEs and had 2.8 + 0.7 AU of skin autofluorescence (SAF). The AGE ingestion was associated with FMD worsening in eutrophic individuals (n=10; r=-0.68; p<0.05) The SAF presented the association with IMT in eutrophic (r = 0.669; p < 0.05) and association with DMF in obese group (n = 10; r =-0.662; p < 0.05). Aging was associated with IMT (r = 0,451; p < 0.05) and PWV (r = 0,595; p < 0.05), in the total sample (n = 30), with increased relative risk for arterial stiffness (rr = 1.43; p < 0.05), and EMI (RR = 1.9; p < 0.05). CRP (0.73 + 0.95 mg/dL) was not associated with the AGEs consumption and formation but correlated to SBP (r=0.405; p<0.05). Our findings show that eutrophic individuals presented worse FMD and greater IMT, both related, repectively, to the consumption and formation of AGE, in the presence of the aging process. Aging remains an independent factor to CVDs genesis. Future studies are necessary to clarify the association between AGEs and cardiovascular risk, aiming to suggest a new therapeutic target to reduce morbidity and mortality at the aged population.
Titulação: Mestrado em Ciências do Envelhecimento
Orientador (a): Profa. Dra. Adriana Machado Saldiba de Lima
Banca

-

Assuntos: idoso, aterosclerose subclínica, risco cardiovascular, função endotelial, produtos de glicação avançada
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica