Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Tiago de Amorim Santos
Título(s): Relação entre fatores de risco da síndrome metabólica, tempo ativo e sedentário e autoconceito em adolescentes.
Resumo: [pt] Introdução: a epidemia mundial de obesidade aumentou a prevalência de doenças metabólicas, como a síndrome metabólica que afeta a população cada vez mais jovem, aumentando os riscos de morbimortalidade precoce. A Federação Internacional de Diabetes estabeleceu critérios para a definição da síndrome metabólica em adolescentes, sendo a circunferência de cintura um fator obrigatório somado a alteração de outros dois fatores, dentre eles: triglicérides, glicemia, HDL-c e pressão arterial. Outro fator importante é o estado psicológico de adolescentes, pois pode afetar sua interação social com os pares e reduzir envolvimento com práticas saudáveis à medida que o adolescente apresenta baixo autoconceito. Objetivo: analisar a prevalência de síndrome metabólica e dos fatores associados como o excesso de peso, comportamento ativo e sedentário e sua relação com o autoconceito de adolescentes na faixa etária de 15 a 18 anos. Métodos: estudo descritivo com delineamento epidemiológico de corte transversal. Fizeram parte do estudo 190 adolescentes de ambos os sexos, estudantes do Ensino Médio de uma Escola Técnica Estadual da cidade de São Paulo. Foram coletados dados antropométricos, hemodinâmicos, amostras de sangue para determinar os fatores de risco da síndrome metabólica e questionários estruturados de autoconceito e tempo ativo/sedentário. Resultados: a prevalência de síndrome metabólica foi de 1,1% e só estava presente nas adolescentes do sexo feminino. O autoconceito físico foi significativamente menor nos adolescentes com ≥ 2 fatores de risco da síndrome metabólica em relação ao grupo “nenhum fator”. O autoconceito físico dos adolescentes do sexo masculino correlacionou-se negativamente com o índice de massa corporal e com a circunferência de cintura. Já a circunferência de cintura das adolescentes do sexo feminino mostrou correlação negativa com os autoconceitos físico e social. O tempo fisicamente ativo, correlacionou-se de forma positiva com o autoconceito atlético de ambos os sexos. Então, por meio da modelagem de caminhos estruturais foram observadas influências negativas de 30% das variáveis bioquímicas, 16% das hemodinâmicas e 12,6% das antropométricas no autoconceito dos adolescentes do sexo masculino, já o tempo fisicamente ativo mostrou exercer uma influência positiva de 40,6% no autoconceito dos adolescentes do sexo masculino. Conclusão: esse estudo encontrou menor prevalência de síndrome metabólica do que outros estudos com adolescentes de outros países. Foi encontrada relação entre os fatores de risco da síndrome metabólica e autoconceito, sendo que esses fatores exerceram influência negativa no autoconceito e o tempo fisicamente ativo influência positiva. Contudo, o tempo sedentário não mostrou influenciar o autoconceito nesse grupo de adolescentes, mas outros estudos mostram ser um importante indicador de risco metabólico. Entretanto, outros estudos são necessários para compreender se os fatores de risco da síndrome metabólica são causa ou efeito do baixo autoconceito em adolescentes.
Abstract: [en] Introduction: the worldwide obesity epidemic has risen the prevalence of metabolic diseases, like the metabolic syndrome, which has been affecting the increasingly young population, rising the risks of precocious morbimortality. The International Diabetes Federation has set up criteria for the definition of metabolic syndrome among adolescents, being the waist circumference a mandatory factor associated with the alteration of two other factors, like: triglycerides, blood glucose, HDL-c and blood pressure. Another important factor is the psychological state of the adolescent, as it can affect their social interaction with their peers and reduce their involvement with healthy practices, once the adolescent shows low self-concept. Objective: analyze the prevalence of metabolic syndrome and the factors associated with overweight, active and sedentary behavior and their relation with the self-concept of adolescents aging from 15 to 18. Methods: descriptive study with a cross-sectional epidemiological design. A total of 190 adolescents, both boys and girls, enrolled in the High School of a State Technical School in the city of São Paulo, participated of the study. It was collected anthropometric and hemodynamic data; blood samples to determinate the risk factors for metabolic syndrome; structured questionnaires on self-concept and active/sedentary time. Results: the prevalence of metabolic syndrome was of 1.1%, and only appeared among the female. The physical self-concept was significantly lower among adolescents with ≥ 2 metabolic syndrome risk factors, in relation to the group “without any factor”. The physical self-concept of the male adolescents correlated negatively with the body mass index and with the waist circumference. As for the waist circumference of the female adolescents, it showed negative correlation with the social and physical self-concepts. The physically active time correlated positively with the athletic self-concept of both sexes. Then, through structural modeling, it was observed negative influences of 30% of the biochemical variables, 16% of the hemodynamics, and 12.6% of the anthropometric ones in the self-concept of the male adolescents, whereas the time physically active showed positive influence of 40.6% in the self-concept of the male adolescents. Conclusion: this study found lower prevalence of metabolic syndrome than other studies with adolescents from other countries. It was found relationship between risk factors of the metabolic syndrome and self-concept, and these factors had a negative influence on selfconcept, while the physically active time had a positive influence. However, sedentary time has not been shown to influence self-concept in this group of adolescents, although other studies see it as an important indicator of metabolic risk. Nevertheless, other studies are needed for the understanding of whether the metabolic syndrome risk factors are cause or effect of low self-ncept in adolescents.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador (a): Prof. Marcelo Callegari Zanetti
Banca

-

Assuntos: Síndrome metabólica, Autoconceito, Autoconceito de adolescentes.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica