usjt

Jornal da Extensão

Moradores do Quilombo da Fazenda Picinguaba aprovam projeto do Laboratório Empresa

Professores e estagiários foram recebidos na comunidade onde foi realizada a apresentação do projeto

Situado no litoral norte de São Paulo, na cidade de Ubatuba, o Quilombo da Fazenda Pincinguaba abriga 186 pessoas, entre adultos e crianças. No dia 29 de setembro de 2012, professores e estagiários do Laboratório Empresa (Labemp) visitaram a comunidade para apresentar a proposta de melhoria do local sem que, contudo, se percam as raízes quilombolas. Dentre as sugestões apresentadas, está a implantação de um restaurante e uma loja para venda de produtos característicos da região.

Em 2007, a Eletrobrás Furnas levou energia elétrica para a região e cedeu 10 computadores para criar um telecentro. Desde então, houve duas trocas de micros. Hoje são máquinas novas às quais todos têm acesso. De acordo com o engenheiro Shinji Yoshino, agente do Programa Luz Para Todos, “o objetivo do programa é levar energia elétrica às áreas que não têm. Naquelas em que já existe há um incentivo para elaboração de projetos sustentáveis com o uso da energia”, explica Yoshino.

Procurada pela Furnas, que busca parcerias com instituições que possam contribuir com a implantação desses projetos, a Universidade São Judas Tadeu (USJT), através do Laboratório Empresa, iniciou estudos no local para que a comunidade se torne autossustentável.

Com o intuito de aprimorar a região e manter as origens do quilombo, o Labemp elaborou um projeto que visa à instalação de um Centro Comunitário de Produção (CCP), que funcionará com a mão de obra local, e de um restaurante. Há ainda a construção de uma loja que será abastecida pelo Centro Comunitário com produtos típicos da região, principalmente a partir da banana.

Atualmente, a renda das famílias provém da polpa da juçara - um tipo de palmito - e da mandioca, cuja farinha é produzida no próprio Quilombo. A banana pode ser aproveitada para doces, licores e refeições. Bolsas e acessórios podem ser produzidos com as folhas da bananeira.

Numa iniciativa do Ministério da Cultura, o Quilombo realiza o Ponto de Cultura Olhares de Dentro, um projeto que estimula a manifestação da cultura quilombola por diferentes linguagens. Segundo Edirlaine Reis, monitora no Ponto de Cultura, “o projeto aproxima as crianças das músicas próprias da cultura quilombola, principalmente o fandango que há muito tempo não é tocado na região”, declara a instrutora. A música é mais desenvolvida com crianças e jovens, enquanto o artesanato atrai os adultos.

A proposta do Laboratório Empresa foi bem recebida pela comunidade e a entrega final do plano com a assinatura do protocolo entre as partes será realizada em breve. A fase subsequente é a implementação do projeto após a aprovação dos órgãos competentes.

home

Unidade Mooca - R. Taquari, 546 - Mooca - São Paulo/SP - CEP 03166-000

Unidade Butantã - Av. Vital Brasil, 1000 - Butantã - São Paulo/SP - CEP 05503-001

© 2000 / 2017 Universidade São Judas Tadeu

01 02 03 04