Comunicação Social – Habilitação em Radialismo (Rádio e TV), Jornalismo, Publicidade e Propaganda



Faculdade de Letras, Artes, Comunicação e Ciência da Educação

Curso de Jornalismo: Egressos em Pauta

Egressos em Pauta

É com satisfação recebermos e conhecermos as histórias de nossos ex-alunos. Seus sucessos, suas aventuras e lutas no mundo jornalístico.

Este espaço foi criado para que nossos egressos possam contar suas atividades na vida profissional e como a vida acadêmica colaborou na jornada que apenas está no início.

Bem-vindos de volta e contem-nos suas histórias!

Leia os depoimentos de nossos egressos:

Da Universidade para o Mundo

A Universidade São Judas Tadeu surgiu na minha vida aos 17 anos, no vestibular de 2001. Passei em 11º lugar e ali iniciava um dos mais bem sucedidos casos de amor da minha trajetória. Escolhi o Jornalismo como área a ser defendida, após cogitar me aventurar pela Fisioterapia e pela Nutrição e a minha escolha não poderia ter sido mais acertada. Após um primeiro ano sem festas no fim de semana, para estudar para as provas de Filosofia e de Sociologia, descobri no segundo ano uma parte do universo mágico da minha profissão. A interação com novas mídias, as aulas práticas e, até mesmo as aulas de Semiótica, foram os primeiros passos para os novos horizontes que o jornalismo traria.

Foi também no segundo ano de faculdade que, ao lado de grandes amigos, reavivamos as Semanas de Jornalismo, o que permitiu ter contato direto com profissionais do setor, além de ser uma experiência que motivaria a minha primeira contratação como jornalista formada. Em 2003, convidei o Fotosite para palestrar na São Judas, e em 2006, fui contratada por eles. Gosto de contar esta história porque acredito que a universidade motivou essa descoberta e, consequentemente, o início da minha carreira. O tempo na São Judas acabou em dezembro de 2005, depois de encarar os programas matutinos nas aulas de rádio, o quebra-cabeça das aulas de Jornalismo Online, as matérias para o jornal Expressão e as entrevistas para o programa Pauta Aberta, do Canal Universitário. Contudo, eu não queria ir embora.

Eu não sabia, mas a vida fora dos limites universitários seria muito generosa, uma vez que, no Fotosite, eu me tornei editora-chefe, com apenas 23 anos, e apresentaria um programa para a internet através do Portal Terra. Em diferentes épocas do ano, eu ainda acumulava viagens pelo Brasil para mediar debates relacionados à fotografia fine art. O tempo passou, fui contratada pela revista de turismo Brasil Travel News e o jornalismo me levaria ao mundo, em viagens pela Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Panamá, Barbados, República Dominicana, Cuba, Dubai, Marrocos, Jordânia, Paris, além de quase todo o Brasil. Em cada desembarque, aventuras e experiências magníficas entravam na mala.

Quando achei que a São Judas já era uma vaga memória, recebi, em 2012, um convite para palestrar na unidade Mooca durante a Semana de Comunicação, e para minha alegria reencontrei grandes mestres da casa. Aquele mês de outubro ficaria guardado com carinho. Em 2014, voltaria à faculdade, mais uma vez na posição de palestrante, na unidade Butantã. Ambos os momentos me fazem lembrar aqueles últimos dias de 2005, quando eu não queria ir embora da São Judas, mas hoje, não tenho dúvidas de que a faculdade continua em mim, e de que é sempre reconfortante voltar ao lugar onde minha história profissional começou.

BREVE CURRÍCULO

Flávia Lelis é graduada Bacharel em Jornalismo, pela Universidade São Judas. Em sua carreira profissional, atuou como repórter do site Fotosite e da revista Pix (2006), e assumiu o cargo de editora-chefe das revistas Fotosite e Clix (2007-2010). Apresentou o programa Fotosite TV para o portal Terra. Ainda na universidade se tornou autora do livro-reportagem Entre a Senzala e a Casa Grande: o negro a caminho do ensino superior.  Desde 2010 é repórter da revista de turismo Brasil Travel News, onde acumula variadas viagens nacionais em internacionais. Participou da Semana de Comunicação, em 2012, com a palestra Jornalismo e Turismo, na Universidade São Judas (Mooca) e, em 2014, participou novamente do evento com a palestra Jornalismo XXI: um novo profissional em construção, na unidade Butantã. 

Flávia Lelis ex-aluna do curso de Jornalismo

 

Através dos olhos de Vivi...

Nascida e criada na cidade de São Paulo, Vivi Zanatta é a primeira de sua família a cursar uma universidade e obter o grau de Bacharel em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade São Judas Tadeu (USJT). O que era um sonho se tornou realidade. Através de treinamentos contínuos, oficinas e cursos, o seu desenvolvimento profissional constante caminha de mãos dadas com o compromisso de uma aprendizagem contínua que é mantida e arraigada em suas atividades e comportamentos diários.

Várias pessoas da sua época de USJT foram e são importantes. Elas ajudaram Vivi a ter fé e esperança durante suas aulas, dizendo que um jornalismo de qualidade também pode ser feito mantendo uma boa alma e coração.

Enquanto estudava, Vivi teve a oportunidade de fazer um estágio no Grupo Estado. Mais tarde, ela foi contratada como repórter. Já dentro da redação foi convidada a integrar o time de fotojornalistas, o que lhe deu a experiência para transformar seus estudos no sentido da Comunicação Multimídia, Informação Pública, Assuntos Humanitários e Questões Globais.

Em seus cinco anos de trabalho no Grupo Estado, Vivi Zanatta desenvolveu fotografias, pautas e textos, tanto de forma independente assim como em conjunto à equipes de diversas editorias. Além disso, Vivi desenvolveu a capacidade de identificar ângulos interessantes para histórias e entrevistas, participar de excelentes relações com a mídia, a nível global, regional e nacional. Ela também ganhou uma maior compreensão e experiência de trabalho como jornalista em muitas comunidades vulneráveis.

O Grupo Estado é um grupo de mídia que detém o jornal "O Estado de S. Paulo", a agência de notícias "Agência Estado", as rádios "Eldorado AM" e "Eldorado FM," a plataforma de soluções multimídia “Planeta Serviços Digitais”, e o website "Estadão". Com sede na cidade de São Paulo,  foi criado em 1875.

Através do trabalho de Vivi para a Agência Estado, ela ainda conta com muitas de suas fotografias sendo publicadas na Reuters, Agence France-Presse (AFP), Agencia EFE, Lusa Brasil, Associated Press (AP), World Picture Network LCC/NE, Extra Communication, International Press, Revista Veja, Revista Época, Isto É, Revista Exame, Revista Carta Capital, Revista Casa & Jardim, Revista Dinheiro, Revista Desafios do Desenvolvimento, Editora Scipione, Editora Moderna, Editora Saraiva, Editora SEOMAN, Multiprinter Editora e Tecnologia, O Globo, Globo.com, G1, Terra Networks, UOL, MSN, IG do Brasil, Yahoo do Brasil, Jovem Pan, APEOESP, Conlutas, NTU (Brasília), Partido dos Trabalhadores (PT), Revista PIB, no próprio jornal O Estado de S. Paulo e nos outros veículos do Grupo Estado, além de outros meios de comunicação ao redor do planeta.

No ano de 2010, Vivi Zanatta deu um grande passo em sua carreira e mudou-se para Washington D.C., nos Estados Unidos, onde começou a trabalhar para a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) – organismo internacional de saúde pública com mais de 100 anos de experiência que visa melhorar a saúde e a qualidade de vida nos países das Américas. Além disso, a OPAS é uma agência especializada do Sistema Interamericano (OEA) e serve como o Escritório Regional para as Américas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Como parte de seu trabalho diário na Organização, Vivi desenvolveu boas habilidades de posicionamento diplomático internacional, executou campanhas e escreveu textos para um público alvo multicultural, mantendo um envolvimento pró-ativo com a mídia e agências internacionais, gerenciou conteúdo para internet com parceiros da Organização e desenvolveu projetos de comunicação em um cenário internacional.

Uma de suas tarefas como parte da equipe do Departamento de Comunicação foi ser responsável pelo Plano de Comunicação da Cooperação Espanhola. Suas responsabilidades incluíam o desenvolvimento, gestão e coordenação do Plano de Comunicação da OPAS com o Governo Espanhol e suas agências. Isto incluiu páginas da web, blogs e mídias sociais, tais como: Twitter, Facebook, YouTube, Flickr, Picasa, LinkedIn etc.

Atualmente, o trabalho de Vivi Zanatta é fornecer soluções poderosas de multimídia ao redor do mundo e contribuir com os esforços estratégicos de colaboração entre os países, organizações internacionais, ONGs e o setor privado para melhorar a qualidade da comunicação com foco em histórias, roteiros, documentários, produção, edição, fotografia, tradução, narração, campanhas, eventos, blogs, websites e redes de comunicação social.

Além disso, ela ainda doa seu tempo como professora voluntária da língua portuguesa, onde passou a entender como as emoções, especialmente o entusiasmo, podem motivar os outros. Através de suas aulas contínuas com esses alunos ansiosos de vários países, ela aprendeu muito sobre as diferentes culturas.

Vivi sempre quis aprender mais sobre a relação entre educação, tecnologia e comunicação. Seu questionamento pessoal diário está relacionado com a pergunta: Até que ponto a comunicação se difere entre as línguas?. Além disso, esta é uma grande oportunidade de aplicar seu conhecimento teórico e prático em sistemas internacionais de informação e educação.

Desde o ano de 2000, está na Indústria de Comunicação e seu trabalho tem sido amplamente publicado em grandes organizações, agências, revistas, jornais, editoras, blogs, websites, redes sociais e indústrias de comunicação corporativa.

Vivi Zanatta cobriu grandes eventos tais como: o mais trágico acidente aéreo do Brasil – voo TAM 3054; ataques em São Paulo coordenados por partidos do crime organizado; pior incidente na história do metrô de São Paulo – a Linha 4 (Linha Amarela) quando um túnel de acesso desabou; visita do Papa Bento XVI a São Paulo; concertos musicais; carnaval em São Paulo; agenda do Presidente; eleições no Brasil; Conselho Diretivo (50º e 51) da OPAS; documentários e entrevistas no México para um Curso de Formação; cobertura jornalística no Panamá para o curso de avaliação de treinamento da OPAS no impacto dos desastres em comunidades vulneráveis; cobertura jornalística em Salamanca e Madrid para as atividades de colaboração entre a cooperação do Governo Espanhol com a Organização Pan-Americana da Saúde; participação como representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20; além de muitas outras coberturas.

Dentre seus prêmios e menções honrosas, ela ganhou o 7º Prêmio Estado, em 2007, na categoria Fotografia pela foto "Na mira: Serra brinca com fogo”.

Vivi é jornalista, repórter, apresentadora, roteirista, editora, produtora, fotógrafa, cinegrafista, especialista em mídia e web, filha, irmã, esposa, mãe, amiga, mulher vibrante, forte, digna, entusiasmada, dedicada, sincera, leal e cidadã do mundo.

“Eu sou dessas que acredita que se você quer ir rápido, vai sozinho, se quer ir longe vai em grupo. Um ajudando o outro, formando assim uma corrente… Cada vez maior, cada vez mais forte e mais parceira… Construindo um mundo mais saudável, tolerante e sustentável, pro presente e pro futuro” – Vivi Zanatta.

Acesse aos trabalhos de Vivi Zanatta em http://vivizanatta.com

Vivi Zanatta – Ex-aluna de Jornalismo, formada em 2007

Unidade Mooca - R. Taquari, 546 - Mooca - São Paulo/SP - CEP 03166-000 | Unidade Butantã - Av. Vital Brasil, 1000 - Butantã - São Paulo/SP - CEP 05503-001

© 2000 / 2017 Universidade São Judas Tadeu