Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Osvaldo Rodrigues de Souza Filho
Título(s): [pt] A construção imagética da cidade como símbolo do poder: fotojornalismo e arquitetura em Nova York, 1900-1950
Resumo: [pt] O objetivo desta pesquisa é abordar a imbricação entre a fotografia e a imagem da arquitetura no processo de construção, asserção e consolidação da identidade de Nova York. A ênfase recai sobre a representação imagética do poder norte-americano nos anos 1900-1950, quando os arranha-céus, a Grande Depressão, a 2ª Guerra Mundial e o American Way of Life colocaram os Estados Unidos, definitivamente, em posição de destaque nos jornais e revistas de todo o mundo. Especificamente na fotografia, a revista Life foi uma publicação proeminente nesse processo, suas imagens da cidade e de suas construções foram instrumentos muito poderosos de codificação de um discurso cujo propósito era a disseminação do credo americano, capitalismo, livre empresa e liberdade de expressão, como única forma possível de se alcançar uma sociedade justa. A introjeção dessa ideia por parte do público leitor é analisada pela ótica da fenomenologia, colocando-se o embate entre realismo e idealismo na produção e edição da imagem fotográfica jornalística. Nesse sentido, a representação visual de uma Nova York em transformação foi determinante na consolidação da condição de “capital do mundo” para essa metrópole.
Abstract: [en] The purpose of this research is to address the overlap between the photo and the architecture of the image in the process of construction, assertion and consolidation of the New York identity. The emphasis is on the imagery representation of American power in the years 1900-1950, when the skyscrapers, the Great Depression, the World War II and the American Way of Life put the United States definitely in a prominent position in newspapers and magazines from around the world. Specifically on the photography, Life magazine was a prominent publication in this process, their images of the city and its skyscrapers were very powerful tools for coding a speech whose purpose was the spread of the American creed, capitalism, free enterprise and free speech, as the only possible way of achieving a just society. The introjection of this idea by the reading public is analyzed from the perspective of phenomenology, placing the struggle between realism and idealism in the production and editing of journalistic photographic image. In this sense, the visual representation of a changing New York was decisive in consolidating the status of "capital of the world" to this metropolis.
Titulação: Mestre em Arquitetura e Urbanismo
Orientador (a): Profª Fernando Guillermo Vázquez Ramos
Banca

-

Assuntos: Fotografia, Arquitetura, Representação.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica