Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Jurema Carmona Sattin Cury
Título(s): [pt] Efeitos do treinamento resistido e de diferentes dietas proteicas sobre o ventrículo esquerdo de ratas idosas ovariectomizadas. Aspectos bioquímicos, morfológicos, ultraestruturais e imunohistoquímicos
Resumo: [pt] As doenças cardiovasculares (DCV) integram o grupo das doenças crônicas não transmissíveis que apresentam maiores índices de mortalidade no Brasil e no mundo, afetando principalmente a população idosa. Nas mulheres além das alterações promovidas pelo envelhecimento, as modificações endócrino funcionais moduladas pelo processo da menopausa, contribuem para uma maior incidência das DCV nesse grupo. é consenso que a alimentação adequada e a atividade física constituem importantes intervenções no tratamento e prevenção dessas doenças. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar os efeitos do treinamento resistido e de diferentes dietas proteicas sobre o ventrículo esquerdo de ratas ovariectomizadas quanto aos parâmetros biométricos, bioquímicos, histomorfométricos, ultraestruturais e imunohistoquímicos. Foram utilizadas 64 ratas linhagem Wistar, divididas em oito grupos: Grupo controle vegetal sedentário (CVS), Grupo controle vegetal treinado (CVT) Grupo vegetal ovariectomizado sedentário (VOS), Grupo vegetal ovariectomizado treinado (VOT), Grupo controle animal sedentário (CAS), Grupo controle animal treinado (CAT), Grupo animal ovariectomizado sedentário (AOS), Grupo animal ovariectomizado treinado (AOT), de acordo com os protocolos de ovariectomia, dieta e treinamento resistido a que foram submetidos durante 12 semanas. Ao término desse período, os animais foram eutanasiados, o sangue coletado para as análises bioquímicas e amostras do ventrículo esquerdo foram retiradas e preparadas para análises histomorfométricas, ultraestruturais e imunohistoquímicas. Os dados obtidos para cada grupo foram tabulados e comparados estatisticamente pelo teste ANOVA e post hoc de Tukey com nível de significância de p ‹ 0,05. Nossos resultados mostraram a influência da ovariectomia e, portanto, da supressão hormonal no ganho de massa corporal e de massa do tecido adiposo visceral independente da dieta, que não foram revertidos pela intervenção do treinamento. O grupo ovariectomizado sedentário submetido a dieta predominantemente animal apresentou tendência ao aumento da massa cardíaca e ventricular esquerda. O treinamento resistido aplicado nesse grupo confirmou essa tendência, diferentemente do grupo ovariectomizado de dieta predominantemente vegetal, em que tal intervenção promoveu a redução da massa ventricular esquerda, sugerindo assim um ajuste mais adequado. Embora não se tenha observado alterações nos parâmetros bioquímicos entre os vários grupos com as intervenções propostas, os índices glicêmicos exibiram melhores valores nos grupos ovariectomizados treinados. Em relação aos aspectos morfométricos, o grupo ovariectomizado treinado submetido a dieta proteica predominantemente animal apresentou maior densidade de volume dos capilares e menor densidade de volume do interstício quando comparado ao grupo ovariectomizado submetido á dieta proteica predominantemente vegetal, indicando assim uma melhor condição do tecido cardíaco, fato também confirmado em relação ás porcentagens das densidades de volume e da distribuição das fibras colágenas do tipo I e do tipo III no miocárdio desses animais. Nossos dados revelaram que o treinamento resistido associado ás dietas proteicas predominantemente animal e vegetal mostrou-se eficiente em relação ás respostas biométricas, bioquímicas morfométricas e imunohistoquímicas apresentadas pelas ratas idosas ovariectomizadas estudadas em nosso trabalho, sugerindo assim, que tal associação possa constituir uma interessante estratégia de intervenção não farmacológica no tratamento de mulheres menopausadas, uma vez que propiciou melhorias na condição cardíaca, embora o maior impacto desse benefício tenha sido conferido aos animais que consumiram a dieta proteica predominantemente animal.
Abstract: [en] Cardiovascular diseases (CVD) in the group of chronic noncommunicable diseases with the highest mortality rates in Brazil and worldwide, affecting mainly the elderly population. In women beyond the changes brought about by aging, functional endocrine changes modulated by the menopause process, contribute to a higher incidence of CVD in this group. There is consensus that proper nutrition and physical activity are important interventions in the treatment and prevention of these diseases. The objective of this study was to evaluate the effects of resistance training and different protein diets on the left ventricle of ovariectomized rats as biometric, biochemical, morphometric, ultrastructural and immunohistochemical parameters. 64 Wistar rats were used, divided into eight groups: sedentary vegetable control Group (CVS), trained vegetable control Group (CVT) sedentary ovariectomized vegetable Group (VOS), trained ovariectomized vegetable Group (VOT), sedentary animal control Group (CAS) trained animal control Group (CAT), sedentary ovariectomized animals Group (AOS), trained ovariectomized animals Group (AOT), according to the ovariectomy protocols, diet and resistance training that were submitted for 12 weeks. At the end of this period, the animals were euthanized, the blood is collected for biochemical analysis and left ventricular samples were taken and prepared for histomorphometric, ultrastructural and immunohistochemical analyzes. The data obtained for each group were tabulated and compared statistically by ANOVA and post hoc Tukey with a significance level of p ‹0.05. Our results showed the effect of ovariectomy and therefore the hormone suppression in body weight gain and mass independent of visceral adipose tissue of the diet, were not reversed by intervention training. The ovariectomized sedentary group subjected to predominantly animal's diet showed a tendency to increased cardiac and left ventricular mass. Resistance training applied in this group confirmed this trend, unlike the ovariectomized group of predominantly vegetable diet in which such intervention promoted the reduction of left ventricular mass, thus suggesting a more appropriate setting. Although no observed changes in biochemical parameters between the various groups of the proposed interventions, the glycemic index showed best values in trained ovariectomized. Regarding morphometric, the ovariectomized group trained subjected to predominantly animal protein diet showed higher volume density of capillaries and lower interstitial volume density when compared to the ovariectomized group submitted to protein diet predominantly vegetable, thus indicating a better condition of the heart tissue , a fact also confirmed in relation to the percentage of the volume densities and distribution of collagen fibers type I and type III in the myocardium of these animals. Our data revealed that resistance training associated with protein diets predominantly animal and vegetable was efficient in relation to biometric, biochemical responses morphometric and immunohistochemical presented by ovariectomized old female rats studied in our work, thus suggesting that this association can be an interesting strategy non-pharmacological intervention in the treatment of menopausal women, since it provided improvements in cardiac condition, although this benefit the greatest impact has been given to animals fed predominantly animal protein diet.
Titulação: Doutora em Educação Física.
Orientador (a): ProfÂȘ Laura Beatriz Mesiano Maifrino
Banca

-

Assuntos: Coração, Dieta, Exercícios, Menopausa.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica