Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Juliana Valente Francica Grilletti
Título(s): [pt] Respostas hemodinâmicas e autonômicas a diferentes testes funcionais, ao exercício agudo e crônico em indivíduos após acidente vascular cerebral
Resumo: [pt] O Acidente Vascular Cerebral (AVC) apresenta uma alta taxa de incidência no Brasil e no mundo. Estudos demonstram que o exercício físico aeróbico pode aumentar a capacidade funcional em pacientes que sobreviveram ao AVC. A presente pesquisa foi dividida em 3 estudos conduzidos em pacientes com sequela de AVC isquêmico crônico, cujos objetivos foram: Estudo 1. Avalia e comparar pressão arterial (PA), frequência cardíaca (FC) e variabilidade da frequência cardíaca (VFC) antes e após o teste ergométrico submáximo (TE sub) e o teste de caminhada de seis minutos (TC6M); Estudo 2. Avaliar e comparar PA, FC e VFC após uma sessão aguda de exercício aeróbico; Estudo 3. Avaliar as respostas hemodinâmicas e autonômicas antes e após um período de treinamento aeróbico de 16 semanas. Para tanto, completaram o estudo selecionados 22 participantes acometidos por AVC isquêmico; de ambos os sexos; com idade variando entre 40 e 70 anos; com PA abaixo de 140/90 mmHg; com marcha independente ou semi-dependente. Os sujeitos assinaram um termo de consentimento e foram divididos em 2 grupos: treinamento em esteira rolante (TER; n= 12) e tratamento convencional (TC; n=10 ). Foram submetidos a uma sequência experimental composta por 3 períodos, sendo eles: Pré treinamento – coleta de sangue para dosagens bioquímicas, avaliação da composição corporal, questionário com questões sobre saúde geral e cardiovascular, medida de PA em repouso, TC6M, avaliação da modulação autonômica cardiovascular e avaliação da capacidade cardiorrespiratória (TE sub); Treinamento físico - realizado 3 vezes por semana, por 16 semanas, com 70% de intensidade da FC pico; Pós treinamento – Reavaliação seguindo protocolos do período pré treinamento. Os resultados do estudo 1 nos levam a considerar que o teste ergométrico possui maiores condições de verificar a capacidade cardiorrespiratória de pacientes que apresentam sequela de AVC, em relação ao TC6M. A sessão aguda baseada em exercícios aeróbicos com 70% de intensidade (estudo 2) não promoveu alterações hemodinâmicas e autonômicas importantes. Com relação do estudo 3, após o TC6M, notamos uma resposta de redução da PA diastólica na recuperação do teste, bem como o aumento na distância percorrida no grupo TC após o período de intervenção. Em reposta ao TE sub, notamos uma maior velocidade de recuperação da FC após o exercício no grupo TER, após o período de treinamento. De acordo com o exposto, fica claro que as intervenções propostas atuam promovendo benefícios distintos em indivíduos que apresentam sequela de AVC. A associação das intervenções propostas parece ser uma excelente forma de diminuir o risco cardiovascular, bem como incrementar a capacidade de marcha dessa população.
Abstract: [en] The stroke has a high incidence in Brazil and worldwide. Studies have shown that aerobic exercise can increase the functional capacity in patients who survived the stroke. This research was divided into three states in subjects after chronic ischemic stroke, whose objectives were: 1. Evaluate and compare blood pressure (BP), heart rate (HR) and heart rate variability (HRV) before and after submaximal exercise test (ET sub) and the six-minute walk test (6MWT); Study 2. Evaluate and compare BP, HR and HRV after an acute bout of aerobic exercise; Study 3. Evaluate the hemodynamic and autonomic responses before and after an aerobic training period of 16 weeks. Therefore, 22 subjects affected for ischemic stroke complete the study; both sexes; aged between 40 and 70 years; with blood pressure below 140/90 mmHg; and to provide independent or semi-dependent walking. All subjects signed a consent form and were divided into 2 groups: training on a treadmill (TER, n = 12) and control (TC, n = 10). Underwent an experimental sequence consists of three periods, namely: Pre Training - blood collection for biochemical measurements, body composition assessment, questionnaire with questions on general and cardiovascular health, measurement of BP at rest, 6MWT, assessment of autonomic modulation cardiovascular and evaluation of cardiorespiratory capacity (TE sub); Physical training - carried out 3 times a week for 16 weeks, with 70% intensity; Post training - Revaluation following protocols pre training period. The study 1 results lead us to consider that cardiopulmonary test has greater condition to verify the cardiorespiratory fitness of patients with stroke sequelae, compared to the 6MWT. Acute session based on aerobic exercise with 70% intensity (study 2) did not cause significant hemodynamic and autonomic changes. Regarding the study 3, after the 6MWT, we observed a reduction in DBP response in test recovery and the increase in the distance covered in the TC group after the intervention period. In response to the exercise test, we observed a greater HR recovery rate after exercise in the TER group after the training period. According to the above, it is clear that the proposed interventions promoting distinct benefits in people with stroke sequelae. The association of the proposed interventions appears to be an excellent way to reduce cardiovascular risk, and increase the walking ability of this population.
Titulação: Doutor em Educação Física
Orientador (a): Profª Bruno Rodrigues
Banca

-

Assuntos: Acidente Vascular Cerebral, Isquemia Cerebral, Treinamento Aeróbio, Modulação Autonômica Cardiovascular.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica