Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Gisele Maria da Silva
Título(s): [pt] Predisposição ao fluxo em atletas de rúgbi
Resumo: [pt] O Fluxo, apresentado em 1970 por Mihaly Csikszentmihalyi, é compreendido como um processo psicológico subjacente ao nível ótimo de desempenho que mostra como os indivíduos lidam com situações que exigem equilíbrio entre ocasiões desafiadoras e suas habilidades psicológicas de enfrentamento. Por essas características e, por se relacionar com o alto rendimento, tornou-se um conceito importante a ser estudado no meio esportivo. Com o objetivo de investigar a predisposição ao fluxo em atletas da Seleção Brasileira de Rugby, essa pesquisa foi dividida em dois estudos. O Estudo 1 avaliou como os atletas das equipes juvenil e adulta percebem o fluxo a partir de fatores presentes em uma escala e relacionou a predisposição ao fluxo a idade e ao tempo de prática no esporte. A amostra foi composta por 54 atletas do sexo masculino, com idades entre 16 e 31 anos. Os atletas foram avaliados através da Escala de Predisposição ao Fluxo (EPF) e para a análise estatística foi utilizado o Teste de Mann-Whitney, Teste T Independente e a Correlação de Pearson. O Estudo 2 buscou compreender o significado que os atletas atribuem ao fluxo, a percepção do fenômeno na prática esportiva e as implicações sobre o rendimento esportivo a partir da análise de conteúdo. Foram utilizados dois instrumentos, um Questionário Demográfico e um Guia de Entrevista Semiestruturada. Foram entrevistados 8 atletas, sendo quatro de cada equipe, escolhidos por sorteio. As entrevistas foram transcritas, desmembradas em unidades de registro e agrupadas em categorias de respostas. Os resultados de ambos os estudos demonstraram que as equipes juvenil e adulta de rúgbi vivenciaram a experiência de fluxo durante a prática esportiva. As correlações das dimensões com o fluxo total de cada equipe, no Estudo 1, revelaram que a fusão ação-consciência e transformação de tempo não se correlacionaram positivamente com o fluxo total da equipe juvenil, entretanto, todas as dimensões indicaram relação positiva com o fluxo total para os atletas adultos. Apenas fusão ação-consciência e percepção de controle demonstraram diferenças significativas entre as duas equipes, indicando valores mais fortes (p‹ 0,05) para a equipe adulta. A análise estatística por tempo de prática, revelou correlação positiva e significativa para as dimensões fusão ação-consciência e concentração intensa. A correlação entre a idade dos atletas e as dimensões do fluxo, relevou correlação significativa para as dimensões fusão ação-consciência e perda da autoconsciência. O Estudo 2 indicou que a sensação de êxito na partida, emoções positivas, apoio e incentivo, reconhecimento e superação dos desafios foram citados como aspectos que contribuiram para vivenciar a experiência de fluxo. Os aspectos favoráveis para o alcance do fluxo, foram: uso de estratégias psicológicas, elevado nível de concentração, sentir-se preparado para o jogo e emoções positivas. Entre os fatores indicados como não favoráveis para o estado de fluxo estão: emoções negativas, problemas de concentração durante o jogo, não se perceber preparado para o desafio e dificuldades intragrupais. As emoções negativas e não se perceber preparado para o desafio foram aspectos citados apenas pelos atletas juvenis. O discurso dos atletas evidenciou que embora não soubessem descrever o fenômeno fluxo, já haviam vivenciado este estado psicológico. Os resultados de ambos os estudos evidenciaram o fluxo como um aspecto psicológico importante envolvido em experiências que exigem elevado nível de desempenho esportivo.
Abstract: [en] The flow, presented in 1970 by Mihaly Csikszentmihalyi, is understood as a psychological process underlying the performance of optimal level that shows how individuals deal with situations that require balance between challenging times and their psychological coping skills. For these characteristics, and to relate to the high yield, it has become an important concept to be studied in sports. In order to investigate the predisposition to flow in athletes of the Brazilian Rugby Team, this research was divided into two studies. Study 1 evaluated as athletes of juvenile and adult teams realize the flow from factors present in a range and related predisposition to flow age and practice time in the sport. The sample consisted of 54 male athletes, aged between 16 and 31 years. Athletes were assessed by Predisposition Scale to Flow (PSF) and statistical analysis was performed using the Mann-Whitney test, Independent T Test and Pearson's Correlation. Study 2 aimed to understand the meaning athletes attach to flow, the perception of the phenomenon in sports and the implications for sports performance from the content analysis. Two instruments were used, a Demographic Questionnaire and Semi-Structured Interview Guide. Eight athletes were interviewed, four of each team, chosen by lot. The interviews were transcribed, broken down into reporting units and answers grouped into categories. The results of both studies showed that the juvenile and adult teams of experienced rugby flow experience during sports practice. The correlations of the dimensions with the total flow of each team, in Study 1 revealed that the action-awareness and transformation time merger did not correlate positively with the total flow of the youth team, however, all dimensions indicated positive relationship with the flow total for adult athletes. Just merger action-awareness and perception of control showed significant differences between the two teams, indicating stronger values (p ‹0.05) for the adult team. Statistical analysis by practice time, revealed positive and significant correlation to the dimensions merger action-awareness and intense concentration. The correlation between the age of the athletes and the dimensions of the flow, revealed a positive and significant correlation to the dimensions merger action-awareness and loss of self-consciousness. Study 2 showed that the feeling of success in the game, positive emotions, support and encouragement, recognition and overcoming the challenges were cited as aspects that contributed to experience the flow of experience. The favorable aspects to achieve flow, were: use of psychological strategies, high level of concentration, feeling prepared for the game and positive emotions. Among the factors indicated as not favorable for the flow of state are: negative emotions, concentration problems during the game, not realizing up to the challenge and intragroup difficulties. Negative emotions and not be perceived up to the challenge aspects were mentioned only by youth athletes. Speaking of athletes showed that although they did not know to describe the phenomenon flow had already experienced this psychological state. The results of both studies showed the flow as an important psychological aspect involved in experiments that require high level of sports performance.
Titulação: Mestra em Educação Física
Orientador (a): ProfÂȘ Maria Regina Ferreira Brandão
Banca

-

Assuntos: Psicologia do Esporte, Fluxo, Rúgbi.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica