Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Autor: Jerônimo Rafael Skau
Título(s): [pt] A influência da fadiga dos músculos abdutores do quadril nas variáveis cinéticas, cinemáticas e de propriocepção das articulações do quadril, joelho e tornozelo
Resumo: [pt] Os músculos abdutores do quadril são importantes para a estabilidade da pelve na marcha e atividades esportivas, principalmente durante o apoio unipodal. A literatura tem reportado a ação deste grupo muscular no controle da posição do fêmur durante o agachamento, porém, não está claro o efeito da fadiga muscular nas cargas internas e na propriocepção das articulações do membro inferior. Objetivo desta tese foi analisar o efeito da fadiga isolada dos músculos abdutores do quadril no senso de posição e momentos articulares das articulação do quadril, joelho e tornozelo. Dois estudos foram conduzidos ambos com mulheres saudáveis, a amostra do primeiro estudo foi composta por 9 mulheres (22,1±2,1 anos, 58,9±10,3 kg e 1,68±0,06 m) e o segundo estudo com 15 mulheres (21,1±2,1 anos, 56,5±14,5 kg e 1,60±0,06 m), todas irregularmente ativas, sem histórico de lesões nos membros inferiores. O pico de torque isométrico abdutor do quadril foi utilizado como parâmetro de avaliação, considerou-se músculos fadigados quando houve queda de 50% do torque isométrico. A dinamometria isocinética foi utilizada para avaliar o torque muscular isométrico e o senso de posição no quadril no movimento de abdução-adução sem carga (estudo 1), pré e pós-fadiga. No Estudo 2, as participantes realizaram o semi-agachamento unipodal sobre plataforma de força e os dados cinemáticos e dinamométricos foram coletados. As variáveis de tempo de agachamento, amplitude de movimento e os momentos articulares das articulações do quadril, joelho e tornozelo foram analisados nas condições pré-fadiga, pós-fadiga e pós- 20min de repouso. Além disso, o senso de posição (erro absoluto e erro variável) da articulação do joelho, também, foi analisado. Os momentos foram calculados por dinâmica inversa. O ângulo-alvo no joelho para o senso de posição foi de 35° de flexão. Os resultados mostraram que a fadiga muscular diminuiu o tempo e amplitude para realizar o semi-agachamento, os momentos de força extensor do quadril e abdutor do joelho foram menores após a fadiga. Não houve diferença nos momentos da articulação do tornozelo. Não houve diferença no erro absoluto e erro variável no joelho. Concluise que a fadiga isolada dos músculos abdutores do quadril não altera o senso de posição no joelho; entretanto, o controle motor e os momentos de força no quadril e joelho no semi-agachamento são alteradas. Assim, estes resultados podem ser úteis em programas de reabilitação de lesões no membro inferior e/ou treinamento esportivo em que o esforço físico intenso e agachamento são solicitados.
Abstract: [en] The hip abductors muscles are important to promote hip stability during gait and exercises, especially on the unipodal stance phase. The literature has reported how this muscle group can control the position of the fêmur during the single-leg squat. However, the effects these effects on the lower limb joints load and proprioception are unclear when under the fatigue conditions. The goal of the present study was analyze the isolated hip muscles fatigue on the joint position sense and the moment of the hip, knee and ankle joints. Two studies were carried out both with health females, sedentary, with no history lesions on the lower limb. The first experiment had 9 women (22.1±2.1 years old, 58.9±10.3 kg weight, 1.68±0.06 m height). The sample of the second study had 15 young women (21.1±2.1 years old, 56.5±14.5 kg weight, 1.60±0.06 m height). The isometric abduction hip torque was considered to evaluate the fatigue and if the torque dropped 50% of the initial torque, the muscles were considered fatigued. In the study 1, the isokinetic dinamometer was used to measure the isokinetic isometric peak torque and the hip joint position sense at the hip during the abduction-adduction without any load, pre and pos-fatigue. In study 2, the subjects were asked to do unipodal semisquat over the force plate where data from the cinematic and the own force plate were collected. The variables of the semi-squat (time, range of motion and hip, knee and ankle moments of force) were analyzed at the pre, post and post-20min fatigue conditions. At the knee joint, the absolute and variable errors also were obtained which the target angle at 35° of knee flexion. As the results, the time to do and the amplitude of the flexion movement during the total range of motion were reduced after fatigue, as well as, the hip extensor and knee abductor moments. The ankle force moment and knee joint position sense were not altered by fatigue. In conclusion, the isolated hip abductors muscles fatigue had no effect on the joint position sense at the knee. However, the motor control and the force moment at the hip and knee were altered during the unipodal semi-squat. These results can be useful in both rehabilitation program and sports, in which the high intense exercises are required.
Titulação: Doutor em Educação Física
Orientador (a): Profª Laura Beatriz Mesiano Maifrino
Banca

-

Assuntos: [pt] Biomecânica, Fadiga, Quadril.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica