Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Nathalia Edviges Alves de Lima
Título(s): [pt] Efeitos do treinamento resistido associado às diferentes fontes proteicas sobre a aorta ascendente de ratas idosas ovariectomizadas : aspectos morfológicos, bioquímicos e imunohistoquímicos
Resumo: [pt] A menopausa é um processo fisiológico do envelhecimento, causando alterações endócrinas e metabólicas que associado à inatividade física e a má alimentação, levam a um aumento do risco de doenças cardiovasculares e aterosclerose. O objetivo desse trabalho foi analisar os efeitos histomorfométricos, bioquímicos e imunohistoquímicos na aorta de ratas ovariectomizadas com ingestam de dieta proteica vegetal e animal, que realizaram exercícios resistidos. Utilizamos 80 ratas adultas ovariectomizadas, linhagem Wistar, divididas em dez grupos: Grupo controle vegetal sedentário, eutanasidado aos 14 meses (CS14), Grupo controle ovariectomizado vegetal sedentário, eutanasiado aos 14 meses (COS14), Grupo controle vegetal sedentário (CVS), Grupo controle ovariectomizado vegetal treinado (CVT), Grupo vegetal ovariectomizado sedentário (VOS), Grupo vegetal ovariectomizado treinado (VOT), Grupo controle animal sedentário (CAS), Grupo controle animal treinado (CAT), Grupo animal ovariectomizado sedentário (AOS), Grupo animal ovariectomizado treinado (AOT). Os animais foram acompanhados por 14 meses e posteriormente submetidos ao protocolo de treinamento resistido, durante 12 semanas. Ao final do experimento os animais foram pesados, eutanasiados por decapitação, coletado o sangue para análises bioquímicas e amostras do tecido adiposo visceral e aorta ascendente. Amostras da artéria aorta ascendente foram seccionadas, fixadas, processadas e coradas com técnicas histológicas e imunohistoquimicas, para análise ao microscópio de luz. Foram realizadas fotomicrografias para análises morfoquantitativa, estereológica e imunohistoquímica de vários parâmetros tanto da célula muscular quanto da matriz extracelular que compõe a aorta. Os resultados foram apresentados em média e erro padrão da média. O teste de análise de variância (ANOVA) one way, e post-hoc de Tukey foram devidamente aplicados para análise dos dados. Os níveis de significância adotados em todos os testes foram de p≤ 0,05. Na dieta vegetal observamos que a ovariectomia no grupo VOS apresentou aumento significante nos parâmetros AST, Di, De, Ai, Ae, espessura, Nv[nu], Nv[lam], Vv[fcI] e Vv[fcIII] na túnica adventícia, Vv[fcI] e Vv[fcIII] na túnica média e uma diminuição nos parâmetros R m/luz , distância do núcleo, área do núcleo, creatinofosfoquinase e albumina quando comparado ao grupo CVS. O treinamento nos animais ovariectomizados que ingeriram a dieta vegetal no grupo VOT obtiveram aumento nos parâmetros Ai, Área do núcleo, Vv[fcIII] na túnica adventícia, Vv[fcIII] na túnica média e albumina e diminuição nos parâmetros Vv[lam], Nv[nu], Vv[fcI] e Vv[fcIII] na túnica adventícia, Vv[fcI] na túnica média e glicose quando comparado ao VOS. A ovariectomia no grupo que ingeriu dieta proteica animal (AOS) promoveu aumento dos parâmetros AST, Di, De, Ai, Ae, espessura, distância núcleo, Vv[fcIII] na túnica adventícia e Vv[fcIII] na túnica média e diminuição nos parâmetros MCF-MCIn, Vv[lam], Nv[nu], Vv[nu] e creatinofosfoquinase, quando comparado ao CAS. No grupo AOT o treinamento promoveu aumento nos parâmetros Vv[lam], área do núcleo, Vv[nu], Vv[fcI] na túnica adventícia e Vv[fcI] na túnica média e diminuição nos parâmetros distância núcleo,Vv[fcIII] na túnica adventícia e Vv[fcIII] na túnica média quando comparado ao AOS. Quanto a metaloproteinase 2 (MMP-2), o grupo controle CVT e CAT não expressaram reação considerado desta forma negativos em comparação aos sedentários. No grupo ovariectomizado VOS e AOS a MMP-2 expressa-se de forma intensa quando comparado aos controles. Nos grupos que realizaram o treinamento (VOT e AOT) a expressão se deu de forma moderada. Na metaloproteinase 9 o grupo controle (CVT e CAT) não apresesentou imunoexpressão sendo considerado negativo, quando comparado aos sedentários. No grupo ovariectomizado (VOS e AOS) aparece de forma moderada quando comparado aos controles. O treinamento no VOT e AOT expressa-se de forma moderada. Conclusão: As dietas somente se diferenciaram em relação aos constituintes da matriz extra celular. A dieta vegetal amenizou as alterações provenientes da ovariectomia e o treinamento associado a dieta animal, também minimizou as alterações causadas pela menopausa.
Abstract: [en] Menopause is a physiological process of aging, causing endocrine and metabolic changes associated with physical inactivity and poor diet, lead to an increased risk of cardiovascular disease and atherosclerosis. The objective of our study was to analyze the morphometric, biochemical and immunohistochemical effects in the aorta of ovariectomized rats with intake of vegetable protein diets and animal, who performed resistance exercises. We use 40 ovariectomized adult rats, Wistar, divided into eight groups: sedentary control plant (CVS14), Group trained plant control (CVT14), ovariectomized sedentary vegetable Group (VOS), trained ovariectomized vegetable Group (VOT), Group sedentary animal control (CAS), Group trained animal control (CAT), ovariectomized sedentary Animal Group (AOS), trained ovariectomized animals Group (AOT). The animals were followed for 14 months and subsequently submitted to the resistance training protocol for 12 weeks. At the end of the experiment the animals were weighed, euthanized by decapitation, collected blood samples for biochemical analysis and visceral adipose tissue and ascending aorta. Samples of the ascending aorta were sectioned, fixed, processed and stained for examination by light microscopy. Photomicrographs were taken to Morphoquantitative and stereological analysis of various parameters of the muscle cell so as extracellular matrix that makes up the aorta. The results were presented as mean and standard error of the mean. The analysis of variance (ANOVA) one way, and post-hoc Tukey been duly applied for data analysis. The significance level for all tests will be p ≤ 0.05. Results: In the vegetable diet noted that ovariectomy in VOS group showed significant increase in AST parameters, Di, De, Ai, Ae, thickness, Nv [nu], Nv [lam], Vv [FCI] and Vv [fcIII] in tunic adventitious, Vv [FCI] and Vv [fcIII] in the tunica media and a decrease in the parameters R m / light, distance from the core, the core area, creatine and albumin compared to the CVS group. The training in ovariectomized rats consuming the vegetable diet in VOT group obtained an increase in the parameters Ai, core area, Vv [fcIII] in the tunica adventitia, Vv [fcIII] in the tunica media and albumin and decrease in Vv parameters [lam], Nv [naked], Vv [FCI] and Vv [fcIII] in the tunica adventitia, Vv [FCI] in the tunica media and glucose compared to VOS. Ovariectomy in the group that ingested Animal protein diet (AOS) increased in the AST parameters, Di, De, Ai, Ae, thickness, distance core, Vv [fcIII] adventitia and Vv tunic [fcIII] on average and decreased tunic in the parameters MCF-MCIn, Vv [lam], Nv [nu], Vv [naked] and creatine, when compared to the CAS. In AOT group training promoted increase in Vv parameters [lam], core area, Vv [nu], Vv [FCI] adventitia and Vv tunic [FCI] in the tunica media and decrease in core parameters distance, Vv [fcIII] in tunica adventitia and Vv [fcIII] in the tunica media when compared to OSA. As for metalloproteinase 2, the CVT and CAT control group did not express this reaction considered negative way compared to sedentary. In ovariectomized group VOS and TO the MM2 expressed intensely when compared to controls. In the groups reaizaram training (VOT and AOT) expression occurred moderately. In the control group metalloproteinase 9 (CVT and CAT) not apresesntou expression is considered negative when compared to sedentary. In the ovariectomized group (VOS and AOS) appears moderately when compared to controls. Training in VOT and AOT expressed moderately. Conclusion: The diets differed only with respect to the constituents of the extracellular matrix. The vegetable diet softened changes from ovariectomy and training associated with animal's diet, also played down the changes caused by menopause.
Titulação: Mestra em Educação Física
Orientador (a): Prof. Laura Beatriz Mesiano Maifrino
Banca

Prof. Laura Beatriz Mesiano Maifrino [Orientador]

Assuntos:

[pt] Dietas
[pt] Exercício resistido
[pt] Menopausa

Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica