Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Maurício José de Siqueira Cagno
Título(s): [pt] Impacto das transformações somáticas do púbere sobre a percepção corporal, relações com a destreza manual e capacidade de localização proprioceptiva das mãos
Resumo: [pt] A presente pesquisa teve como objetivo identificar a percepção das dimensões corporais de púberes de ambos os sexos e sua relação com o desempenho da destreza manual e capacidade de localização proprioceptiva das mãos durante o período do estirão de crescimento. O estudo foi realizado com 100 indivíduos de 9 a 15 anos, sendo 50 do sexo masculino de 11 a 15 anos e 50 do sexo feminino de 9 a 13 anos, todos os grupos com maturação sexual de I a IV. Cada grupo foi composto por 10 jovens de cada faixa etária. Os testes utilizados foram: 1) teste de autoavaliação na determinação da maturação sexual, proposto por Morris & Udry (1980) sugerido pelo LADESP – GEPETIJ/EEFE – USP (MASSA, 2006); 2) Procedimento de Marcação do Esquema Corporal (Image Marking Procedure – IMP) proposto por Askevold (1975) com alterações propostas por Thurm (2007); 3) Teste de destreza manual (Box and Block Test of Manual Dexterity BBT – Mathiowetz et al. 1985); e 4) Teste de Capacidade de Localização Proprioceptiva das Mãos, elaborado para este estudo. Utilizamos as técnicas estatísticas como média, desvio-padrão, frequência e porcentagem, e os dados foram submetidos ao teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov e Levene para verificar homogeneidade das variâncias. Efetuamos comparações entre os sexos por meio do “t” – Student para variáveis independentes. Recorremos à Análise de Variância (ANOVA de um fator) para verificar possíveis diferenças entre os IPC Geral em cada estágio de maturação sexual. Foram realizadas Análises de Variância (ANOVA) com medidas repetidas para verificar eventuais diferenças entre a percepção dos segmentos corporais com fator sexo, complementado pelo teste de Bonferroni. Efetuamos correlações de Pearson entre o IPC Geral e dos Ombros com destreza manual e com a capacidade de localização das mãos e com as demais variáveis. O critério de significância adotado foi de 5%. As análises estatísticas foram realizadas por meio do programa computacional SPSS (Statistical Package for Social Sciences) versão 21.0, para Windows. Após a análise dos dados constatamos que: a percepção das dimensões corporais se desajustaram à medida que se alteraram as dimensões corporais, que elas não diferiram entre os sexos e que 91% dos jovens perceberam-se maiores do que realmente são; os indivíduos apresentaram assimetrias e descentralizações referentes à percepção das dimensões dos segmentos corporais; os jovens não perceberam os segmentos corporais que se modificaram durante a fase de estirão de crescimento; a maturação sexual e as horas de inatividade motora global não ocasionaram desajustes à percepção corporal geral e segmentar; as horas semanais de praxia fina ocasionaram ajustes à percepção da dimensão corporal dos ombros, os desajustes da percepção corporal geral e dos ombros não se relacionaram aos desempenhos da destreza manual e à capacidade de localização proprioceptiva das mãos; as atividades motoras pregressas não ocasionaram alterações dos desempenhos da capacidade de localização das mãos, porém influenciaram os desempenhos da destreza manual; as horas semanais de praxia fina ocasionaram melhorias do desempenho da destreza manual dominante e não influenciaram os desempenhos da destreza manual não dominante, e a capacidade de localização das mãos e as horas de inatividade motora global não influenciaram os desempenhos da destreza manual e da capacidade de localização proprioceptiva das mãos. Finalizando, a percepção sobre as dimensões corporais não influenciaram os desempenhos referentes à capacidade de localização das mãos e os desempenhos da destreza manual.
Abstract: [en] The study aimed to identify the perception of body dimensions of pubescent boys and girls and its relation to manual dexterity performance and to the capacity for proprioceptive localization of the hands during the growth spurt period. The study was carried out with 100 individuals aged 9 to 15 years: 50 boys aged 11 to 15 years and 50 girls aged 9 to 13 years, all groups at sexual maturity stages I - IV. Each group was composed of 10 individuals from each age group. The following tests were used: 1) self-assessment test in the determination of sexual maturity, proposed by Morris & Udry (1980) and suggested by LADESP – GEPETIJ/EEFE – USP (MASSA, 2006); 2) Image Marking Procedure – IMP, proposed by Askevold (1975) with alterations proposed by Thurm (2007); 3) Box and Block Test of Manual Dexterity – BBT, proposed by Mathiowetz et al. (1985); and Test of Capacity for Proprioceptive Localization of the Hands, designed for this study. We utilized statistical techniques such as mean, standard deviation, frequency and percentage, and the data were submitted to the Test of Normality (Kolmogorov-Smirnov and Levene) to verify the homogeneity of variance. We made comparisons between sexes by means of Student’s t-test for independent variables. We employed the Analysis of Variance (one-factor ANOVA) to verify possible differences among the General Body Perception Index (BPI) at each stage of sexual maturity. Analyses of Variance (ANOVA) were performed with repeated measures to verify possible differences between the perception of body segments and the sex factor, complemented by the Bonferroni Test. Pearson correlations were performed between the General/Shoulders BPI and manual dexterity, capacity for hand localization and the other variables. The significance criterion that was adopted was 5%. The statistical analyses were performed by means of the SPSS computer program (Statistical Package for Social Sciences), version 21.0 for Windows. After the data analysis we verified: that the perception of body dimensions misadjusted itself as the body dimensions were altered, that it did not differ between sexes and that 91% of the individuals perceived themselves as bigger than they really are; the individuals presented asymmetries and decentralizations referring to the perception of the dimensions of body segments; the individuals did not perceive the body segments that were modified during the growth spurt period; sexual maturity and the hours of global motor inactivity did not misadjust the general and segmental body perception; the weekly hours of fine praxis caused adjustments to the perception of body dimensions and of shoulder dimensions; the misadjustments to the general body perception and to shoulders perception were not related to manual dexterity performance and to the capacity for proprioceptive localization of the hands; previous motor activities did not cause alterations in the performance of the capacity for hand localization; however, they influenced the manual dexterity performance; the weekly hours of fine praxis improved the performance of the dominant manual dexterity and did not influence the performance of the non-dominant manual dexterity; and the capacity for hand localization and the hours of global motor inactivity did not influence manual dexterity performance and the capacity for proprioceptive localization of the hands. Finally, the perception of body dimensions interferes neither in the performance referring to the capacity for hand localization nor in the manual dexterity performance.
Titulação: Doutor em Educação Física
Orientador (a): Profª. Eliane Florencio Gama
Assuntos: [pt] Percepção corporal
[pt] Puberdade
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica