Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Valéria Simões Tanasov
Título(s): [pt] Efeitos morfoquantitativos da administração de propionato de testosterona em tecido hepático de ratos idosos
Resumo: [pt] O envelhecimento provoca um declínio biológico sistêmico que atinge progressivamente todos os órgãos com consequente redução na capacidade funcional destes. Uma das alterações observadas no envelhecimento é o declínio nos níveis de hormônios, dentre estes a testosterona. A testosterona tem seu metabolismo relacionado ao fígado que é o órgão responsável pela captação e degradação de metabólitos. Em algumas situações clínicas a reposição de testosterona tem sido indicada como terapia para reduzir os sintomas da diminuição de sua produção, como diminuição da massa muscular, diminuição da libido, por exemplo. O objetivo deste estudo é investigar os efeitos morfoquantitativos da administração de propionato de testosterona em fígado de ratos idosos. Foram utilizados 17 ratos Wistar, divididos nos grupos: Controle Inicial (CI, n=5, 13 meses), Controle Final (CF, n=6, 16 meses) e Grupo Testosterona (GT, n=6, 16meses). Neste grupo foi administrado por via intramuscular, propionato de testosterona. Utilizando técnicas estereológicas, foram quantificadas as densidades de volume (Vv) do: parênquima lobular, dividido em células hepáticas e canais (sinusóides, espaços perissinusoidais e capilares biliares); parênquima não lobular (espaços portais, veias centro-lobulares e ramos de vasos sanguineos). Utilizando a técnica morfométrica foram quantificadas: a área dos núcleos dos hepatócitos, número de núcleos de hepatócitos e núcleos de outras células do fígado, como, Kupffer, por exemplo, sem discriminá-las. Os dados foram analisados estatisticamente com nível de significância de 5%. Na análise estereológica da Vv das células hepáticas do parênquima lobular, o grupo CI apresentou 83% da área ocupada pelas células, o grupo CF 84,6% e o grupo GT 76,6%. Assim observou-se nesta análise uma diminuição no grupo GT em relação aos dois outros grupos. Na análise estereológica da Vv do parênquima lobular constituída pelos capilares sinusóides, espaços perissinusoidais e ductos biliares, o grupo CI apresentou uma área de 7% ocupada pelas estruturas, o grupo CF 8,9% e o grupo GT 18% da área, observando-se, portanto, um aumento nos grupos CF e GT em relação a CI e também um aumento no grupo GT em relação ao grupo CF. Na análise da Vv do parênquima não lobular o grupo CI apresentou 9,9% da área ocupada pelos espaços portais, veias centro-lobulares e ramos de vasos sanguíneos, enquanto que o grupo CF apresentou 6,5% e o grupo GT 5,2%. Portanto, notou-se neste caso uma diminuição da área ocupada pelas estruturas nos grupos CF e GT em relação ao grupo CI. A análise da área dos núcleos de hepatócitos resultou para o grupo CI uma área de 37,1 μm2, para o grupo CF 36,4 μm2 e para o grupo GT uma área de 36 μm2, ou seja, ocorreu uma diminuição do grupo GT em relação ao grupo CI. O número de núcleos de hepatócitos foi de 23,2 no grupo CI, 21,4 no grupo CF e 24,7 no grupo GT, assim observou-se um aumento no número de núcleos de hepatócitos no grupo GT comparado ao grupo CF. Na análise do número de núcleos das demais células hepáticas observamos no grupo CI 9,5 núcleos, no grupo CF 10 núcleos e no grupo GT 13 núcleos, sem diferença estatística entre os grupos. Concluímos pela análise realizada que pode ter ocorrido toxicidade direta, com consequente destruição de células, a produção de HGF (Hepatocyte Growth Factor) pelas células de Kupffer, desenvolvimento de colestase ou de congestão hepática tanto no envelhecimento como com a administração de propionato de testosterona, e diminuição do fluxo sanguíneo hepático no envelhecimento com ou sem a administração de androgênio.
Abstract: [en] Aging causes a biological systemic decline affecting, progressively, all organs with consequent reduction in their functional capacities. One of the changes observed in aging is the decline in hormone levels, among them, testosterone. Testosterone’s metabolism is related to the liver which is the organ responsible for capitation and degradation of metabolite. In some clinical situations, the reposition of testosterone has been referred as a therapy for relieving the symptoms of its reduction. This research sets out to investigate the morphoquantitative effects of propionate of testosterone administration in the liver of aged rats. Seventeen Wistar rats were used, divided in the groups: Initial control (IC n=5, 13 months), Final control (FC, n=6, 16 months) and Testosterone group (TG, n=6, 16 months), in which propionate of testosterone was administered. Using stereological techniques, the volume densities were quantified from: lobular parenchyma, divided in hepatic cells and canals (sinusoidal, perissinusoidal space and biliary capillaries); non-lobular parenchyma (spaces portals, centrilobular veins and blood vessel branching). Using the morphometric technique, the core area of the hepatocytes, the number of cores in the hepatocytes and cores from other liver cells, like the Kupffer, for example, without discriminating them. The data were analyzed statistically with level of significance of 5%. In the Vv stereological analysis of parenchymal liver cells lobular, the CI group showed 83% of the area occupied by the cells, the group CF 84.6% and the group GT 76.6%. Thus, it was observed in this analysis a decrease in the GT group when compared with the two others. In the stereological analysis of the Vv lobular parenchyma formed by capillary sinusoids, perissinusoidais spaces and bile ducts, the CI group showed an area of 7% occupied by structures, the CF group 8.9% and the group GT 18% of the area, which means that there was an increase in the CF and GT groups in comparison to CI and also an increase in the GT when compared to the CF group. In the analysis of Vv non-lobular parenchyma, the CI group showed 9.9% of area occupied by spaces portals, center-lobular veins and branches of blood vessels, while the CF group showed 6.5% and the GT 5.2%. It is noted in this case a decrease in the area occupied by the structures in the groups and CF and GT when compared to the group CI. The analysis of the core area of the hepatocyte showed an area of 37.1 μm2 for to the group CI and 36.4 μm2 for the group CF, whereas group the group GT presented an area of 36 μm2, ie, a decrease in the GT when compared to group CI. The core number of the hepatocytes was 23.2 in the CI group, 21.4 in the CF, and 24.7 in the group GT, meaning an increase in the core number of hepatocytes the GT compared to the group CF. In the analysis of the core number of from other liver cells it was observed in the group CI 9.5 cores, 10 cores in the CF group and in the group GT 13 cores, with no statistical difference between the groups. We conclude that a direct toxicity may have occurred, with consequent destruction of the cells, the production of HGF (Hepatocyte Growth Factor) by Kupffer cells, development of cholestasis or hepatic congestion in aging as well with propionate administration of testosterone, reduction of the hepatic blood flow in aging with or without androgen administration.
Titulação: Mestre em Ciências do Envelhecimento
Orientador (a): Eliane Florencio Gama
Assuntos: [pt] Envelhecimento
[pt] Propionato de testosterona
[pt] Tecido hepático.
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica