Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Onofre Crossi Filho
Título(s): [pt] A epistemologia da ciência de Henri Poincaré : para além do convencionalismo e do realismo estrutural
Resumo: [pt] Henri Poincaré viveu entre a segunda metade do século XIX e a segunda década do século XX, o período mais efervescente que a ciência já presenciou; repleto de novos resultados experimentais, novas descobertas, novas possibilidades matemáticas e novas teorias científicas. Sua obra filosófico-científica demonstra a clara preocupação em organizar essa profusão de novas informações científicas por um viés notavelmente epistemológico, delineando todas as etapas necessárias à construção e criação da matemática, em função da elaboração das teorias científicas das ciências físicas. Poincaré preocupou-se em definir como é possível a criação do conhecimento científico a partir de sua origem – o princípio de recorrência – com o qual a faculdade humana da intuição cria, destaca e multiplica propriedades matemáticas, rigorosamente verificadas pela análise lógica, por meio do princípio de contradição. A única verdade para o espírito deriva desse movimento de criação e dedução, necessariamente matemático. Por analogia, as induções matemática e física usarão o raciocínio por recorrência; a verdade das teorias físicas terá de ser obtida, unicamente, da possível analogia entre as propriedades empíricas incertas e a certeza das propriedades matemáticas. A demonstração de cada uma das fases contidas nessa detalhada epistemologia passa por níveis distintos de recursos às propriedades físicas e matemáticas, pela busca de um equilíbrio entre exatidão e objetividade, pela estrutura única das leis matemáticas e físicas, pela lei da homogeneidade, pela construção das verdades geométricas convencionais e pela elaboração dos princípios físicos também convencionais. Nessa epistemologia as relações matemáticas são o próprio elemento de continuidade que permanece presente na interminável sucessão de teorias físicas, cujas mudanças dependem do constante desenvolvimento dos métodos experimentais e de novos resultados empíricos. Segundo minha visão, quaisquer classificações sobre a filosofia da ciência de Poincaré que se apeguem somente às consequências dessa epistemologia, como é o caso do convencionalismo e do realismo estrutural de Worrall, acabam por restringir a amplitude, a continuidade e a riqueza do seu detalhamento epistemológico. Pretendo, assim, tornar claro que, a partir das bases da epistemologia de Poincaré, tanto as convenções, quanto as estruturas matemáticas são consequências harmônicas com o conjunto de sua epistemologia e, portanto, não devemos entendê-las como destaques centrais ou fundamentos de sua epistemologia.
Abstract: [en] Henri Poincaré lived between the second half of the nineteenth century and the second decade of the twentieth century, the most effervescent period that science has ever seen, full of new experimental results, new discoveries, new mathematical possibilities, new and scientific theories. His philosophical and scientific work demonstrates a clear preoccupation in organizing this wealth of new scientific information by a notably epistemological bias, delineating all the steps necessary for the construction and creation of the mathematical, in function of elaboration of scientific theories of the physical sciences. Poincaré was concerned to define how it is possible the creation of the scientific knowledge from its source - the principle of recurrence - with which the human faculty of intuition creates, highlights and multiplies mathematical properties, rigorously verified by the logical analysis, through the principle of contradiction. The only true to the spirit derives of this movement of creation and deduction necessarily mathematical. By analogy, the inductions mathematical and physical will use the reasoning by recurrence; the truth of physical theories must be obtained solely from the possible analogy between the uncertain empirical properties and the certainty of mathematical properties. The demonstration of each of the phases contained in this detailed epistemology goes through the different levels of recurrent physical and mathematical properties, by the search of a balance between accuracy and objectivity, by the unique structure of mathematical and physical laws, by the law of homogeneity, by the construction of conventional geometrical truths and by the elaboration of the physical principles also conventional. In this epistemology the mathematical relations are the own element of continuity that remains present in endless succession of physical theories, whose changes depend on the constant development of experimental methods and new empirical results. According to my view, any classification on the Poincaré’s philosophy of science that is limited only to the consequences of this epistemology, is like the case of conventionalism and Worrall’s structural realism, ends restricting the range, continuity and richness of its epistemological detailing. Therefore, I intend to make clear that, from the foundations of Poincaré’s epistemology, both conventions, as the mathematical structures are consequences harmonics with the set of his epistemology and therefore we should not understand them like central highlights or foundations of his epistemology.
Titulação: Mestre em Filosofia
Orientador (a): Sonia Maria Dion
Assuntos: [pt] Epistemologia da ciência
[pt] Convencionalismo
[pt] Princípio de recorrência
[pt] Poincaré
[pt] Realismo estrutural
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)
   

Pesquisa Específica