Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Geovana Mellisa Castrezana Anacleto
Título(s): [pt] Flexibilidade em idosos: efeitos da intervenção física e da suplementação com omega 3
Resumo: [pt] O processo de envelhecimento e o sedentarismo ocasionam diminuição da capacidade funcional de idosos, e dentre os fatores que explicam esse quadro, destaca-se a maior prevalência de doenças crônicas. A atividade física vem sendo apontada como uma possibilidade de minimizar o impacto do envelhecimento, e também melhorar os índices de qualidade de vida. Assim, hipotetizou-se que a intervenção física, com exercícios do tipo alongamento, e a suplementação nutricional com nutrientes que modulam a resposta inflamatória e impactam na redução da dor articular, podem melhorar os níveis de flexibilidade em idosos. O presente estudo objetivou analisar os efeitos do exercício físico e da suplementação nutricional com ácidos graxos do tipo ômega 3 na flexibilidade em idosos. Constituíram a amostra 21 participantes, divididos em dois grupos: GAS – Grupo Atividade Física e Suplementação (EPA 330mg e DHA 220mg) e GAP – Grupo Atividade Física e Placebo. Foram realizados vinte e quatro aulas do tipo alongamento, cada exercício durou 30 segundos, com intervalos de 10 segundos entre as execuções, repetidos três vezes. Os grupos foram orientados a consumir duas cápsulas de suplementos ou de placebo ao dia. Os idosos responderam um questionário sociodemográfico, foram mensurados medidas antropométricas. Para a avaliação da flexibilidade, utilizou-se o goniômetro pendular nos movimentos de flexão lateral da coluna cervical, flexão de ombro, flexão de quadril, dorsiflexão e plantiflexão, no lado direito (D) e esquerdo (E). Para avaliação da qualidade de vida aplicou-se o teste do Whoqol Bref e Whoqol Old. A análise estatística foi conduzida na comparação dos grupos após a intervenção adotando-se um nível de significância de 5% e utilizou-se o teste não-paramétrico de Wilcoxon. Os voluntários apresentavam com uma média de idade de 65,71 ± 5,08 anos, a maioria mulheres (85,7%) pardas (66,7%), católicas (66,7%), sem companheiro (57,1%), com baixa escolaridade (61,9%), aposentadas com um salário mínimo (47,6%) e, Indice de Massa Corporal (IMC) 30,71kg/m². Houve melhora na maioria das articulações analisadas, apresentando aumento estatisticamente significativo no GAP nos movimentos de ombro (D 99º para 107,25º; E 87,67º para 101,08º) e extensão de tornozelo (D 33º para 41,25º). No GAS, os aumentos foram observados na flexão lateral de cervical (D 34,44º para 37,11º), ombro (E 95,78º para 106,33º) e flexão de tornozelo (E 17,22º para 21,67º). Houve redução do IMC para 30,41kg/m² e a qualidade de vida apresentou aumento nos escores, em ambos os grupos, nos domínios Físico e Psicológico e no Total, e no GAP, nos domínios Ambiental e Social. Os escores do Whoqol Old apresentaram melhora nas facetas “Atividades Presentes, Passadas e Futuras” e “Participação Social”, em ambos os grupos, e “Morte e Morrer”, “Intimidade” e “Total”, no GAP. Os resultados apontam que o programa de atividade física do tipo alongamento foi eficiente tanto no GAS, como no GAP e melhora nos índices de qualidade de vida, sugerindo, assim, novas pesquisas com o aumento da dosagem de suplementação e com um maior tempo de intervenção física.
Abstract: [en] The aging process and the inactivity cause decreased functional capacity of the elderly and among the factors that explain this situation, the higher prevalence of chronic diseases can be highlighted. Physical activity has been suggested as a possibility to minimize the impact of aging,and also improve the quality of life indices. Thus, it was hypothesized that physical intervention with exercises, such as stretching, and nutritional supplementation, with nutrients that modulate the inflammatory response and impact in reducing joint pain, may improve levels of flexibility in the elderly. The present study aimed to analyze the effects of physical exercise and dietary supplementation with omega 3 fatty acids on flexibility in older adults. The sample of 21 participants was divided into GAS - Group Physical Activity and supplementation (330mg EPA and 220mg DHA) and GAP - Physical Activity and Placebo Group Twenty-four classes, such as stretching, were performed, and each exercise lasted 30 seconds, with intervals of 10 seconds between plays, repeated three times. The groups were instructed to consume two capsules of supplements or a placebo daily. The elderly answered a sociodemographic questionnaire, anthropometric measurements were measured. For the assessment of flexibility, it was used the goniometer tilting movements in lateral flexion of the cervical spine, shoulder flexion, hip flexion, dorsiflexion and plantarflexion, on the right (D) and left (E) sides. For the assessment the quality of life we applied the test WHOQOL Bref and WHOQOL Old. Statistical analysis was conducted to compare the groups after intervention by adopting a significance level of 5% and we used the nonparametric Wilcoxon test. The volunteers had an average age of 65.71 ± 5.08 years, most of them were women (85.7%) Caucasian (66.7%), catholic (66.7%), single (57.1%), with low education (61.9%), retired with a minimum wage (47.6%) and Corporal Mass Index (BMI) 30.71 kg / m².. There was an improvement in most of the joints , showing significant increase, in GAP, in the movement of the shoulder (R 99° to 107.25°, L 87.67° to 101.08°) and ankle extension (R 33° to 41.25°). In GAS, in the movement of lateral flexion of the neck (R 34.44° to 37.11°), shoulder (L 95,78° to 106.33°) and flexion of the ankle (L 17.22º to 21.67°). Reduction in BMI 30.41 kg/m² and quality of life was measured by WHOQOL Bref and showed an increase in scores, in both groups, in the physical and psychological domains and in total, and in GAP, in the Environmental and Social domains. The Old WHOQOL scores showed improvement in facets "Present, Past and Future Activities" and "Social Participation", in both groups, and "Death and Dying," "Intimacy" and "Total", in GAP. The results indicate that the program of physical activity such as stretching was effective in both the GAS as in GAP and indexes improved quality of life, suggesting, thus, further research with increasing dosage of supplementation with a longer intervention physics.
Titulação: Mestre em Ciência do Envelhecimento
Orientador (a): Rita de Cássia de Aquino
Assuntos: [pt] Alongamento
[pt] Atividade física - Idosos
[pt] Envelhecimento
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)

Pesquisa Específica