Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Thais Pereira Guisande
Título(s): [pt] Marcha militar na Força Aérea Brasileira: comportamento de variáveis cinéticas e eletromiográficas
Resumo: [pt] O estudo da locomoção humana é um assunto extensamente explorado, mas devido à sua complexidade, muito permanece inexplicado. É uma tendência na comunidade científica o estudo biomecânico de gestos motores e o estabelecimento das forças relacionadas com a sobrecarga do aparelho locomotor. Nesse contexto, pouco tem sido estudado sobre a marcha militar, que tem sido comumente considerada uma atividade patogênica. Portanto, com base na ausência de estudos quantitativos sobre a marcha militar e a crescente atenção ofertada ao estudo das forças de impacto na locomoção, este estudo teve o objetivo de descrever, comparar e analisar a componente vertical da força de reação do solo (FRS) bem como a atividade eletromiográfica (EMG) de músculos selecionados do membro inferior na marcha militar e na marcha normal. Materiais e Método. Sujeitos. Dez militares da Força Aérea Brasileira (18,5±0,5 anos, 72,7±4,2 kg e 177,5±6,5 cm) sem quaisquer lesões do sistema locomotor. Instrumentos. Sistema Gaitway (Kistler 9810S1x) de plataformas de força em esteira rolante e EMG 1000 (Lynx®) para a coleta sincronizada de FRS e EMG. Procedimentos. Os sujeitos foram submetidos a um período de ambientação em esteira, caminhando a 5 km/h por 10 min. Foi utilizado o protocolo da SENIAM para posicionamento dos eletrodos de superfície nos ventres dos músculos tibial anterior (TA), gastrocnêmio lateral (GL), vasto medial (VM) e bíceps femoral (BF). Foram coletadas duas amostras de 20 s de FRS e EMG em duas condições: (1) caminhando (marcha normal) a 5 km/h, e (2) marchando (marcha militar) a 100 cpm e 4,5 km/h. Parâmetros. Foram analisados os picos de FRS vertical e suas derivadas e o valor RMS da EMG em quatro instantes diferentes da fase de apoio. Tratamento de Dados e Estatística. Os dados foram sincronizados e cortados por apoio. Foi feita a retirada de offset, a retificação e a filtragem. Foram calculados médias e desvios-padrão de todos os apoios dos dez sujeitos. Foram utilizados a análise de variância (ANOVA) de dois e três fatores, testes de correlação linear e o modelo de regressão linear múltipla para comparação dos dados. O nível de significância foi estabelecido em <5%. Resultados. Os valores da magnitude dos picos de FRS vertical, bem como o Impulso, foram maiores na marcha militar (p<0,0001). A atividade muscular foi maior na marcha normal para todos os músculos selecionados (p<0,0001). Também foi maior na fase de propulsão (p<0,0001) e para o músculo BF (p<0,0001). Houve correlação linear negativa entre a magnitude da força transiente Ft e a atividade de todos os músculos analisados (p<0,05). Conclusões. A magnitude bem como a forma de onda da FRS vertical difere entre a marcha normal e a marcha militar. A atividade muscular também difere, sendo menor na marcha militar. Existe relação entre a incidência de maiores valores de força de impacto e menores valores de atividade muscular na marcha militar.
Abstract: [en] The human locomotion is a wide explored theme but due to its complexity, not all aspects have been clarified. It is an actual tendency the analysis of the impact forces related to motor patterns and their relation to injuries. On this basis, considering the lack of quantitative data about the military gait pattern and the increasing attention offered to the analysys of impact forces, this study had the goal of describing, compairing and analysing the vertical component of ground reaction forces (GRF) as well as the eletromyographic (EMG) activity of selected muscles of inferior limbs on normal and military gait cycles. Method. Subjects. Ten military personnal from the Brazilian Air Force (18.5±0.5 years old, 72.7±4.2 kg and 177.5±6.5 cm) without any injuries of locomotor system. Instruments. Gaitway System (Kistler 9810S1x) of force plates installed in a treadmill and EMG 1000 (Lynx®) for sincronized recording of FRS and EMG. Experimental protocol. The subjects underwent an ambientation period walking on a treadmill at 5km/h for 10 min. The SENIAM protocol was used to electrodes positioning at tibialis anterior (TA), gastrocnemius lateralis (GL), vastus medialis (VM) and biceps femoralis (BF) muscles of inferior limbs. Two samples of 20 s of GRF and EMG were collected under two different conditions: (1) walking (normal gait) at 5km/h and (2) marching (military gait) at 100 cpm and 4.5 km/h. Parameters. The peaks of verical GRF, their secondary data and the Root Mean Square (RMS) values of EMG in four different moments of stance phase were analysed. Data Treatment and Statistics. Data were sincronized and cut off by individual stance phases. Data were retified and filtered. Mean and standard deviation values were calculated considering all stance phases from the ten subjects. ANOVA of three and two factors was used to compare data. Correlation tests and Multiple Linear Regression Model were aplied. Significance level was fixed <5%. Results. The magnitude values of vertical GRF, as well as its Impulse, were greater on military gait (p<0,0001). Muscle activity was greater on normal gait cycle for all selected muscles (p<0,0001). It was also greater on the propulsion phase of stance (p<0,0001) and for BF muscle (p<0,0001). There was negative linear correlation between the magnitude of the transient force and the activity of all selected muscles (p<0,05). Conclusions. The magnitude as well as the shape of the vertical GRF is different between normal and military gait cycles. The pattern of muscle activity is also different, with smaller values for the military gait. There is also a relationship between the incidence of greater values of impact forces and lower values of muscle activity on the military gait.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador (a): Luis Mochizuki
Assuntos: [pt] Biomecânica
[pt] Marcha – Lesões
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)

Pesquisa Específica