Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Leonardo Eid Marques
Título(s): [pt] Volume de treinamento, percepção subjetiva do esforço e estados de humor durante um macrociclo de treinamento de nadadores.
Resumo: [pt] Com o objetivo de atingir o melhor desempenho os atletas são submetidos a altas cargas de treinamento. Porém, quando essas cargas excedem os limites da capacidade de adaptação dos mesmos, conseqüências prejudiciais tais como, diminuição de desempenho, depressão, falta de apetite, fadiga e mudanças de humor podem ocorrer. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar, a associação entre o volume de treinamento, a percepção subjetiva do esforço e os estados de humor durante um macrociclo de treinamento de nadado res. A amostra foi do tipo não - probabilística, composta por 44 nadadores, brasileiros de alto desempenho, de ambos os gêneros (26 nadadores e 18 nadadoras) que seguiram três programas de treinamento diferentes, de acordo com as características de suas prov as. Esses grupos foram: Velocistas N=20 (VELO- nadadores de 50, 100 e 200 metros livre, costas e borboleta), Fundistas N=14 (FUNDO- nadadores de 400, 800 e 1500 metros livres ou medley ) e nadadores de Peito e Medley N=10 (PEME - nadadores de 100 e 200 me tros peito ou medley). Todos foram avaliados através da Escala Cavasini de Percepção Subjetiva do Esforço (PE), do teste BRUMS (BR) e de duas questões abertas (“Aconteceu algo diferente nos últimos dias que tem interferido no seu desempenho durante os treinamentos?”, “Você está no seu período menstrual?”, esta apenas para as mulheres), durante um macrociclo de treinamento composto por 15 semanas, logo após a última sessão de treino da semana. As medidas de volume foram obtidas através do cálculo da distância nadada durante a semana em quilômetros. Foi utilizada a média e o desvio padrão de 4 percepções subjetivas do esforço (local -braço, local -perna, central e total) e dos seis estados de humor e do Brums Total para cada semana em cada grupo. Foi utilizada a Anova para Medidas Repetidas e o teste de Bonferroni para comparar as 4 percepções em cada grupo e a ANOVA ONE WAY e o teste Tukey para comparar as medidas das percepções do esforço e dos estados de humor durante o macrociclo e para comparar as respostas as questões abertas (subdivididas em 6 categorias). Já para analisar a relação entre o volume de treinamento, a percepção do esforço e os estados de humor foi utilizada a correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de 5%. Os resultados mostram diferenças significativas na PE nos VELO (central < local-braço, local-perna e total) e PEME (central < total). Na comparação entre as 15 semanas observam-se diferenças significativas na PE entre as semanas de maior volume e a última de menor volume. Já no BR apenas a fadiga apresentou diferenças significativas entre as semanas de maior volume e a última, de menor volume. Na questão 1 encontrou-se diferenças significativas entre os que apresentaram queixa e os que não apresentaram somente no Brums Total e na questão 2 não foram encontradas diferenças significativas entre as nadadoras que estavam no período menstrual e as que não estavam, tanto na PE quanto no BR. Os resultados da correlação de Pearson do grupo de VELO mostram uma correlação significativa positiva entre percepção de esforço total (PETO) e a fadiga (FA), a confusão (CO), o humor total (BRT) e com o volume de treinamento (VOL), e uma correlação negativa com o VI. Já o VOL apresenta uma correlação significativa positiva com a FA, com o BRT e com a PETO, e negativa com o VOL. O que difere entre os grupos VELO e PEME é que o grupo PEME não apresenta uma correlação significativa com o estado de VI e com a CO. Através desses dados pode-se concluir que há uma associação entre o volume de treinament o, a PE e os BR, que pode ser observada quando da variação do volume, de tal forma, que quando o volume diminui, a percepção subjetiva do esforço e a percepção psicológica de fadiga também tendem a diminuir.
Abstract: [en] In order to achieve the best athletes’ performance, they are subjected to high training load. But when the training load exceed the limits of adaptability of them, harmful consequences such as decreased performance, depression, lack of appetite, fatigue and changes in mood can occur. Thus, the mean of this study was assessed, the association between the training volume, the subjective perception of effort and the mood states during a macrocycle training of Swimmers. The sample was the non - probabilistic type, composed by 44 swimmers, Brazilian H igh Yield, of both sexes (26 males and 18 females). The swimmers followed three different programs of training, according to the characteristics of their evidence. These groups were: Speed, N = 20 (VELO – swimmers of 50, 100 and 200 meter freestyle, backst roke and butterfly), Endurance, N = 14 (FUND – swimmer of 400, 800 and 1500 meter freestyle or medley) and Breast and Medley, N = 10 (PEME - Swimmers of 100 and 200 meter breast or medley). All were evaluated by Scale Cavasini of Subjective Perception of E ffort (PE), the test BRUMS (BR) and two open questions ( "Has something different happened in the last few days that interfered on your performance during training?", "Are you in your menstrual period? "), for a macrocycle training of 15 weeks, after the l ast section's training week. The measures of training volume were obtained by calculating the distance swam during the week in kilometers. The average and standard deviation of 4 subjective perceptions of effort (local -arm, local -leg, central and total), t he six mood states and Brums Total for each week in each group was used. Anova of Repeated Measures and test Bonferroni was used to compare the 4 perceptions in each group and ANOVA ONE WAY and testing Tukey to compare measures of the perceptions of the effort and the mood states during macrocycle and compare the responses to the questions open (divided in 6 categories). We have to analyze the relationship between the training volumes, the perception of effort and the mood states was used the Pearson correlation. The level of significance adopted was 5%. The results show significant differences in the PE in VELO (central <local -arm, leg and local -total) and PEME (central <total). In the comparison between the 15 weeks there are significant differences betwee n the PE weeks of higher training volume and the last of lesser training volume. Already in the BR only the fatigue presented significant differences between the weeks of higher training volume and the last one, with less volume. In Question 1 found are significant different between those who have complained and who have not only on Brums Total and question 2 no significant differences were found between the swimmers who were in the menstrual period and those who were not, both to PE as BR. The results of t he Pearson correlation of the group VELO show a significant correlation between positive perception of total effort (PETO), fatigue (FA), confusion (CO), total mood (BRT) and the training volume (VOL) , and a negative correlation with the VI. Already the VOL shows a significant positive correlation with the FA, with the BRT and the PETO, and negatively with the VOL. What differs between the groups VELO and PEME is that the group PEME does not present a significant correlation with the state of VI and the CO. Through such data can conclude that there is an association between the training volume, the EP and the US, which can be observed when the variation of volume, so that when the volume decreases, the subjective perception of effort and perception of the psychological fatigue also tend to decrease.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador: Dra Maria Regina Ferreira Brandão
Assuntos: [pt] Atletas - Treinamento
[pt] Treinamento (Atletismo)
[pt] Natação
[pt] Fadiga
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)

Pesquisa Específica