Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Gildete dos Santos Freitas
Título(s): [pt] O labirinto da arte trágica nos primeiros escritos de Nietzsche.
Resumo: [pt] O presente estudo ocupa-se especificamente com a arte trágica na perspectiva de O nascimento da tragédia, considerada como primeira experimentação filosófica de Nietzsche. Buscamos, nesta abordagem, trazer à tona como a questão da arte trágica, segundo a interpretação de Nietzsche, torna-se uma possibilidade de afirmação da vida apesar da dor e do sofrimento a ela inerentes. Para Nietzsche, a arte, de preferência aquela de conteúdo trágico, composta pelas forças apolínea e dionisíaca, seria um possível caminho para criar modos de existências que expressem a alegria e o prazer de viver em meio ao vir-a-ser, força imensurável de onde se originariam as dolorosas transformações da vida. Estimando o papel da arte para a vida, Nietzsche retoma a Grécia arcaica para contrapô-la à arte de seu tempo marcada pelo vértice do pensamento científico germinado no contexto da filosofia socrática. O pensamento científico, embora seja também uma criação, contribui significativamente para o enfraquecimento da experiência estética com a vida, na medida em que fornece fórmulas corretivas da existência sob o comando exclusivo da razão. Segundo a perspectiva de Nietzsche, essa maneira de relacionar-se com a vida soaria estranha aos gregos trágicos anteriores à dialética socrática, que pautavam suas existências mediante a sabedoria dionisíaca, força fundamental para a transformação da vida numa eterna criação de aparências vividas e afirmadas sem vislumbre teórico ou moral. O nosso estudo detém-se no enfrentamento da “metafísica de artista” de Nietzsche (pensada a partir das pulsões apolínea e dionisíaca) com a “metafísica científica”. Neste enfrentamento, vislumbramos sugestões e incitações para pensarmos mais “seriamente” o modo como nos relacionamos com a existência. Segundo nossa leitura, Nietzsche, já na primeira fase de seu pensamento, relacionar-se-ia com a vida de modo trágico, numa perspectiva afirmativa. Por isso, analisaremos O nascimento da tragédia e os escritos preparatórios reunidos em A visão dionisíaca do mundo. Contudo, citaremos, ainda que pontualmente, alguns escritos posteriores, tais como Ecce homo, Crepúsculo dos ídolos e A gaia ciência, nos quais Nietzsche dialoga com suas primeiras experimentações filosóficas. Nesse diálogo ficaria inscrito como toda criação humana é a criação da própria vida em seu vir-a-ser; movimento doloroso, mas também prazeroso quando escutamos da vida a sua “vontade” de transformar-se e eternizar-se em constantes criações.
Abstract: [en] The present study specifically aims the tragic art in the perspective of The birth of the tragedy, considered as the first philosophical experimentation of Nietzsche. We looked for in this approach to bring to the surface as subject, how the tragic art becomes a possibility of statement of life in spite of the pain and suffering that is from it inherent. For Nietzsche, the art, preferably that of tragic content, composed by the Apollonian and Dionysian forces would be a possible way for man to create manners of existence that express the happiness and the pleasure of living facing the come-to-being; immeasurable forces from where would arise the painful transformations of life. Estimating about the paper of the art for life, Nietzsche retakes archaic Greece to oppose the art of his time marked by the vertex of the thought inform germinated in the context of the philosophy os Socrates. The scientific thought, according to the problematizations woven by Nietzsche would contribute significantly for the weakness of the human creating process, in the measure in that he intended to supply corrective formulas of the existence under the exclusive command of reason. According to Nietzsche's perspective, this way of relating with life would sound strange to the tragic Greeks that lived previously to the dialectics of Socrates that ruled their existences by the Dionysian wisdom; fundamental force for the transformation of life in an eternal creation of lived appearances and affirmed without theoretical or moral glimpse. Our study stops in the chellenging of the “artist's metaphysics” of Nietzsche (thought starting from the Apollonian and Dionysian pulsions) with the “metaphysics scientifical informs”. In this challenge of his, we hope suggestions and incitements for us to think more “seriously” on the “relationship with existence”. By our reading, Nietzsche, already in the first phase of his thought, would link with life in a tragic way, however, in an affirmative perspective. Therefore, we will stop in the analysis of The birth of the tragedy and of the preparatory writings gathered in the Dionysian vision of the world. However, we will mention although on time, some subsequent writings, such as: Ecce homo, Twilight of the idols and the gaia science in which Nietzsche dialogues with his first philosophical experimentations. That dialogue would take place as all human creations is the creating of life itself in his come-to-being as a painful movement, but also pleasing when we listen from life it’s “will” to transform and to eternalize in constant creations.
Titulação: Mestrado em Filosofia
Orientador: Dra. Yolanda Glória Gamboa Muñoz
Assuntos: [pt] Arte trágica
[pt] Tragédia
[pt] Dionisíaco
[pt] Nietzche, Friedrich Wilhelm, 1844 -1900
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)

Pesquisa Específica