Biblioteca - Profª Alzira Altenfelder Silva de Mesquita

Resumo

Autor: Patrícia Martins Franciulli
Título(s): [pt] Análise da relação entre parâmetros eletromiográficos e o torque isométrico do músculo quadríceps da coxa.
Resumo: [pt] O presente estudo investiga a relação entre a eletromiografia (EMG) e o torque muscular isométrico de extensão de perna, em diferentes níveis percentuais da contração voluntária isométrica máxima (CVIM): 0, 20, 40, 60, 80, e 100% e em diferentes posições angulares ( 0º, 20º, 40º , 60º, 80º e 100º ). Em cada posição angular foram realizadas 5 contrações, para cada nível de torque solicitado, de 5s com um intervalo de 15s entre as mesmas sendo 180s de repouso entre as aquisições feitas em ângulo. Os músculos selecionados para avaliação da atividade EMG foram: reto femoral, vasto lateral, vasto medial longitudinal e vasto medial oblíquo – considerados como grupo agonista – e semitendíneo, semimembranáceo, bíceps femoral cabeça longa e  bíceps femoral cabeça curta – considerados como grupo antagonista. Além disso, para análise de todos os músculos envolvidos no movimento de extensão da perna, foi realizada uma somatória de sinais de todos os músculos, considerado-se a soma de sinais EMG do grupo agonista e, também a soma do sinal EMG do grupo antagonista. Os resultados permitem concluir que: há uma correlação linear entre a intensidade do sinal EMG e torque isométrico, tanto pelo valor RMS como pelo valor integral da EMG; a correlação linear ocorre ao se analisar tantos ventres individuais, como todo o grupo muscular agonista; a atividade EMG dos músculos antagonistas parece não interferir na correlação EMG – torque do agonista; a correlação EMG – torque parece ser maior em níveis de torque abaixo de 80% da CVIM.
Abstract: [en] The purpose of this study was to investigate the relationship between electromyography signals (EMG) and torque during isometric contractions at 0, 20, 40, 60, 80 e 100% of the maximal voluntary isometric contraction (MVIC), and at different joints angles (0º, 20º, 40º, 60º, 80º e 100º) of knee joint extension. At each angle were performed 5 contractions (5s) separated by an interval (15s). A 3 min. rest period was given between all angle tests to avoid any fatigue effects. The electrodes were placed on the muscles: rectus femoris, vastus lateralis, vastus medialis longus, vastus medialis obliquus – agonist group – and the semitendinosus, semimembranosus and biceps femoris (long and short head) – antagonist group. Besides, the study compared the EMG – torque isometric of the agonist and antagonist knee muscle actions. The results allowed the following conclusions: there is a linear EMG – torque relationship measured by RMS or integral EMG values; this linear relationship occurs in the analyses of individual muscles or the entire agonist group; the antagonist EMG values did not interfered in the EMG – torque relationship of the agonist group; and, the EMG – torque relationship reliability seems to be higher in torque levels below 80% of the MVIC.
Titulação: Mestrado em Educação Física
Orientador: Rubens Correa Araújo
Assuntos: [pt] Eletromiografia
[pt] Contração voluntária
[pt] Isométrica máxima
Data da Defesa: XX/XX/2006
Arquivo(s): Abrir documento (PDF)

Pesquisa Específica