Laminário de Hematologia

 

Figura 1
Hemácias normais


• Também chamadas de eritrócitos ou glóbulos vermelhos.
• Diâmetro: 7 a 8 µm;
• Volume: 95 µm³.
• Área de membrana: 145 µm²;

 


 

Figura 2
Anisocitose


• Caracterizada pela diferença no tamanho das hemácias, com presença de macrócitos, normócitos e micrócitos.

 


 

Figura 3
Macrocitose


• Predominância de hemácias de diâmetro maior que 8 μm.

 


 

Figura 4
Microcitose

• Predominância de hemácias de diâmetro menor que 7 μm.

 


 

Figura 5
Hemácias hipocrômicas


• Apresentam carência de hemoglobina e após coloração são microscopicamente esbranquiçadas ou de cor pálida.

 


 

Figura 6
Poiquilocitose

• Caracterizada pela diferença na forma das hemácias.
(1) Hemácia em alvo.
(2) Drepanócito ou forma de foice. Hemácias de forma alongada com extremidades afinadas.
(3) Hemácia elíptica.

 


 

Figura 7

 

Hemácias elípticas

• Apresentam forma elíptica e são encontradas tanto nos camelídeos quanto em indivíduos portadores de características hereditárias em seres humanos.

 


 

Figura


Hemácias em alvo

• Apresentam acúmulo de hemoglobina na região central.

 


 

Figura 9
Esferócitos

• Possuem mesmo volume, mas são hemácias mais frágeis, pois não possuem a biconcavidade da célula normal.

 


 

Figura 10
Hemácias crenadas

• Apresentam alterações morfológicas na superfície externa da membrana com aspecto de enrugamento ou pequenas espículas.

 


 

Figura 11
Hemácias em Roleaux

• Apresentam-se microscopicamente empilhados, dando impressão de “pilhas de pratos”, causado pela presença de macroglobulinas plasmáticas.

 


 

Figura 12

 

Estomatócitos

• Apresentam na região central uma abertura longitudinal semelhante aos estômatos de uma célula vegetal.

 


 

Figura 13

 

Esquizócitos ou hemácias fantasmas

• Apresentam-se com membrana fragmentada, modificando sua forma original.
• Provenientes da hemólise, ou seja, restos de membrana.

 


 

Figura 14
Inclusão citoplasmática: reticulócitos

• Hemácias jovens recém-chegados no sangue circulante, provenientes da medula óssea.
• Após coloração, apresentam segmentos de RNA codificados para produzir as últimas moléculas de hemoglobina.

 


 

Figura 15
Inclusão citoplasmática: pontilhados basófilos

• Apresentam minúsculos pontos de cor azul (basófilo), causado principalmente por intoxicação de chumbo.

 


 

Figura 16
Inclusão citoplasmática: corpúsculos de Howell-Jolly

• São hemácias que após coloração apresentam DNA residual por ocasião da expulsão do núcleo.

 


 

Figura 17
Normoblastos

• Células em fase de diferenciação na produção de hemácias, e são encontrados, em condições normais, na medula óssea.
• Em certas patologias hematológicas e no recém-nascido, podem ser encontrados também no sangue circulante.

 

 

 

 

Leucócitos, ou glóbulos brancos, normais no sangue circulante:

Figura 18
Neutrófilo bastonete

• Núcleo se apresenta na forma de bastão recurvado ou em “S”, e o citoplasma apresenta granulações finas de coloração rosa-salmão após coloração metacromática;

 


 

figura 19
Neutrófilo segmentado

• Apresenta núcleo lobulado, geralmente três lóbulos interligados por um filamento de cromatina, e citoplasma com granulações finas de coloração rosa-salmão após coloração metacromática;

 


 

Figura 20
Eosinófilo

• São leucócitos que apresentam o núcleo geralmente bilobulado com os dois lóbulos ligados por um filamento de cromatina e o citoplasma com granulações grosseiras e de coloração alaranjada após coloração metacromática;

 


 

Figura 21
Basófilo

• São células em número reduzido no sangue circulante com núcleo disperso e granulações azuis escuro quase pretas dispersas no citoplasma e superpostas no núcleo;

 


 

Figura 22
Linfócito

• São leucócitos do sangue circulante que apresentam citoplasma basófilo com núcleo contendo cromatina densa preenchendo quase todo o espaço celular apresentando relação núcleo/citoplasma próximo de um;

 


 

Figura 23
Monócito

• É o maior leucócito encontrado no sangue circulante.
• É polimorfo, com citoplasma cinza-azulado e núcleo polimorfo com cromatina frouxa.

 

 

 

 

Leucócitos com morfologia patológica no sangue circulante observados após coloração metacromática:

Figura 24
Mieloblastos com presença de nucléolos

• São leucócitos ainda muito jovens que migraram precocemente da medula óssea para o sangue circulante.
• Ocorrem nos casos de leucemia mielocítica.
• Apresentam citoplasma basófilo e alta relação núcleo/citoplasma, com granulações primárias, núcleo com cromatina delicada e exibindo nucléolos;

 


 

figura 25
Pró-mielócito

• Tem morfologia semelhante ao anterior, apresentando tamanho maior e um número menor de nucléolos.
• Pode exibir algumas granulações primárias ou inespecíficas no citoplasma;

 


 

figura26
Mielócitos

• Apresentam núcleo com discreta reentrância ou chanfradura, cromatina mais densa que as anteriores, e sem nucléolos visíveis, citoplasma apresenta granulações primárias e secundárias;

 


 

Figura 27
Metamielócitos

• Apresentam núcleo em forma de rim, com reentrância acentuada.
• O citoplasma é não possui granulações grosseiras primárias, somente secundárias, de coloração escura;

 


 

Figura 28
Neutrófilo bastonetes

• Apresentam núcleo em forma de bastão recurvado ou em “S”, com cromatina densa e o citoplasma apresenta granulações grosseiras na maioria secundárias, de coloração escura;

 


 

Figura 29
Neutrófilo segmentado com granulações tóxicas

• Apresentam núcleo polilobulados, interligados por filamentos de cromatina. O citoplasma nos casos infecciosos e inflamatórios pode exibir granulações finas, médias ou grosseiras, claras e escuras.

 


 

Figura 30
Eosinófilos atípicos

• Podem apresentar mais de dois lóbulos ou em forma de bastonetes principalmente nos casos de alergia e verminoses helmínticas;

 


 

Figura 31
Basófilos

• Nos casos de resposta imunológica intensa, podemos encontrar número elevado de basófilos no sangue circulante, sendo que sua morfologia praticamente não se altera do estado normal;

 


 

Figura 32
Linfoblastos

• Nas leucemias linfocíticas podemos encontrar linfoblastos e pró-linfócitos com morfologia irregular e presença de nucléolos;

 


 

Figura 33

Linfócitos atípicos em forma de flower cell

• Podemos encontrar linfócitos atípicos ou sensibilizados, apresentando morfologia irregular em relação núcleo/citoplasma, e em certos casos podem exibir raras granulações azurófilas no citoplasma.

 


 

Figura 34
Monócitos

• Os monócitos no sangue circulante geralmente guardam uma morfologia específica por estar em estágio de transição.
• Sua morfologia modifica quando migram para os tecidos e evoluem para macrófagos.

 


 

Figura 35
Neutrófilo bastonete com cromatina sexual

 


 

Figura 36
Células de Hargraves

• São formações de células que agrupam neutrófilos segmentados ou eosinófilos por uma massa ou fenômeno de LE nos casos de Lúpus Eritematoso.
• Contém em seu interior um corpo de inclusão amorfo de coloração rosa e núcleo deslocado para a periferia;

 


 

Figura 37
Plaqueta normal

• É o menor elemento figurado do sangue circulante.
• Tem forma de lentilha com prolongamentos filamentosos de aderência, podendo exibir em seu interior estruturas granulosas e que se apresentam de coloração vermelha após coloração metacromática.

 


 

Figura 38
Macroplaquetas

• Em condições normais as plaquetas possuem 2 a 4 μm de diâmetros, porém em condições de certas patologias podem se apresentar com diâmetro muito grande e denominam-se macroplaquetas.

 


 

Figura 39
Rosetas plaquetárias

• Agregação plaquetária na superfície de neutrófilos segmentados.

 


 

Figura 40
Megacariócito

• É a maior célula da medula óssea, produzida por endomitose em cujo citoplasma originam-se as plaquetas.
 
Comentários (2)
2Quarta, 09 Janeiro 2013 09:33
Adriana Catelli
Maravilhoso!!!
Imagens perfeitas que podem nos auxiliar na dúvida...
Parabéns pelo trabalho.
1Domingo, 24 Junho 2012 18:32
Marcia
Adorei; PARABÉNS PELO TRABALHO.



Obrigado por visitar o Acervo Digital de Lâminas de Citologia, Histologia e Embriologia.
Registre a sua presença ou comente sobre o material em exposição.
Seu apelido/nome:
Comentário:

• Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Voltar

© 2000/2014 - Universidade São Judas Tadeu.