Tecido Nervoso

1. Observa√ß√£o de neur√īnios e de c√©lulas da glia

Material: cérebro
Técnica: Impregnação argêntica

 

Subst√Ęncia cinzenta

Observa√ß√£o com aumento total de 100x: Com este aumento √© poss√≠vel observar na parte mais externa do c√©rebro a subst√Ęncia cinzenta.

Poderemos notar nessa √°rea os neur√īnios e os astr√≥citos protoplasm√°ticos com prolongamentos espessos e bem ramificados.

Os cortes se diversificam, mas poderemos notar os corpos celulares (peric√°rios), dentritos e ax√īnio.

Observa√ß√£o com aumento total de 400x: Neste aumento poderemos observar de forma bem n√≠tida os neur√īnios e os astr√≥citos protoplasm√°ticos com seus prolongamentos vistos de maneira detalhada.

 

Subst√Ęncia branca

Observação com aumento total de 100x: Neste aumento poderemos notar os astrócitos fibrosos com seus prolongamentos delgados e pouco ramificados.

 

Observação com aumento total de 400x: Neste aumento poderemos notar os astrócitos fibrosos de maneira bem nítida e detalhada.

 

2. Observação da medula nervosa ou medula espinhal

Material: Medula Nervosa
Técnica: HE

Observação com aumento total de 40x: Com este menor aumento do microscópio é possível observar o canal ependimário na parte central da medula nervosa onde há líquido cefalo-raquidiano.

Em volta desse canal e para os lados da medula como um ‚ÄúH‚ÄĚ fica a subst√Ęncia cinzenta de cor mais avermelhada.

Na parte mais externa da medula nervosa fica a subst√Ęncia branca.

Revestindo a medula nervosa, existe a piamater que é uma das meninges (membranas conjuntivas), a mais interna.

 

Subst√Ęncia cinzenta da Medula Nervosa

Observa√ß√£o com aumento total de 400x: Neste aumento deveremos observar na subst√Ęncia cinzenta os copos celulares (peric√°rdio) de neur√īnios com seus respectivos n√ļcleos bem vis√≠veis e n√≠tidos onde poderemos notar o nucl√©olo e gr√Ęnulos de cromatina, fibras nervosas e n√ļcleos de c√©lulas da glia que aparecem intensamente corados.

 

Subst√Ęncia branca da Medula Nervosa

Observa√ß√£o com aumento total de 400x: Neste aumento poderemos observar as fibras nervosas miel√≠nicas em corte transversal. Em cada fibra nervosa observaremos o ax√īnio no centro da mesma e a bainha de mielina que aparece vazia por conter lip√≠dios em sua composi√ß√£o qu√≠mica e que n√£o fica preservada na t√©cnica histol√≥gica de HE (Hematoxilina e Eosina).

Os n√ļcleos que aparecem entre as fibras nervosas s√£o n√ļcleos de c√©lulas da glia.

 

3. Observação do Cerebelo

Material: Cerebelo de rato
Tecnica: HE (Hematoxilina ‚Äď Eosina)

Observação com aumento total de 40x: Neste aumento é possível observar-se a meninge piamarter que reveste o cerebelo.

√Č poss√≠vel tamb√©m observar a subst√Ęncia cinzenta do cerebelo com suas tr√™s camadas: molecular, camada de c√©lulas de Purkinje e as camada granulosa.

A camada molecular aparece mais r√≥sea com neur√īnios, a camada de c√©lulas de Purkinje que aparece mais avermelhada e a camada granulosa bem arroxeada com os n√ļcleos dos menores neur√īnios do corpo localizado muito pr√≥ximos uns dos outros.

A subst√Ęncia branca fica localizada na parte central da camada granulosa tendo uma cor r√≥sea.

 

Observa√ß√£o com aumento total de 100x: Neste aumento poderemos observar com mais detalhes as tr√™s camadas da subst√Ęncia cinzenta.

Deve-se ressaltar que as células de Purkinje já são notadas com mais facilidade que o aumento anterior aparecendo bem avermelhados.


Observação com aumento total de 400x: Neste aumento podemos observar as células de Purkinje de modo mais nítido entre as camadas molecular e granulosa.

 

4. Observação de Fibras Nervosas Dissociadas

Material: Feixes de fibras nervosas
Técnica: Dissociação das fibras (separação das fibras)

Observação com aumento total de 100x: Com este aumento poderemos observar as fibras nervosas dissociadas, ou seja, separadas.

√Č poss√≠ver observar-se √°reas mielinizadas das fibras bem como os n√≥dulos de Ranvier que s√£o √°reas sem mielina. Os n√≥dulos de Ranvier tamb√©m s√£o denominados estrangulamento de Ranvier.

As incisuras ou fissuras de Schimidt Lantermann representam √°reas de enrolamento imperfeito da bainha de mielina em torno do ax√īnio.

 

Observação com aumento total de 400x: Com este aumento poderemos observar as fibras nervosas com todos os seus componentes incluindo bainha de mielina, nódulos de Ranvier e fissuras de Schimidt Lantermann detalhadamente com muita nitidez.

 

5. Observação de Feixe Vásculo Nervoso em corte transversal

O feixe vásculo nervoso apresenta na sua constituição a artéria, veia e o nervo.

Observação com aumento total de 40x: Com este aumento poderemos observar a vista geral da artéria, veia e nervo. O nervo apresenta dois ou mais feixes nervosos.

 

Observação com aumento total de 100x: Com este aumento podemos observar com mais detalhes a artéria, a veia e o nervo.

A artéria nesse corte está mais alongada, na parede é o mais espesso e apresenta a membrana limitante elástica interna. A veia apresenta uma parede menos espessa e não apresenta aquela membrana limitante elástica interna que se apresenta sinuosa.

O nervo apresenta um tecido conjuntivo externo que é o epineuro e separando os feixes nervosos encontramos o perineuro.

√Č poss√≠vel notar-se nos feixes nervosos a presen√ßa de fibras nervosas miel√≠nica em corte transversal.

 

Observa√ß√£o com aumento total de 400x: √Č poss√≠vel neste aumento observarmos as fibras nervosas miel√≠nicas em corte transversal.

Cada fibra nervosa miel√≠nica apresenta na parte central, uma √°rea vazia em torno do ax√īnio √© a bainha de mielina

A bainha fica vazia porque apresenta lipídeos na sua composição química e estes não são preservados na técnica histológica HE.

Entre as fibras nervosas miel√≠nicas √© poss√≠vel observar-se o endoneuro que √© o tecido conjuntivo que envolve cada fibra nervosa. N√ļcleos de fibroblastos arroxeados podem ser observados no endoneuro.

 

6. Observação da Placa Motora

Técnica: Lowit

Observação com aumento total de 100x: Neste aumento é possível observar-se fibras musculares estriadas esqueléticas mais avermelhadas e espessas e fibras nervosas delgadas e escuras chegando nas fibras musculares.

A placa motora representa a área de contato das fibras nervosas como as fibras musculares estriadas esqueléticas.

√Č a√≠ que se inicia o processo da contra√ß√£o muscular com a libera√ß√£o de acetilcolina das termina√ß√Ķes das fibras nervosas que provocar√£o a altera√ß√£o do potencial de membrana de fibra muscular.

 

Observação com aumento total de 400x: Neste aumento é possível observar-se detalhadamente as áreas de contato mais alargadas das fibras nervosas junto às fibras musculares estriadas esqueléticas.

 
Coment√°rios (2)
2Quinta, 29 Março 2012 11:22
Talyta
O acervo está ótimo!Parabéns!
Com certeza vai nos ajudar muito,
Obrigada!!!
1Segunda, 23 Maio 2011 21:39
Ricardo Ariel
Professor J√ļlio e colaboradores,

O acervo digital está maravilhoso, as fotos estão excelentes e de fácil identificação e entendimento.

Nota 10 mesmo. Parabéns!



Obrigado por visitar o Acervo Digital de L√Ęminas de Citologia, Histologia e Embriologia.
Registre a sua presença ou comente sobre o material em exposição.
Seu apelido/nome:
Coment√°rio:

• Política de moderação de comentários

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

© 2000/2017 - Universidade São Judas Tadeu.