Financie até 100% do curso. Você estuda tranquilo e ainda sobra dinheiro pra fazer tudo que quiser.

Juros de 6,5% ao ano.

Financiamento de até 100% do curso.

Você começa a pagar só 18 meses depois da conclusão do curso.

O valor pode ser parcelado em até 12 anos.

Você pode se candidatar se:

  • Concluiu o ensino médio;
  • Participou de uma das edições do ENEM, a partir de 2010, e obteve nota mínima de 450 pontos na média das provas e nota da redação que não seja zero;
  • For estudante de curso presencial de Graduação.

1) Acesse o SISFIES e informe os dados solicitados.

2) Valide o seu cadastro, acesse o Fies Seleção e complete com seus dados pessoais, do seu curso e instituição.

3) Se você for pré-selecionado, acesse o SISFIES e informe os dados do financiamento a ser contratado.

4) Valide sua inscrição em sua instituição de ensino em até 10 dias.

5) Procure o agente do FIES na instituição financeira escolhida por você durante a inscrição para formalizar a contratação do financiamento.

O fiador é a pessoa responsável por pagar suas pendências financeiras, caso você não tenha como pagar suas mensalidades. Você só precisa de fiador se sua renda familiar por pessoa for menor que um salário mínimo e meio. Essa modalidade é conhecida como Fundo Garantidor (FGEDUC). Para renda acima de um salário mínimo, você poderá escolher a fiança convencional ou a Fiança Solidária, conforme abaixo.

Fiança Convencional tem até dois fiadores, observadas as seguintes condições:

Se você tem bolsa parcial do ProUni, o(s) fiador(es) deverá(ão) ter renda mensal bruta conjunta que seja pelo menos igual à parcela da mensalidade, observados os descontos regulares e de caráter coletivo oferecidos pela faculdade, inclusive os concedidos por pagamento pontual.

Nos demais casos, o(s) fiador(es) deverá(ão) possuir renda mensal bruta conjunta que seja pelo menos igual ao dobro da parcela da mensalidade.

Fiança Solidária é a garantia oferecida entre estudantes financiados pelo FIES, reunidos em grupo de três a cinco participantes,

em que cada um se compromete como fiador solidário da totalidade dos valores devidos por cada um.

1) Fase de utilização

Durante o período de duração do curso, você pagará a cada três meses, o valor máximo de R$ 150,00 como pagamento de juros incidentes sobre o financiamento.

2) Fase de carência

Após a conclusão do curso, você terá 18 meses de carência para recompor seu orçamento. Nesse período, você pagará, a cada três meses, o valor máximo de R$ 150,00 como pagamento de juros incidentes sobre o financiamento.

3) Fase de amortização

Encerrado o período de carência de 18 meses, seu saldo devedor é parcelado em até três vezes o período financiado do curso, mais 12 meses. Exemplo: Você financiou todo o curso com duração de 4 anos. Durante o curso, você fará o pagamento trimestral de até R$ 150,00. Nos 18 meses após a conclusão do curso, a cada três meses, você pagará o valor máximo de R$ 150,00. Terminado este período de carência, o saldo devedor será́ dividido em até 3 vezes o tempo do seu curso.

Veja abaixo a relação de documentos que você deve apresentar (original/cópia):

Menor de 14 anos (cópia): Certidão de Nascimento.

Maior de 14 anos (cópia): RG e CPF ou CNH dentro do prazo de validade ou Carteira funcional emitida por repartição pública ou por órgão de profissionais liberais; Carteira de Trabalho (original e cópia das páginas: com foto, qualificação civil, último contrato de trabalho e a próxima página em branco). IMPORTANTE: Caso você não possua Carteira de Trabalho, deverá providenciar a confecção ou apresentar o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (FGEDUC) emitido pelo Ministério do Trabalho.

Casado(a) (cópia): Certidão de Casamento.

União Estável (cópia): Declaração de Concubinato ou Declaração dos cônjuges, ambas registradas em cartório.

Viúvo(a) (cópia): Certidão de Óbito.

Separado(a) (cópia): Comprovante da separação judicial ou, caso esteja em andamento, o Processo.

Comprovante de Residência atualizado (cópia): Opções – Contas de água, gás, luz, boletos de mensalidade escolar, plano de saúde, condomínio, financiamento habitacional, cartão de crédito, Declaração de Imposto de Renda ou IPTU. Contrato de aluguel em vigor ou Declaração do proprietário do imóvel confirmando a residência. IMPORTANTE: Em ambos os casos, o documento deverá estar com firma reconhecida em cartório, acompanhada de um dos comprovantes de conta de água, gás, energia elétrica ou telefone em nome do proprietário do imóvel.

Comprovante de renda de Assalariados ou Extrato Bancário ou Declaração de Imposto de Renda (cópia), sendo:

o Para salários fixos – Documento(s) referente(s) aos três últimos meses (constando salário Bruto);

o Para salários variáveis: Documento(s) referente(s) aos últimos seis últimos meses;

o Para empregadas domésticas: Três últimos comprovantes de pagamento, autenticados em cartório.

Autônomo (cópia): “DECORE” carimbado e assinado por um contador ou Declaração de IRPF acompanhada do recebido de entrega à Receita Federal e da respectiva notificação de restituição.

Aposentados (cópia): Número do benefício e três últimos comprovantes de recebimento de proventos emitidos pelo INSS ou Extrato bancário mais o número do benefício.

Formado no Ensino Médio após 2010 (cópia): Comprovante de Resultado do ENEM (com a nota).

Formado no Ensino Médio antes de 2010 (cópia): Diploma ou Certificado ou documento equivalente de conclusão do ensino médio, expedido pela instituição de ensino competente, a fim de comprovar tal data.

Confira a relação de documentos dos membros da sua família que devem der apresentados (original/cópia):

Menores de 14 anos (cópia): Certidão de Nascimento.

Maiores de 14 anos (cópia): RG e CPF ou CNH dentro do prazo de validade ou Carteira funcional emitida por repartição pública ou por órgão de profissionais liberais; Carteira de Trabalho (original e cópia das páginas: com foto, qualificação civil, último contrato de trabalho e a próxima página em branco). Importante: Caso o membro familiar não possua Carteira de Trabalho, deverá providenciar a confecção ou apresentar o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, emitido pelo Ministério do Trabalho.

Casado(a) (cópia): Certidão de Casamento.

União Estável (cópia): Declaração de Concubinato ou Declaração dos cônjuges, ambas registradas em cartório.

Viúvo(a) (cópia): Certidão de Óbito.

Separado(a) (cópia):Comprovante da separação judicial ou, caso esteja em andamento, o Processo.

Comprovante de Residência atualizado (cópia): Opções – Contas de água, gás, luz, boletos de mensalidade escolar, plano de saúde, condomínio, financiamento habitacional, cartão de crédito, Declaração de Imposto de Renda ou IPTU. Contrato de aluguel em vigor ou Declaração do proprietário do imóvel confirmando a residência. IMPORTANTE: nos dois casos, o documento deverá estar com firma reconhecida em cartório, acompanhada de um dos comprovantes de conta de água, gás, energia elétrica ou telefone em nome do proprietário do imóvel.

Formado no Ensino Médio após 2010 (cópia): Comprovante de Resultado do ENEM (com a nota).

Formado no Ensino Médio antes de 2010 (cópia): Diploma ou Certificado ou documento equivalente de conclusão do ensino médio, expedido pela instituição de ensino competente, a fim de comprovar tal data.

Assalariados (cópia): Comprovante de renda ou Extrato Bancário ou Declaração de Imposto de Renda, sendo:

o Para salários fixos – Documento(s) referente(s) aos três últimos meses (constando salário Bruto);

o Para salários variáveis – Documento(s) referente(s) aos últimos seis últimos meses;

o Para empregadas domésticas – Três últimos comprovantes de pagamento, autenticados em cartório ou carteira profissional atualizada ou carnê do INSS com recolhimento em dia e acompanhado dos três últimos comprovantes de recebimento. (cópia)

Autônomo (cópia) – “DECORE” carimbado e assinado por um contador ou Declaração de IRPF acompanhada do recebido de entrega à Receita Federal e da respectiva notificação de restituição. Em caso de recebimento de comissões e/ou horas extras, apresentar comprovação referente aos seis últimos meses. (cópia);

Aposentados (cópia) – Número do benefício e três últimos comprovantes de recebimento de proventos emitidos pelo INSS ou Extrato bancário mais o número do benefício.

Existem outras formas de comprovação de renda.

Em caso de proprietário rural, notas fiscais de vendas dos últimos seis meses e/ou declaração de renda mensal emitida por Contador com registro no Conselho Regional de Contabilidade, referente aos três últimos meses. (cópia);

Em caso de diretor de empresa, Contrato Social guia de recolhimento de INSS compatíveis com a renda declarada, comprovante de pró-labore e retirada mensal referentes aos três últimos meses. (cópia);

Em caso de aposentados ou pensionistas, número do benefício e comprovante dos três últimos recebimentos de proventos emitido pelo INSS ou no site www.previdencia.gov.br. (cópia); Comprovante de recebimento de pensão alimentícia se for o caso. (cópia);

Em caso de renda proveniente de aluguéis ou arrendamento de bens móveis e imóveis, contrato de locação ou arrendamento devidamente registrado, acompanhado dos três últimos comprovantes de recebimento. (cópia);

Em caso de declaração de renda agregada, apresentar recibos de depósitos regulares efetuados em conta corrente do estudante ou de outro membro do grupo familiar, ou declaração com firma reconhecida do doador. (cópia);

Para sócios ou proprietários de Empresas e Micro Empresas (comércio, indústria ou serviços), apresentar a Declaração de Imposto de Renda pessoa jurídica, referente ao último exercício fiscal. (cópia).

Seus fiadores também precisam apresentar os seguintes documentos:

Carteira de identidade, CNH dentro do prazo de validade ou carteira funcional emitida por repartição pública ou por órgão de profissionais liberais;

CPF;

Certidão de nascimento (solteiros) ou certidão de casamento (Declaração de concubinato registrada em cartório para quem for casado ou que mantenham união estável. Em caso de pessoas separadas, apresentar o comprovante de separação judicial, processo de averbação, declaração de separação de corpos registrada em cartório ou em caso de pais/ cônjuge falecidos apresentar certidão de óbito);

Comprovante de residência, no prazo máximo de 60 dias;

Três últimos comprovantes de renda (para autônomos, Decore quando pessoa ou Decore + contrato de razão social quando pessoa jurídica, assinado pelo beneficiado e devidamente registrado pelo contador. Em caso de aposentadoria, pensão ou auxílio doença, comprovante de proventos bruto emitido pelo INSS. Em caso de renda proveniente de aluguéis, apresentar os três últimos comprovantes de recebimento e contrato de locação);

Declaração de imposto de renda completa (Recibo e Declaração do último exercício);

Cônjuge do fiador: carteira de identidade e CPF ou CNH dentro do prazo de validade ou carteira funcional emitida por repartição pública ou por órgão de profissionais liberais.

O aditamento de renovação semestral dos contratos de financiamento, simplificados e não simplificados, deverá ser realizado por meio do SisFIES. Nele, você solicita à instituição de ensino e confirma eletronicamente o aditamento. Após o início do aditamento pela instituição de ensino, você deve verificar se as informações inseridas no SisFIES estão corretas e:

I – em caso positivo, confirmar a solicitação de aditamento em até 20 (vinte) dias contados a partir da data da conclusão da solicitação. Em seguida, comparecer à instituição de ensino para retirar uma via do Documento de Regularidade de Matrícula (DRM);

II – em caso negativo, rejeitar o Aditamento e entrar em contato pelo Fale com a Gente >> Financiamentos, relatando o motivo da rejeição. A Instituição de ensino irá analisar e iniciar e, se for o caso, iniciar novamente o aditamento.

Se o seu aditamento for do tipo não simplificado, você deverá comparecer ao CAA para a retirada da DRM (DOCUMENTO DE REGULARIDADE DE MATRÍCULA). Você também será informado do prazo para ir ao banco e finalizar seu aditamento. Após comparecer ao banco e finalizar seu aditamento, você receberá o “Termo Aditivo ao contrato”, que deve ser entregue no CAA do seu campus (apenas a cópia). Somente após esses procedimentos o seu aditamento será finalizando.

Caso o você não efetue o aditamento de renovação semestral no prazo regulamentar, será permitida a cobrança da matrícula e da(s) parcela(s) da(s) semestralidade(s) referente(s) ao(s) semestre(s) não aditado(s).

A dilatação é o aumento do prazo do financiamento por até 2 (dois) semestres consecutivos, caso o você não conclua o curso até o último semestre do financiamento.

Você deve solicitar a dilatação do prazo de uso do financiamento pelo SisFIES, no período entre o primeiro dia do último mês do semestre de encerramento do curso e o último dia do terceiro mês do semestre de referência da dilatação. Por exemplo: se você iria se formar no final do ano de 2016, mas precisará de mais um semestre para isso, o prazo seria de 1º de dezembro de 2016 a 31 de março de 2017.

Após a solicitação no SisFIES, você deve comparecer à instituição de ensino, dentro do prazo de 5 (cinco) dias, para validar o pedido. Em seguida, é só efetuar o aditamento de renovação do financiamento para o semestre dilatado.

Você deve ser aprovado em, no mínimo, 75% das disciplinas cursadas em cada período letivo. Por exemplo: um estudante que cursa quatro disciplinas em um período letivo deverá ser aprovado em, pelo menos, três disciplinas, o que representa um percentual de aprovação de 75%. Caso seja aprovado em apenas duas disciplinas, poderá ter o financiamento encerrado, visto que totalizou somente 50% de aproveitamento.

Inscreva-se